PET

Cachorro com prótese nas pernas ganha medalha por servir ao exército britânico

Publicados

em


source
pastor-belga
Reprodução/Instagram

Kuno ganha medalha por servir ao exército

O pastor-belga Kuno, de quatro anos, é um cão aposentado do exército britânico e foi homenageado com a medalha PDSA Dickin, por conta do serviço dele em uma ação militar no Afeganistão. O cachorro estava apoiando os soldados em uma missão, quando foi atingido por tiros, que fizeram com que ele tivesse que ter as patas traseiras amputadas e hoje vive com duas próteses.

Kuno foi um verdadeiro herói durante a missão do exército britânico contra a Al-Qaeda. Segundo a revista People, os militares precisavam invadir um prédio controlado pelo grupo terrorista, quando começaram a chover balas e granadas. O cão ajudou a imobilizar um dos inimigos, a localizar uma pilha de explosivos e salvou a vida de seus aliados ao atacar o homem que estava atirando neles.

O cachorro entrou pela porta e avançou no homem, para imobilizá-lo. Infelizmente, o terrorista acabou acertando tiros nas patas dele. Mesmo machucado, o pastor-belga continuou com a missão e só descansou quando o prédio já estava liberado. Ele foi operado por médicos em um helicóptero e precisou passar por diversas cirurgias antes de voltar ao Reino Unido.

Leia Também:  Cachorrinho tirando uma soneca no carro viraliza no TikTok, assista

Mesmo com os esforços dos veterinários, as patas traseiras de Kuno precisaram ser amputadas, para evitar infecções no futuro. Ele ganhou um parte de próteses e foi homenageado com a medalha PDSA Dickin, a maior honra que pode ser oferecida a um animal no Reino Unido.

O cachorro é o 72º animal a receber a medalha. O prêmio foi criado na época da Segunda Guerra Mundial para homenagear os bichos que auxiliaram o exército britânico e já foi entregue a 35 cachorros, 32 pombos mensageiros, 4 cavalos e um gato.

Fonte: IG PET

Propaganda

PET

Cachorro na praia pode? Confira os cuidados necessários para proteger seu pet

Publicados

em


source
praia
Reprodução

Antes de levar animais de estimação à praia é preciso ter alguns cuidados, como prevenir o verme do coração

O verão chegou e muitos querem passar  os dias ensolarados nas praias , sem abrir mão de seu amigo de quatro patas. Porém, apesar de  várias praias aceitarem pets,  elas são locais seguros para eles? Confira o que dizem os especialistas e que cuidados são necessário caso você decida levar seu “cãopanheiro” pra tomar um banho mar.

O médico veterinário, Mauricio Dias Augusto dos Santos, do Hospital Popular de Medicina Veterinária explica que não há impeditivos para levar seu cão à praia. “Apenas deve-se atentar para alguns cuidados especiais com ele durante esse passeio e respeitar o limite das outras pessoas que não gostariam de interagir com seu bichinho. E é claro que nunca se deve deixar excretas do seu amigo pelo caminho”, explica. 

Leia Também:  Conheça Enzo, o BatCão

Você viu?

Cuidados com os bichinhos na praia 

A veterinária da clínica SPet junto a Cobasi São Bernardo Faria Lima, Bianca Bennati, explica que o primeiro cuidado que o tutor deve ter é garantir que o horário você vai para a praia é o mais adequado, preferindo antes das 10h da manhã e depois das 16h, para evitar as horas mais quentes. 

Além disso, é importante garantir uma proteção para pulgas, carrapatos e verme do coração, com o uso de profilaxia para ectoparasitas adequada. Além da vacinação e vermifugação em dia. 

“Uso de protetor solar nas áreas sensíveis ao sol, focinhos, coxins e orelhas, animais muito brancos devem evitar preferencialmente se expor ao sol. O proprietário também deve ficar atento ao animal, para que ele não coma nada inadequado. Oferecer água e comida sempre que for necessário.”, completa Bennati. 

Alguma raça tem que ter algum cuidado especial?

Santos explica que algumas raças possuem limitações físicas que por si só contra-indicam um passeio prolongado.  O principal problema está nas raças braquicefálicas, com focinho achatado, como shi-tzu, buldogues e pug. 

Leia Também:  Cachorro na praia pode? Confira os cuidados necessários para proteger seu pet

“Essas raças possuem uma dificuldade natural no sistema respiratório que inibe exercícios intensos e os torna pouco tolerantes ao calor, pois têm dificuldades para manter a temperatura corporal, podendo chegar a uma  hipertermia”, acrescenta o veterinário. 

Para saber se o pet está em condições de viajar é preciso levá-lo ao veterinário para avaliar suas condições físicas. Ele vai indicar possíveis limitações de brincadeiras e exposição ao sol ou calor intensos e fazer a administração de bons preventivos contra a dirofilariose e parasitas externos, além de garantir que seu pet esteja com vacinas e vermifugação em dia.

Fonte: IG PET

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA