NACIONAL

‘Questão de família’, diz Deltan Dallagnol sobre saída da lava jato

Publicados

em


source
deltan
Fernando Frazão / Agência Brasil

O procurador da República Deltan Dallagnol negou que sua saída do comando da Operação Lava Jato em Curitiba tenha ligação com pressões externas

O procurador da República Deltan Dallagnol negou que sua saída do comando da Operação Lava Jato em Curitiba tenha ligação com pressões externas. Em entrevista à afiliada da TV Globo no Paraná, ele disse que a decisão foi estritamente familiar.

Dallagnol afirmou que descobriu que a filha, de apenas 1 ano e 10 meses, está apresentando sinais de problemas no desenvolvimento e que, por isso, vai precisar se dedicar exclusivamente para lidar com o problema.

“Temos 14 procuradores da Lava Jato. Agora, pai e mãe da minha filha pequena são só eu e minha esposa. É uma questão da família de dar atenção à saúde dela nesse momento tão importante e precioso pro desenvolvimento dela”, afirmou.

Leia Também:  Menino de 9 anos que estava desaparecido há uma semana é encontrado

Segundo o procurador, a doença da filha ainda não foi diagnosticada com precisão pela equipe médica. Para ele, a saúde da filha “atropelou todas as outras questões”.

Sobre as pressões que estava recebendo enquanto procurador da força-tarefa, Dallagnol afirmou que isso sempre existiu e sempre vai existir. “Nossa história mostra que sempre encarou essas pressões com coragem, determinação, trabalho, resiliência e pedindo ajuda da sociedade, que a gente sempre teve”, disse.

Propaganda

NACIONAL

Militares do exército são presos por fraudar documentos de armas no DF

Publicados

em


source
Armas apreendidas pela Polícia Civil do Distrito Federal. Elas pertenciam a uma quadrilha do exército que teria fraudado  o Certificado de Registro de Arma de Fogo a Caçadores (Cacs).
Polícia Civil/Divulgação

Armas apreendidas pela Polícia Civil do Distrito Federal. Elas pertenciam a uma quadrilha do exército que teria fraudado o Certificado de Registro de Arma de Fogo a Caçadores (Cacs).

A Polícia Civil do Distrito Federal e o Exército Brasileiro prenderam nesta terça-feira (26) pelo menos nove integrantes de uma quadrilha composta por militares da ativa que teriam fraudado o Certificado de Registro de Arma de Fogo a Caçadores (Cacs), a fim de facilitar a compra de armamento para beneficiados pelo esquema.

A polícia cumpriu 26 mandados de busca e apreensão e prisões nas cidades satélites de Samambaia, Ceilândia, Riacho Fundo, Planaltina, Cidade Estrutural, Núcleo Bandeirantes e Gama, todas no Distrito Federal, e em Luziânia, em Goiás. 

Durante a operação,  diversas armas com elevado poder de fogo, como fuzis e pistolas de grosso calibre foram apreendidas. Além da Polícia Civil, viaturas da Polícia do Exército foram até endereços ligados aos militares e demais integrantes do grupo criminoso. 

Leia Também:  Médico afastado por denúncias de assédio é vacinado contra Covid-19 em BH

De acordo com as investigações, foram identificadas, até o momento, 18 pessoas que integram o grupo que facilita o documento de posse, porte e comercialização clandestina de armas.

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA