Momento Agro

Pátria no Campo conta com participação maciça de produtores em MT

Publicado


.

Fortalecimento Institucional

Pátria no Campo conta com participação maciça de produtores em MT

Projeto Pátria no Campo já distribuiu quase 2 mil bandeiras do Brasil aos produtores

29/05/2020

Para marcar o símbolo brasileiro no meio rural, Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT), por meio do projeto Pátria no Campo já distribuiu quase 2 mil bandeiras do Brasil, hasteadas em todo Estado. Neste 30 de maio é celebrado o Dia das Bandeiras e a entidade lembra da importância da campanha, que busca resgatar o patriotismo no agro.

Por meio da iniciativa, os produtores rurais associados à entidade recebem uma bandeira do Brasil para ser hasteada na sede das fazendas. Iniciado há pouco mais de um ano, o projeto Pátria no Campo já possibilitou a compra de duas mil bandeiras e distribuição de mais de1.500 nos 25 núcleos da entidade espalhados por todo Estado. “Me recordo de quando implementamos o projeto, teve uma adesão muito grande porque foi paralelo a candidatura do atual do presidente, Jair Bolsonaro, que também estimula o patriotismo”, contou o vice-presidente da Aprosoja, Fernando Cadore.

Delegado coordenador e produtor rural do Núcleo de Diamantino, Mateus França também fixou o símbolo nacional na propriedade e parabenizou a iniciativa. Para ele, a Aprosoja acertou com a campanha que resgata o patriotismo do brasileiro começando pelo homem do campo. “Um patriotismo que perdemos ao longo do tempo. Quando criança tínhamos imensa alegria e honra em cantar o Hino em nossas escolas hasteando a bandeira. Hoje os jovens mal sabem cantar o Hino Nacional. Precisamos de pessoas de bem que acreditem no país que estejam dispostas a fazer dele um lugar melhor para se viver. Fazer dele a potência que merece ser. Devemos ser a mudança que nós queremos para nosso país”, reforçou. 

O produtor Silvino Bortolini, de Jaciara, diz que é muito importante participar do projeto. “Essa campanha da Aprosoja-MT mexeu comigo. Essa atitude de hastear a bandeira na fazenda e nas casas me foi despertada há mais de 15 anos também em uma viagem aos Estados Unidos e vi que lá eles colocam a bandeira em todos os lugares, quando voltei já instalei a bandeira na minha propriedade e troquei por uma nova com esse projeto da Aprosoja”, lembrou.

Produtor rural e presidente do Sindicato Rural de Alto Garças, José Milton Breintenbach, também aderiu ao projeto e disse que é uma honra participar da iniciativa. “Eu, como representante do agro no município de Alto Garças, tenho a honra de parabenizar a Aprosoja-MT, no momento representada pelo senhor presidente Antonio Galvan, pela iniciativa da retribuição com a doação das bandeiras do Brasil ao produtor rural. Hoje temos a honra de ter uma bandeira hasteada em nossa propriedade, como um grande patriota que cada um representa no Brasil. O agro é a economia que não para. Produz, preserva o meio ambiente, alimenta a população e enriquece a economia do mundo”, enalteceu Breintenbach.

As bandeiras hasteadas estão distribuídas em várias propriedades rurais localizadas nos municípios de Sinop, Sorriso, Ipiranga do Norte, Sapezal, Campo Verde, Nova Xavantina, Alto Taquari, entre outros. E a ação continua com a distribuição de mais bandeiras.

Conforme a gerência administrativa da Aprosoja, Gisele Lima Bendô, responsável pelo projeto, produtores que desejarem participar do Pátria no Campo, devem procurar os delegados coordenadores dos núcleos ou os supervisores de projeto da Associação. Também podem solicitar a bandeira por meio do Canal do Produtor, no telefone (65) 3027-8100.

“Esse projeto surgiu através de uma ideia que tivemos numa viagem aos Estados Unidos. Lá observamos como se comporta o produtor rural em relação ao patriotismo. É um projeto de sucesso, muito bem aceito pelos nossos associados. Mais uma vez reforço aos produtores que ainda não aderiram, que nos procurem para adquirir sua bandeira e nos ajudar a fomentar este projeto”, finalizou Cadore.

 

Bandeiras – Bandeiras são tradicionalmente definidas como o símbolo visual representativo de um país, Estado, município, organização ou qualquer entidade constituída.

 

Fonte:

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: [email protected]

Fonte: APROSOJA

Comentários Facebook
publicidade

Momento Agro

CAD Parecis dispõe de ferramentas que tornam possível a produção em solos arenosos

Publicado


.

Defesa Agrícola

CAD Parecis dispõe de ferramentas que tornam possível a produção em solos arenosos

Resultados serão apresentados em live

09/07/2020

Uma das maiores dificuldades enfrentadas pelo agricultor é a produção em solos arenosos, mas essa realidade tem sido transformada através de estudos científicos aliados a técnicas adequadas realizados pelo Centro de Aprendizagem Difusão (CAD Parecis). Implantado há quatro safras, o projeto é uma parceria entre Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT) e a Fundação Mato Grosso.

O CAD Parecis está localizado no município de Campo Novo do Parecis, numa área de 88 hectares com textura do solo variando entre 35% e 7% de argila, destinada a realizar pesquisas que auxiliem o produtor rural com áreas nessa condição. Conforme a gerente de Defesa Agrícola da Aprosoja, Jerusa Rech, os trabalhos são voltados ao manejo, uso e conservação do solo, dinâmica de nutrientes, sistemas de produção, correção do solo, uso de produtos biológicos, controle de pragas e doenças.

A gestora reforça que todo esse trabalho é feito em prol do produtor rural. “Os resultados propõem soluções para dificuldades encontradas no manejo de solos arenosos. Quem trabalha com essa qualidade de solo sabe das dificuldades e gargalos, e o CAD Parecis vem justamente propor soluções por meio desses estudos para orientar o produtor quanto a produção de grãos nessas condições de solo”, enfatizou Jerusa Rech.

Diretor técnico da Fundação Mato Grosso, Leandro Zancanaro, enaltece a parceria com a entidade e ressalta que obedecendo os critérios agronômicos, conceitos e pensando num sistema integrado de várias culturas, adequado a esse ambiente arenoso, é possível melhorar a estabilidade produtiva desse solo. “Realizamos esse trabalho desde 2016 e temos visto que conseguimos melhorar a condição biológica, melhorar a convivência com os nematoides e ter redução da degradação desses solos. Essa união potencializa as instituições, os produtores e esses ambientes mais frágeis, respeitando suas limitações, mostrando que o bom manejo consegue mais estabilidade, com maior produtividade ao produtor e melhor qualidade”, destacou.

Pesquisador da Fundação Mato Grosso, Táimon Semler, enfatiza que este é um trabalho de longo prazo, imparcial, que tem permitido discutir com muita clareza e sanar dúvidas recorrentes ao manejo de nutrientes, do sistema de produção em solo de textura média e arenosa. Táimon também pontua que os resultados gerados têm riqueza de informações produzidas ao logo de quatro anos de CAD Parecis. “Temos lá pesquisas relacionadas ao manejo de Nitrogênio, Fósforo, Potássio, Magnésio, Enxofre, Boro, Calagem, Correção do perfil, que hoje é muito discutida, uso de gesso, plantas de cobertura, os esquemas de rotação de culturas, trabalhos envolvendo entomologia e controle biológico”, detalhou o pesquisador.

LIVE – Para saber mais sobre o manejo adequado em solos arenosos, veja a segunda Live da Aprosoja que traz o tema: Resultados do CAD Parecis. O evento online contará com a participação dos pesquisados Leandro Zancanaro e Táimon Semler e será mediado pelo diretor administrativo da Aprosoja, Lucas Costa Beber.

A Live será realizada próxima quarta-feira (15.07), às 10h (horário de Mato Grosso), com transmissão online gratuita pelo canal do YouTube e na página do Facebook da Aprosoja. Participe enviando suas dúvidas para o Canal do Produtor até o dia 10/07, via WhatsApp pelos telefones (65) 3027-8100 ou (65) 99257-1521, ou ainda pelo e-mail: [email protected].

 

Fonte: Ascom Aprosoja

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: [email protected]

Fonte: APROSOJA

Comentários Facebook
Continue lendo

Momento Agro

Com recordes de valores de soja e milho, VBP de 2020 é estimado em R$ 716,6 bilhões

Publicado


.

O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) de 2020, com base nos dados de junho, está estimado em R$ 716,6 bilhões, 8,8 % acima do obtido em 2019 (R$ 658,8 bilhões). O valor das lavouras cresceu 11,6 % e o da pecuária, 3,4%. O aumento do valor das lavouras deve-se principalmente aos desempenhos de arroz (12%), soja (19,8%), milho (13,7%), café(39,3%) e laranja (9,8%).

Estes cinco produtos vêm puxando o faturamento das lavouras, segundo o estudo do Departamento de Crédito e Informação da Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

“O milho e a soja obtiveram valores recordes ao longo da série histórica desde 1989: R$ 76,1 bilhões e R$ 173,5 bilhões, respectivamente”, aponta o coordenador da pesquisa, José Garcia Gasques. Na pecuária, o crescimento vem sendo estimulado pela carne bovina (11,8%), carne suína(5,6%) e ovos (15,5%). 

Outros produtos tem apresentado bom desempenho, como amendoim, cacau, cana-de-açúcar, feijão e trigo. Desempenho pouco favorável é observado nas culturas de algodão herbáceo, banana, batata inglesa, mamona, tomate e uva.

“Além dos resultados favoráveis da safra de grãos deste ano, que segundo a Conab está prevista em 251,4 milhões de toneladas, os preços agrícolas também são um fator importante na garantia dos resultados que vêm sendo observados”, explica Gasques.

A pecuária tem sido beneficiada pelas boas condições do mercado internacional. De janeiro a junho deste ano, as exportações de carnes, bovina, suína e frangogeraram umareceita de U$ 8 bilhões (Agrostat, 2020). O valor das exportações de carne bovina foi de U$ 3,927 bilhões, carne suína, U$ 1,07 bilhão, e carne de frango, U$ 3,09 bilhões. Nesse período, as exportações de soja geraram U$ 23,928 bilhões.

Os resultados do VBP regional indicam Mato Grosso liderando o ranking com 17,5% do valor, seguido do Paraná (12,8%), São Paulo (12,7%), Minas Gerais (10,7%) e Goiás (8%).

Indicador

O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) é um indicador de desempenho da agropecuária. É considerado também um indicador do faturamento. Com atualizações mensais, seu cálculo é efetuado para os estados e regiões brasileiras, com dados de 21 produtos de lavouras e cinco atividades da pecuária. 

O VBP é obtido pela multiplicação da quantidade produzida pelo preço recebido pelo produtor. Como as estimativas de safras divulgadas mensalmente referem-se à previsão para o ano, a estimativa do VBP também é anual. Na pecuária, como as informações do IBGE são trimestrais, a cada três meses, são atualizadas as informações de quantidades.

A fonte de dados de produção é do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) do IBGE. Para os produtos da pecuária, a fonte também é o IBGE. Os preços são da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) e CEPEA – USP (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), órgão da Universidade de São Paulo. Os valores reais são obtidos com o uso de IGP-DI da Fundação Getúlio Vargas. 

>> Veja aqui VBP Regional e Brasil

>> Veja aqui tabela sobre as lavouras e pecuária

>> Veja aqui o resumo do VBP

Informações à Imprensa
Inez De Podestà
[email protected]

Comentários Facebook
Continue lendo

Momento MT

Momento Nacional

Momento Esportes

Momento Entretenimento

Mais Lidas da Semana