PET

Gatos precisam de atenção especial ao mudar para uma casa nova; entenda

Publicados

em


source
Os gatos são companheiros carinhosos e fiéis para todos os momentos
Photo on Visual Hunt

Os gatos são companheiros carinhosos e fiéis para todos os momentos











Mudar de casa não é cansativo só para os humanos, mas também para os animais de estimação, principalmente os felinos. Por terem um temperamento mais forte, os gatos levam mais tempo para se adaptar ao novo lar e precisam de ajuda para se adaptarem. 

Você viu?

O veterinário Luiz Alberto Beig Imperador explica que os gatos mesclam o instinto felino independente e a adaptação doméstica, o que faz com que eles sejam animais rotineiros e não gostam de mudanças bruscas. 


“Assim, de maneira geral, estranham a mudança e podem levar algumas semanas para se adaptarem a um novo ambiente. Dessa forma, se houver dificuldades na adaptação dos gatinhos aos novos lares, não há razão para alarme, isso é comum e tende a melhorar com o tempo”, explica. 

Se já se passaram algumas semanas e seu gato não voltou a ser como era antes, Imperador diz que o animalzinho pode estar estressado e precisa de ajuda, pois não está se adaptando bem à mudança. 

Os clássicos sintomas de estresse em gatos são: necessidades fora da caixa, perda de apetite, alterações repentinas nos hábitos além de apatia.

Os gatos expressam o que está sentindo no comportamento
Banco de imagens/Pixabay

Os gatos expressam o que está sentindo no comportamento


Como deixar a nova casa mais agradável para eles?

Para que seu pet não fique tão estressado e se adapte melhor, mantenha alguns objetos antigos da casa e do felino. Esses animais têm um olfato muito aguçado e, por isso, é importante para eles terem alguns objetos com o cheirinho do antigo lar. 

Leia Também:  Polícia investiga paradeiro do ‘maior coelho do mundo’: recompensa de R$ 15 mil

“Manter os objetos antigos do felino, que possuam o cheiro dele como a cama, e outros objetos com que ele se identifique, como seu comedouro, sua caixa de areia, seus brinquedos e afins, é uma boa estratégia para que ele reconheça esse novo espaço como lar. O felino se sente seguro por ter um elemento de identificação e seguridade”, disserta o especialista. 

Outra dica que pode ajudar muito o seu gatinho na adaptação ao novo lar é o uso de feromônios. Sabe quando os felinos se “esfregam” em coisas ou pessoas? Eles fazem isso para liberar esse conjunto de substâncias que dão a “química” da atração sexual para marcar o cheiro. 

“Esses feromônios são muito importantes para identificação e comunicação com território e com as pessoas. Vale ressaltar que, mesmo que eles sejam importantes, os gatos também precisam de disciplina, ou seja, não podem fazer suas necessidades em qualquer lugar.”

Essas substâncias são facilmente encontradas em lojas especializadas em animais e o tutor pode espirrar pelo ambiente para ajudar a adaptação do gatinho à nova casa.

Fonte: IG PET

Propaganda

PET

Guia de Raças: Cavalier King Charles Spaniel, raça digna de realeza!

Publicados

em


source
Cavalier king charles spaniel
Pixabay

Cavalier king charles spaniel


Conhecida por seu temperamento bastante sociável e carinhoso, a raça era muito querida pela realeza, especialmente pela rainha escocesa Maria I  e posteriormente entre aristocratas ingleses. Uma variação dos cães spaniel, sua origem vem do cruzamento com cães de menor porte vindos da China, como o pug.

Seu longo nome se deve aos reis Charles I e II, que amavam esses cãezinhos, e a uma homenagem feita ao criador da raça Charles B. Stuart. O amor da realeza pelos cães dessa raça era tanto que o rei Charles II chegou a assinar um decreto que permitia a presença desses cães em lugares públicos, até mesmo no parlamento.

Na mídia, a raça também ficou popular por sua participação no seriado “Sex and the City”, sendo pet da personagem Charlotte York, interpretada pela atriz Kristin Davis.

Comportamento

Os cavalier king charles spaniel (repita 10 vezes), são dóceis e bem ativos, são perfeitas companhias para pessoas de qualquer idade. Eles também são ativos o bastante para brincar com crianças e calmos o suficiente para ficar no colo da vovó por longas horas, sendo também ótimos cães para terapias. Além disso, também são bastante sociáveis com outros animais de estimação.

Algo que vale ressaltar é que esse comportamento dócil e apegado aos tutores faz deles também animais muito carentes, portanto vão querer estar sempre ao lado dos tutores. Deixá-los para fora não será uma boa ideia, pois podem ficar deprimidos.

Você viu?

Características físicas

Cavalier king charles spaniel
Pixabay

Cavalier king charles spaniel

Com porte pequeno, pode chegar a até 33 cm, pesando entre 5 e 8 kg. Eles podem viver confortavelmente em casas grandes ou apartamentos. É recomendado atividades físicas diárias, como passeios de, ao menos, 30 minutos, para gastar a energia do pet e evitar problemas com sobrepeso. Para isso, também vale se atentar a alimentação do pet, que desse ser adequada.

São quatro variações de cores reconhecidas para a raça, sendo: preto e dourado; rubi; blenheim (manchas marrons com fundo branco) e tricolor (preto, branco e marrom).

Leia Também:  Giovanna Ewbank compartilha fotos agarradinha a nova pet e encanta web

Seus pelos são lisos e sedosos, mais longos nas regiões das orelhas e da cauda que devem ser escovados ao menos três vezes por semana, com uma escova adequada. Também será necessário aparar a região próxima aos olhos com frequência e com alguma periodicidade no resto do corpo.

Banhos serão necessários apenas uma vez ao mês, ou quando achar necessário. Esteja atento a escolher shampoos adequados para raça. Tenha também bastante cuidado na região das orelhas, pois sua pelagem pode acumular umidade e devem ser limpas ao menos uma vez por semana, com bastante cuidado, para evitar possíveis infecções. O recomendável é sempre buscar orientação com um médico veterinário de confiança.

Saúde

Cavalier king charles spaniel
Pixabay

Cavalier king charles spaniel

O cavalier spaniel pode sofrer com problemas de displasia do quadril, algo que pode aparecer em vários cães da raça. Ao longo de sua vida pode sofrer com sopro no coração, apresentando cansaço, tosse e língua roxa. Por isso é indicado o uso de arnês em vez de coleiras.

Infelizmente a raça está propensa a diversas doenças hereditárias, como problemas na coluna. Destaque para a siringomielia, uma condição bastante grave e dolorosa para o pet e estima-se que 33% dos cavaliers sofram desse mal. Por isso, é altamente necessário que se tenha um acompanhamento veterinário para esses cãezinhos desde filhotes.

Fonte: IG PET

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA