NACIONAL

R$100 milhões por selfie com Bolsonaro? Em vídeo, apoiador faz proposta curiosa

Publicados

em


source
Presidente Jair Bolsonaro
Agência Brasil

Presidente Jair Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) postou um vídeo em rede social que tem despertado a curiosidade de seus apoiadores. As imagens são da frente do Palácio da Alvorada , em encontro com um apoiador, ocorrido na manhã ontem. As informações são do jornal Correio Braziliense.

O homem, que não é mostrado no vídeo, questiona o presidente se pode fazer uma pergunta a ele, e logo diz: “Se um brasileiro honrado, que tem muito apreço pelo senhor, pudesse fazer um testamento para lhe dar R$ 100 milhões e a única condição é que o senhor tirasse uma selfie com essa pessoa”.

Dando risada, Bolsonaro desconversa e não responde à pergunta. “Esquisita essa selfie aí. Quer me dar 100 milhões, é isso?”. O apoiador, no entanto, continua, tentado explicar que queria fazer com que o documento que tinha nas mãos chegasse até presidente.

Leia Também:  Juiz manda excluir do Twitter conta de escritor que protestou contra a Universal

“Eu vou lhe explicar porque eu estou fazendo essa consulta, que dependeria do senhor aceitar ou não essa condição. Obviamente que eu tive que encaminhar isso pelos meios oficiais. Eu protocolei isso lá no seu gabinete, protocolei no Ministério da Economia. E, para garantir que isso chegasse às suas mãos, porque depende do senhor dizer se aceita ou não, eu também entreguei à uma senadora…”, argumentou ele.

Nesse ponto, Bolsonaro interrompe o homem e diz que tira selfie com todo mundo: “Não pergunto o que o cara vai me dar”. O apoiador terminou sem conseguir explicar exatamente o que queria do presidente.

Ainda, no fim do vídeo, uma mulher aborda Bolsonaro e pede um cargo para um terceiro homem, dizendo “ser da sua confiança”, e o político recusa. Por fim, ao posar para uma foto com a apoiadora, o presidente brinca: “Essa aqui vale uma vaga na Sesai”.

Compartilhado pelo presidente 

De acordo com o portal, nesta quinta-feira (29), o vídeo foi compartilhado em todos os perfis de Jair Bolsonaro. Antes disso, as imagens tinham ido ao ar em sua conta oficial no Twitter na noite de quarta, mas foi retirada e repostada nessa manhã. Por lá, alguns seguidores pareciam confusos com o vídeo e a proposta.

Leia Também:  Turista cai do 7º andar de hotel em Salvador e morre

Aparentemente, o presidente não entrará em mais detalhes sobre o assunto, já que a publicação anterior e a posterior são sobre assuntos completamente diferentes.


Propaganda

NACIONAL

Candidato de Flávio para comandar MP ofende ministros e mulheres: ‘vagabunda’

Publicados

em


source
procurador Marcelo Rocha Monteiro
Reprodução

Candidato de Flávio Bolsonaro para comandar MP-RJ ofende ministros do STF e mulheres nas redes sociais: ‘vagabunda’

O procurador Marcelo Rocha Monteiro, candidato de Flávio Bolsonaro para chefiar o MP do Rio de Janeiro, ofendeu ministros do STF e mulheres em redes sociais. Em 8 de junho, Monteiro publicou emoticons de fezes ao compartilhar a notícia “Gilmar Mendes concorda com Celso de Mello ao comparar Brasil à Alemanha Nazista”.

“Fezes mais fezes = 2 fezes”, postou o procurador, comentando o texto. Duas semanas depois, mirou em Cármen Lúcia. Após citar a matéria “Acho difícil superar a pandemia com esse governo, diz Cármen Lúcia”, escreveu Monteiro:

“Mais uma comentarista política no que deveria ser uma corte de justiça. Acho difícil superar a mediocridade jurídica com esse tipo de magistrado”. No dia 26 de junho, o alvo foi Edson Fachin.

Leia Também:  Esposa de Eduardo Bolsonaro se desculpa por crítica ao movimento antivacina

“Esdrúxula decisão do ministro Fachin de proibir operações policiais no Rio de Janeiro durante a pandemia”, publicou o procurador. Em 19 de agosto, Monteiro tornaria a mirar em Fachin.

“A origem desse autoritarismo está exatamente no tribunal do qual o senhor Fachin é ministro. A quem esse cidadão pensa que engana?”, escreveu, comentando a matéria “Fachin diz que país vive escalada de autoritarismo”.

Gilmar Mendes também foi acusado pelo procurador de agir com “leviandade”. “Gilmar Mendes, com suprema leviandade, acusou as Forças Armadas de genocídio”, publicou em 13 de julho.

No mês seguinte, atacou o STF como um todo: “O Supremo acaba de abrir as portas para devolver às ruas homicidas, estupradores, assaltantes, traficantes…”, sobre a matéria “STF determina fim da superlotação em unidades socioeducativas de todo o país”.

Em 25 de agosto, debochou de Cármen Lúcia, após a ministra dar 40 horas para que o Banco Central explicasse a nota de R$ 200. “Explicando para a brilhante ministra: Nota de 200 corresponde a duas de 100, Excelência. Entendeu?”.

Leia Também:  Candidato de Flávio para comandar MP ofende ministros e mulheres: 'vagabunda'

Três dias depois, insinuou que Luís Roberto Barroso era um “clown”, palhaço em inglês. “A clown”, postou, ao lado de um emoticon de palhaço, ao compartilhar o vídeo “Barroso is a Clown”, de Rodrigo Constantino.

Horas depois, ainda sobre Barroso, escreveu: “Palhaço, leviano, mentiroso”. A notícia compartilhada afirmava: “Barroso diz que Bolsonaro defende a ditadura”.

Em 2018, após o atentado a Jair Bolsonaro, o procurador ofendeu mulheres em suas redes sociais. “Cretina”, escreveu sobre uma mulher que repudiava o atentado e dizia que Lula, na visão dela, não alimentou ódio violento, ao contrário de Bolsonaro.

Em outra publicação, seguiu: “Mais uma vagabunda”, respondendo a uma mulher que disse que Bolsonaro plantou ódio.

Em tempo: se Marcelo Rocha Monteiro for o próximo procurador-geral de Justiça do Rio de Janeiro, como quer Flávio Bolsonaro, será o responsável por conduzir o processo contra o senador, acusado pelo MP de liderar uma organização criminosa que pegava dinheiro dos servidores de seu gabinete para repassar a ele.

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA