PET

Tudo o que você precisa saber sobre o adestramento com coleira eletrônica

Publicados

em


source

O uso da coleira eletrônica nos pets ainda é bastante controverso. Isso porque muita gente ainda acredita que o adestramento com o acessório é muito agressivo, chegando a ser até torturante para o bichinho. Porém, de acordo com o adestrador André Almeida, do Adestramento Comportamental, o método é eficiente e seguro, desde que feito de maneira correta.

De acordo com o especialista, o preconceito com o adestramento usando a coleira eletrônica é devido a maus profissionais, sem experiência o suficiente nem conhecimento da ferramenta, que utilizaram de maneira incorreta o acessório no animal.

“O colar não é utilizado para ensinar o cão, senão vira algo punitivo e o cachorro não aprende dessa forma. A informação errada passada por esses maus profissionais foi o que trouxe muitos problemas”, explica.

Cãozinho usando coleira eletrônica
Reprodução/Amazon

A coleira eletrônica é segura e eficaz para o pet, mas precisa ser usada corretamente

André conta que a coleira eletrônica era usada geralmente por pessoas que queriam uma mudança imediata no comportamento do cão. Utilizavam o acessório para causar o desconforto no animal. “Automaticamente o cachorro chorava, fugia, gritava e isso traumatizava ele. Não é a forma correta de lidar com a ferramenta”, alerta.

Leia Também:  Abrigo para animais é reconstruído após forte tempestade

Outra coisa são as formas de intensidade de choque da coleira eletrônica que também podem ser usadas de maneira incorreta. Os animais são mais sensíveis que os seres humanos e começam a sentir o equipamento em níves menores de intensidade. Geralmente ela deve ser menor do que o nível 4 ou será muito desconfortante para o pet. Os humanos podem aguentar até 20 níveis de intensidade, portanto testes nesses indivíduos não devem ser levados em conta.

Em alguns casos, em que a punição ao comportamento do cão é a única saída. Nesses casos é essencial que seja feito um reforço positivo após o choque. “Atendi uma casa em que os cães brigavam muito, toda semana eles estavam todos machucados. Entramos com a punição e quando eles paravam de brigar, reforçávamos aquele comportamento de forma positiva, com atividades prazerosas, como passeios, brinquedos, petiscos, etc”, conta.

O adestrador ainda explica que todas as raças podem fazer o adestramento com a coleira eletrônica. O que muda será a sensibilidade de cada pet. É necessário ser feita uma associação do equipamento no cão antes de começar a utilizar para ele não associar que é o acessório que faz isso. Várias opções devem ser testadas no bichinho antes de chegar nessa ferramenta. 

Leia Também:  Cão comemora aniversário todos os anos, e dona já rifou Fusca para pagar festa

O adestrador ainda fala um pouco mais sobre como a coleira eletrônica funciona no pet e algumas outras informações técnicas do equipamento no vídeo abaixo. Confira.



Fonte: IG PET

Propaganda

PET

De Game of Thrones a Senhor dos Anéis: conheça os gatos que fazem cosplay

Publicados

em


source

Fazer os pets entraram no  clima de Halloween pode ser uma tarefa difícil para bichinhos inquietos. No entanto, isso não foi um problema para Freyu, 37, que desenha fantasias de cosplay para Fawkes, Nak e Pike, seus gatinhos.


gatinho cosplay
Monstagem/Freyu

Os gatinhos chamaram atenção por suas fantasias temáticas


Tudo começou quando Freyu desenhou fantasias para seus gatos comparecerem caracterizados em festas temáticas em Seattle, nos Estados Unidos. Os visitantes gostaram tanto das roupinhas que Freyu continuou fazendo mais, enquanto sua noiva começou a produzir o fundo das fotos para colocar os bichinhos no clima da fantasia.

Desde então, foram recriadas caracterizações de personagens de filmes como Piratas do Caribe, Homem Aranha e Senhor dos Anéis, e séries como Game Of Thrones e Stranger Things; além de personalidades de games ou famosos do mundo real. Veja algumas das melhores fantasias.


Freyu contou ao jornal Daily Mail que seus gatos já foram fantasiados com mais de 200 roupas diferentes e que eles realmente não se incomodam com as roupas. “Nós começamos com coisas pequenas que não atrapalhavam seus movimentos e que foram vistas por eles como recompensas por alguma coisa”, conta sobre o início.

Leia Também:  De Game of Thrones a Senhor dos Anéis: conheça os gatos que fazem cosplay

Freyu conta que apesar de hoje em dia os gatos fazerem poses, levou tempo e muito treinamento até que eles se tornassem verdadeiros modelos. Ele considera que Fawkes é o mais profissional, já que ele conhece uma série de comandos.

No entanto, o designer de roupas afirma que sempre quer deixar os pets confortáveis em suas fantasias. Caso contrário, os gatos são capazes de arrancar as roupas com suas garras. “O tamanho precisa ser perfeito”, disse.

Fonte: IG PET

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA