PET

“Vou ter que abrir o portão e jogar eles na rua”, diz protetora sobre pets

Publicados

em


source

Gisela Almeida, 55 anos, é protetora animal já há uma década. Durante esse tempo conciliava o trabalho na área do telemarketing com amor pelos animais, acolhendo e cuidando de bichinhos que foram abandonados. Ao perder o emprego ela viu sua vida virar de ponta cabeça e agora luta para manter seus 24 pets. Ela criou uma vaquinha on-line, por onde busca arrecadar R$ 18 mil e continuar cuidando deles.

Gisela morava em Niterói, Rio de Janeiro, mas vive há um ano e quatro meses no município de Maricá, para onde se mudou em busca de um local melhor para seus pets. “Me mudei pra cá porque vivia em uma vizinhança não tão boa para os animais, dava muito problema e eu tinha muitos animais. Aqui tem muito protetor, veterinário, a vizinhança é melhor para os cães”, conta.

A protetora atualmente vive apenas com o dinheiro do Auxílio Emergencial, que não é suficiente para sustentar ela e os 24 animais. Ela recebe ajuda de amigos, que têm doado alimentos para ela e ração para os cães e gatos. Agora há uma ordem de despejo para que ela deixe o local onde está morando. Ela  tem até novembro para se mudar. 

Alguns dos animais de Gisela
Gisela

Alguns dos animais de Gisela

O local agora possui apenas 600 metros quadrados. Por falta de instalações adequadas, seus animais acabam vivendo presos, o que pode gerar brigas entre eles derivadas de um maior estresse. “O espaço é bom, tem mil metros quadrados, mas eu não tenho condições de construir algo adequado para abrigá-los mais”. 

Cão sentado no chão acorentado
Gisela

Um dos pets que vivem no local


Espaço precário para os pets
Gisela

Espaço precário para os pets


Novo espaço para os pets

Ela conseguiu um novo local em São Lourenço, onde precisa se mudar até novembro. Para isso acontecer, os canis e gatis para todos os animais precisam estar prontos. “O que eu realmente preciso é o dinheiro da construção do espaço dos animais na nova casa”. O orçamento da mão-de-obra para a construção dos espaços é de R$ 8 mil. O restante seria para os materias como cimento, tijolos, areia, etc. 

Leia Também:  Cãozinho sempre estraga fotos em família e cria momentos fofos e engraçados

“Eu não sei o que fazer se não conseguir o dinheiro, vou ter que abrir o portão e jogar eles na rua”, conta. “Eu sei que tem gente que se aproveita, não é nem o dinheiro que me interessa, se quiser pode até entrar em contato comigo e a gente combina de doar os materiais”.

Local novo para os pets
Gisela

Local novo para os pets


Dificuldades no seu próprio sustento

Gisela ainda conta que dedica sua vida aos animais e que o dinheiro para a construção dos canis seria bom para ela conseguir até mudar de vida. “Eu passo 24 horas do meu tempo aqui em casa com eles, pois tenho medo de se machucarem, machucarem uns aos outros, além de dar comida, remédio, cuidados o tempo todo”.

Com o local adequado ela conta que poderia tentar até voltar ao mercado de trabalho e poder se sustentar de novo. Além disso, a protetora sofre com uma escoliose grave, que não tem tempo nem condições de tratar. Um novo emprego poderia possibilitar que ela cuidasse da própria saúde. 

Leia Também:  Conheça o gatinho que se comporta igualzinho os irmãos caninos

Mesmo com os problemas, ela não tem interesse nenhum de parar de cuidar dos animais e espera obter sucesso com doações. “É minha última esperança, já tentei levar até em ONGs de animais, mas ninguém aceita, não tenho intenção nenhuma de desfazer dos meus animais e nem de doar, até porque eles já são todos adultos. Mas preciso do dinheiro para continuar fazendo isso”, diz.

Você pode contribuir com a vaquinha on-line  clicando aqui  ou por meio de doações na conta da protetora.

Conta Fácil Caixa
Agência: 0175
Operação: 0 23
Conta: 3137-4
Gisela C de Almeida

Telefone: (21) 96645-4648.

Fonte: IG PET

Propaganda

PET

Você consegue encontrar o gato na foto? Veja camuflagem perfeita do bichano

Publicados

em


source

O famoso grupo do Facebook “Catioro Reflexivo” entrou em colapso na última semana. Isso porque, Alessandra Ribeiro, publicou uma foto de uma das partes da cozinha de sua casa com o seguinte desafio: encontrar Chiquinho, o gato dela, completamente camuflado no cômodo.

“O bicho pau e o camaleão perdem pro Chiquinho, o rei da camuflagem”, escreveu ela na publicação. A foto possui mais de 400 comentários dos membros do grupo tentando descobrir onde estava o gato. “Não achei. Só vi porque li alguém comentando aqui onde estava”, “Caraca muito difícil, demorei para achar” e “Alguém me ajuda, por favor”, foram três dos muitos comentários.

Gato preto escondido em pia da cozinha
Reprodução/ Facebook

Você consegue encontrar o gato na foto?

Ao site The Dodo, Alessandra Ribeiro contou que Chiquinho adora se esconder nos lugares e que ela fica surpresa com alguns lugare em que ela o encontra. Além disso, a dona pontuou que o felino é a alegria da vida dela que quando não está a fazendo morrer de rir, está lhe dando muito amor e carinho.

Leia Também:  Cãozinho que sempre está sorrindo conquista internautas

E aí? Conseguiu encontrar o gato? A gente te dá uma mãozinha. Chiquinho é preto e acabou se camuflando com o mármore da pia da cozinha. Confira abaixo uma foto aproximada.

Chiquinho camuflado
Reprodução/ Facebook

Chiquinho camuflado



Fonte: IG PET

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA