Carros e Motos

Nissan tem plano para se separar da Renault, diz jornal

Publicado

source
Aliança Renault-Nissan arrow-options
Divulgação

Tensão entre as marcas emergiu após escândalos envolvendo o ex-presidente da aliança, Carlos Ghosn

Conforme apurado pelo jornal americano Financial Times , executivos da Nissan contam com um plano secreto para romper a aliança de mais de 20 anos com a Renault . Caso seja concretizada, a divisão prevê que as marcas se tornariam totalmente independentes em engenharia e manufatura. A reportagem ainda aponta que a relação entre as fabricantes se desgastou após os escândalos envolvendo o ex-presidente Carlos Ghosn.

LEIA MAIS: FCA e PSA assinam acordo de fusão, criando quarta gigante global

Fontes internas consultadas pelo Financial Times afirmam que a parceria entre Renault e Nissan é tóxica, constatando também que a marca francesa prejudica o grupo japonês – também composto por Datsun e Infiniti.

Com volume agregado de 10 milhões de automóveis emplacados por ano, o divórcio entre Renault e Nissan vai contra uma nova tendência de mercado onde fabricantes estão cada vez mais próximas. Em dezembro último, FCA e PSA assinaram um acordo de fusão com volume anual de 8,7 milhões de unidades. A integração total deverá acontecer no fim do ano, ou no começo de 2021.

LEIA MAIS: Grupo Caoa não é o único interessado na fábrica da Ford em São Bernardo, diz presidente

FCA e PSA arrow-options
Divulgação

Carlos Tavares, da PSA, e Mike Manley, da FCA, durante a formalização do acordo de fusão

Volkswagen e Ford também oficializaram a nova parceria global em janeiro de 2019, durante o Salão de Detroit (EUA). De acordo com as partes, o acordo tem o objetivo de melhorar a competitividade com inovações e novos serviços aos clientes, com amplo empenho na categoria de veículos autônomos e elétricos. O primeiro produto também está confirmado, e será uma picape média prevista para chegar em meados de 2022. Em seguida, minivans e outros veículos comerciais serão lançados em conjunto na Europa.

LEIA MAIS: Produção nacional, mercado premium e futuro: presidente da Audi fala ao iG

A aliança Renault-Nissan-Mitsubishi se tornou a maior joint automotiva do mundo, com 10,7 milhões de emplacamentos agregados em 2018. Na segunda colocação, surge o Grupo Volkswagen com 10,6 milhões, seguido de perto pela Toyota e seus 10,5 milhões. Um eventual rompimento entre Renault, Nissan e Mitsubishi poderia alterar completamente os rumos que a indústria vem tomando ao longo da última década.

Fonte: IG CARROS
Comentários Facebook
publicidade

Carros e Motos

Pandemia não vai matar o carro compartilhado, avalia Ford

Publicado


source
compatilhado
Divulgação

Aplicativo de carros compartilhados devem continuar sendo usados, mesmo com a pandemia, mas outras soluções de mobilidade também virão

A importância da capacidade de inovação e adaptação na pandemia do novo coronavírus foi um dos temas tratados nesta sexta-feira (10), em uma das palestras da Campus Party, evento de tecnologia que este ano acontece de forma virtual e gratuita. Quem falou sobre o tema foi Luciano Driemeier, gerente de Mobilidade e Novos Negócios da Ford. “A pandemia gerou novas tendências que não estavam no mapa das montadoras”, destacou.

LEIA MAIS: Ainda vale a pena ter carro no Brasil?

Driemeier citou uma solução técnica criada pela Ford nos Estados Unidos, que permitiu a esterilização do interior das viaturas policiais da marca apenas com uma atualização de software , como um exemplo da importância do pensamento ágil e da capacidade de adaptação das montadoras para se preparar para o mundo pós coronavírus.

O gerente de mobilidade da montadora não acredita que o novo coronavírus vá enterrar o desenvolvimento de carros compartilhados . Mas avalia também que os fabricantes vão precisar estar abertos para outras soluções de mobilidade , que podem não necessariamente envolver automóveis.

LEIA MAIS: Preços dos carros usados ficarão mais distantes dos novos

“Neste conceito de mobilidade mutável e de produtos adaptáveis, a Ford e outras montadoras passam a ser empresas de mobilidade. Desenvolvendo soluções voltadas para o consumidor e que não necessariamente envolvam carros”, finalizou.

Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue lendo

Carros e Motos

Enchente deixa Ferrari FF debaixo da água em Londres

Publicado


source
Ferrari
Reprodução/Youtube

Ferrari FF ficou presa em alagamento e o conserto não será nada em conta para o dono do superesportivo com tração integral

Uma Ferrari FF foi um dos carros que ficaram presos em um alagamento provocado pelo rompimento de uma tubulação de água em uma rodovia de Londres (Inglaterra).

LEIA MAIS: 13 Ferrari são achadas ao relento após 10 anos. Veja a história por trás disso

De acordo com uma reportagem da BBC, o incidente com a Ferrari FF aconteceu na tarde última segunda-feira (6) mas acabou viralizando alguns dias depois por conta da cena inusitada. Oito motoristas ficaram presos no alagamento e foram resgatados com a ajuda dos bombeiros .

Com pouco mais de 2,2 mil unidades produzidas entre os anos de 2011 e 2016, a Ferrari FF foi o primeiro modelo de tração integral da marca italian a. Estava equipada com um motor central-dianteiro 6.3 V12 de 660 cv, combinado a um câmbio automatizado de sete marchas e dupla embreagem.

LEIA MAIS: Polícia sueca autua Ibrahimovic e sua rara Ferrari de R$ 12 milhões

Antes da enchente, o esportivo de quatro lugares acelerava de 0-100 km/h em 3,5 segundos e atingia 335 km/h de velocidade máxima. Independente do nível de danos, o reparo de uma Ferrari FF nunca é barato… Veja abaixo o vídeo publicado no twitter.




Fonte: IG CARROS

Comentários Facebook
Continue lendo

Momento MT

Momento Nacional

Momento Esportes

Momento Entretenimento

Mais Lidas da Semana