NACIONAL

Tarado do parque sequestra garoto de 16 anos e passa dias estuprando a vítima

Publicados

em


source
parque
Reprodução TripAdvisor

Ilustração: Parque Guarapiranga


Os investigadores da 1ª Delegacia de Polícia (Asa Sul) de Brasília estão apurando os crimes praticados por João Batista Alves Bispo, de 41 anos, conhecido como Tarado do Parque , responsável por praticar atos macabros de violência sexual , pelo menos, desde 2013. A primeira vítima do estuprador teria sido um adolescente de 16 anos, que foi sequestrado em um terminal de ônibus, após ser dopado , e passou dias sendo estuprado pelo criminoso .


As investigações apontam que o garoto foi abordado pelo tarado, que trabalhava como cozinheiro da Rodoviária Novo Piloto, em 2013. O homem convidou o jovem para tomar um suco e despejou Diazepam , medicamento de uso controlado com alto poder de sedação, no copo da vítima.

Leia Também:  "Não atendemos 16 anos": jovem morre após ter entrada negada em UPA do Rio

Dopado, o garoto foi levado para o cativeiro onde ficou amarrado por cinco dias a uma cama. No local, o jovem foi sodomizado, estuprado e violentado. Após a violência, a vítima foi largada na rua ainda desorientado. 

“Esse autor tem semelhanças com o maníaco do Paranoá, Marinésio dos Santos Olinto, preso pela PCDF por matar duas mulheres e fazer diversas outras vítimas. Ambos têm traços de sadismo e psicopatia”, disse Marcelo Portela, o delegado-chefe da 1ª DP, em entrevista ao Metrópoles. A Polícia tem conhecimento de três vítimas até o momento.

Propaganda

NACIONAL

Guarda ofendido por desembargador sem máscara pede R$ 114 mil de indenização

Publicados

em


source
Desembargador rasgando multa de guarda
Reprodução

Desembargador rasgando multa de guarda

O guarda civil municipal Cícero Hilário , que no mês de julho foi humilhado pelo desembargador Eduardo Siqueira , em Santos, no litoral paulista, quando o autuou por não usar máscara na praia, entrou com um processo por danos morais, no valor de R$ 114 mil.

O advogado do GCM, Jefferson Douglas de Oliveira, entrou com a ação nesta quarta (21) na 10ª Vara Cível de Santos, e explicou:

“O comportamento dele durante e após que demonstrou que ele não estava dando a mínima para o Cícero e que a intenção dele, de fato, era humilhar a pessoa que estava o abordando no momento. As ofensas ditas por ele. As humilhações de chamá-lo de ‘analfabeto’, de ‘guardinha’, de querer intimidá-lo. Fez ameaças veladas de chamar a polícia para prendê-lo. Tem vários fatores que demonstram os danos sofridos”, afirmou ao portal G1.

Leia Também:  MPRJ denuncia promotor por oferecer R$ 190 mil para soltar miliciano Nenzinho

O valor representa dois salários do desembargador, que tem vencimentos de R$ 57 mil por mês. Contudo, por conta do episódio, Siqueira foi afastado do cargo após votação unânime no Conselho Nacional de Justiça , que classificou seu ato como uma “conduta abusiva, agressiva e autoritária”, mas mateve boa parte de seu salário, cerca de R$ 35 mil, mesmo sem atuar.

O caso

Os guardas Civis Cícero Hilário e Roberto Guilhermino flagraram o desembargador caminhando pela praia, em Santos, no dia 18 de julho sem estar usando máscara , sendo que a cidade obriga o uso do equipamento em espaços públicos, sob pena de multa.

Quando foi abordado, Eduardo destratou os oficiais e se negou a assinar a multa, e dá uma ‘carteirada” em Cícero, afirmando que estava em chamada com o secretário de segurança pública da cidade. Em dado momento, ele diz “Estou aqui com um analfabeto “, se referindo ao guarda.

Ao receber a multa, o desembargador rasgou o papel, o jogou no chão e foi embora.

Após toda a repercusão, os guardas foram homenageados pelo prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa com medalhas de conduta exemplar .

Leia Também:  Pantanal: chuvas na região ajudam a diminuir focos de incêndio

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA