PET

Cachorro na praia pode? Confira os cuidados necessários para proteger seu pet

Publicados

em


source
praia
Reprodução

Antes de levar animais de estimação à praia é preciso ter alguns cuidados, como prevenir o verme do coração

O verão chegou e muitos querem passar  os dias ensolarados nas praias , sem abrir mão de seu amigo de quatro patas. Porém, apesar de  várias praias aceitarem pets,  elas são locais seguros para eles? Confira o que dizem os especialistas e que cuidados são necessário caso você decida levar seu “cãopanheiro” pra tomar um banho mar.

O médico veterinário, Mauricio Dias Augusto dos Santos, do Hospital Popular de Medicina Veterinária explica que não há impeditivos para levar seu cão à praia. “Apenas deve-se atentar para alguns cuidados especiais com ele durante esse passeio e respeitar o limite das outras pessoas que não gostariam de interagir com seu bichinho. E é claro que nunca se deve deixar excretas do seu amigo pelo caminho”, explica. 

Leia Também:  Gatos precisam de atenção especial ao mudar para uma casa nova; entenda

Você viu?

Cuidados com os bichinhos na praia 

A veterinária da clínica SPet junto a Cobasi São Bernardo Faria Lima, Bianca Bennati, explica que o primeiro cuidado que o tutor deve ter é garantir que o horário você vai para a praia é o mais adequado, preferindo antes das 10h da manhã e depois das 16h, para evitar as horas mais quentes. 

Além disso, é importante garantir uma proteção para pulgas, carrapatos e verme do coração, com o uso de profilaxia para ectoparasitas adequada. Além da vacinação e vermifugação em dia. 

“Uso de protetor solar nas áreas sensíveis ao sol, focinhos, coxins e orelhas, animais muito brancos devem evitar preferencialmente se expor ao sol. O proprietário também deve ficar atento ao animal, para que ele não coma nada inadequado. Oferecer água e comida sempre que for necessário.”, completa Bennati. 

Alguma raça tem que ter algum cuidado especial?

Santos explica que algumas raças possuem limitações físicas que por si só contra-indicam um passeio prolongado.  O principal problema está nas raças braquicefálicas, com focinho achatado, como shi-tzu, buldogues e pug. 

Leia Também:  Plantas podem oferecer risco de vida aos pets

“Essas raças possuem uma dificuldade natural no sistema respiratório que inibe exercícios intensos e os torna pouco tolerantes ao calor, pois têm dificuldades para manter a temperatura corporal, podendo chegar a uma  hipertermia”, acrescenta o veterinário. 

Para saber se o pet está em condições de viajar é preciso levá-lo ao veterinário para avaliar suas condições físicas. Ele vai indicar possíveis limitações de brincadeiras e exposição ao sol ou calor intensos e fazer a administração de bons preventivos contra a dirofilariose e parasitas externos, além de garantir que seu pet esteja com vacinas e vermifugação em dia.

Fonte: IG PET

Propaganda

PET

Gatos precisam de atenção especial ao mudar para uma casa nova; entenda

Publicados

em


source
Os gatos são companheiros carinhosos e fiéis para todos os momentos
Photo on Visual Hunt

Os gatos são companheiros carinhosos e fiéis para todos os momentos











Mudar de casa não é cansativo só para os humanos, mas também para os animais de estimação, principalmente os felinos. Por terem um temperamento mais forte, os gatos levam mais tempo para se adaptar ao novo lar e precisam de ajuda para se adaptarem. 

Você viu?

O veterinário Luiz Alberto Beig Imperador explica que os gatos mesclam o instinto felino independente e a adaptação doméstica, o que faz com que eles sejam animais rotineiros e não gostam de mudanças bruscas. 


“Assim, de maneira geral, estranham a mudança e podem levar algumas semanas para se adaptarem a um novo ambiente. Dessa forma, se houver dificuldades na adaptação dos gatinhos aos novos lares, não há razão para alarme, isso é comum e tende a melhorar com o tempo”, explica. 

Se já se passaram algumas semanas e seu gato não voltou a ser como era antes, Imperador diz que o animalzinho pode estar estressado e precisa de ajuda, pois não está se adaptando bem à mudança. 

Os clássicos sintomas de estresse em gatos são: necessidades fora da caixa, perda de apetite, alterações repentinas nos hábitos além de apatia.

Os gatos expressam o que está sentindo no comportamento
Banco de imagens/Pixabay

Os gatos expressam o que está sentindo no comportamento


Como deixar a nova casa mais agradável para eles?

Para que seu pet não fique tão estressado e se adapte melhor, mantenha alguns objetos antigos da casa e do felino. Esses animais têm um olfato muito aguçado e, por isso, é importante para eles terem alguns objetos com o cheirinho do antigo lar. 

Leia Também:  Gatos precisam de atenção especial ao mudar para uma casa nova; entenda

“Manter os objetos antigos do felino, que possuam o cheiro dele como a cama, e outros objetos com que ele se identifique, como seu comedouro, sua caixa de areia, seus brinquedos e afins, é uma boa estratégia para que ele reconheça esse novo espaço como lar. O felino se sente seguro por ter um elemento de identificação e seguridade”, disserta o especialista. 

Outra dica que pode ajudar muito o seu gatinho na adaptação ao novo lar é o uso de feromônios. Sabe quando os felinos se “esfregam” em coisas ou pessoas? Eles fazem isso para liberar esse conjunto de substâncias que dão a “química” da atração sexual para marcar o cheiro. 

“Esses feromônios são muito importantes para identificação e comunicação com território e com as pessoas. Vale ressaltar que, mesmo que eles sejam importantes, os gatos também precisam de disciplina, ou seja, não podem fazer suas necessidades em qualquer lugar.”

Essas substâncias são facilmente encontradas em lojas especializadas em animais e o tutor pode espirrar pelo ambiente para ajudar a adaptação do gatinho à nova casa.

Fonte: IG PET

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA