NACIONAL

Traficantes presos pela PF levavam vida de luxo com aeronaves e embarcações

Publicados

em


source
Lancha que seria do grupo é apreendida pela PF
Foto: PF/Divulgação

Lancha que seria do grupo é apreendida pela PF

Traficantes de drogas que agiam na fronteira do Brasil com o Paraguai, à frente de empresas laranjas, foram alvo da Operação Status, deflagrada pela Polícia Federal na sexta-feira (11). Segundo a PF, o grupo tinha empresas de fachada, como construtoras, administradoras de imóveis, lojas de veículos de luxo, para lavar dinheiro obtido com o tráfico de cocaína. Foram apreendidos R$ 230 milhões em veículos, embarcações, aeronaves e imóveis.

A investigação começou em 2018. Foram analisadas contas de 95 pessoas físicas e jurídicas. Dos 8 mandados de prisão preventiva expedidos pela 5ª Vara da Justiça Federal de Campo Grande, seis já cumpridos.

Foram presos em Pedro Juan Caballero (cidade paraguaia), pai e dois filhos, que são apontados pela PF como os chefes do grupo. Outras três pessoas, ligadas às lojas de veículos de fachada, foram presos em Campo Grande e em Cuiabá.

Leia Também:  Dirigir alcoolizado aumenta mais de três vezes a chance de morte

Ao todo, foram cumpridos também 42 mandados de busca e apreensão em Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, São Paulo, Mato Grosso, Paraná; e também nas cidades paraguaias de Assunção e Pedro Juan Caballero.

A PF informou que no Brasil foram apreendidos 42 imóveis, duas fazendas, e 75 veículos, embarcações e aeronaves, cujos valores somados atingem R$ 80 milhões.

No Paraguai, a ação foi feita em parceria com a Secretaria Nacional Antidrogas, e apreendeu 10 imóveis, no valor aproximado de R$ 150 milhões. Nos dois países o valor dos bens apreendidos chegou a R$ 230 milhões, um recorde, segundo a PF.

Durante a investigação, a PF encontrou um vídeo de um show particular da dupla Bruno e Marrone no aniversário do principal chefe da organização criminosa. O evento, segundo a polícia, foi em 2017, na propriedade de luxo localizada no lago do Manso, na Chapada dos Guimarães, em Mato Grosso. 

Propaganda

NACIONAL

Dirigir alcoolizado aumenta mais de três vezes a chance de morte

Publicados

em


source

Agência Brasil

a
Arquivo/Agência Brasil

O número de óbitos ocorreu em 10% dos 5.150 acidentes registrados em que há, pelo menos, um motorista suspeito de dirigir bêbado


O número de mortes causadas por acidentes de trânsito em que há suspeita de embriaguez chegou a 551 no estado de São Paulo, no período de janeiro de 2019 a julho de 2020. O número de óbitos ocorreu em 10% dos 5.150 acidentes registrados em que há, pelo menos, um motorista suspeito de dirigir bêbado.


A taxa geral de mortalidade em acidentes de trânsito no estado é de 3%, ou seja, dirigir sob efeito de álcool aumenta em mais de três vezes a chance de morte. Os dados, divulgados hoje (24), são do programa Respeito à Vida, da Secretaria de Governo do Estado de São Paulo.

Leia Também:  5 afirmações ditas por Bolsonaro na ONU que não são bem assim; veja

O levantamento abrange os acidentes de trânsito registrados pela Polícia Militar com infrações aos artigos 306 e 307 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), que referem-se a dirigir sob a influência de álcool e recusar-se a fazer o teste do bafômetro.

“A embriaguez no volante é um problema sério, que triplica os riscos e coloca muitas vidas em jogo . Ampliaremos nossos esforços no sentido de levar ainda mais informação e conscientização para a população. Só a mudança efetiva de comportamento pode mudar esse cenário”, afirma o diretor-presidente do Detran de São Paulo, Ernesto Mascellani Neto. 

O levantamento mostra ainda que, de janeiro de 2019 a julho de 2020, houve mais registros de mortes causadas por acidentes de trânsito nas vias municipais (275) do que nas rodovias (267). A maioria das vítimas fatais são os jovens de 18 a 24 anos (55%), seguidos pelo público entre 50 e 59 anos (19%).

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA