Polícia Civil MT

Polícia Civil cumpre mandado contra suspeito de homicídio de comerciante em Juína

Publicado

Assessoria/PJC-MT 

Policiais civis de Juína cumpriram na quarta-feira (23.10) um mandado de prisão preventiva em desfavor de Adriano Soares dos Santos, suspeito pelo homicídio praticado contra Cláudio Adão da Silva. O suspeito foi preso em uma casa no bairro Módulo 6 por força de mandado expedido pela 3a Vara Criminal de Juína.

Cláudio Adão permaneceu internado por quase 20 dias em uma unidade de terapia intensiva, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no dia 16 de outubro.

Durante investigações, equipes da Delegacia Municipal de Juína lideradas pelo delegado Marco Bortolotto Remuzzi, chegaram à participação do suspeito no crime. Outros dois menores de idade também foram apontados por participação no crime que culminou na morte de Cláudio Adão.

No dia 29 de setembro, a polícia foi acionada para atender uma ocorrência de tentativa de homicídio no bairro Vila Operária, onde um homem sofreu ferimentos de arma cortante. No local, os policiais apuraram que a vítima já havia sido encaminhada ao hospital da cidade. Dois adolescentes, menores de idade, que estavam em uma moto e tentaram fugir ao ver os policiais chegando ao local do crime, foram apontadas por pessoas que estavam próximas ao local do crime como participantes da ocorrência. Os policiais também apreenderam um canivete com marcas de sangue.

Leia mais:  Polícia Civil prende três pessoas por participação em roubo a residência de VG

Ao ser interrogada pelos policiais no hospital, a vítima também apontou a participação do suspeito.

O suspeito Adriano Soares foi interrogado pelo delegado Marco Remuzzi e negou a participação no crime, afirmando que estava no local e viu apenas uma briga.

Ele foi encaminhado ao Centro de Detenção Provisória de Juína, onde permanecerá à disposição da justiça.

 

Comentários Facebook
publicidade

Polícia Civil MT

Polícia Civil deflagra operação contra grupo envolvido na venda de drogas modalidade delivery

Publicado

Assessoria | PJC-MT

A Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE), da Polícia Judiciária Civil, deflagrou na manhã desta quarta-feira (11.12), a operação “Deliveryman”, com objetivo de dar cumprimento a 24 ordens judiciais, entre mandados de busca e apreensão e de prisão, relacionados à venda de drogas, na modalidade “disque entrega”.

Os mandados judiciais, sendo oito ordens de prisão e 16 de busca e apreensão, foram expedidos pela 13ª Vara Especializada de Delitos Tóxicos de Cuiabá e são cumpridos nas cidades de Cuiabá e Várzea Grande, visando à desarticulação do grupo envolvido com o esquema.

Além dos mandados, foi pedido pelo bloqueio judicial de mais de R$ 50 mil das contas dos investigados e o trabalho de buscas visa à apreensão de bens adquiridos com atividade ilícita.

A ação conta com a participação de 64 policiais civis da DRE, Gerência Estadual de Polinter e Capturas (Gepol) e Gerência de Operações Especiais (GOE).

As investigações iniciaram no mês de junho deste ano, após análise de denúncias sobre a comercialização de entorpecentes em sistema “delivery”, quando o usuário solicita a substância por telefone e recebe no local combinado para entrega.

Leia mais:  Policiais civis no interior dão apoio operacional à Operação Fake Paper

Durante as investigações, foi constatada a intensa comercialização de drogas nessa modalidade, demonstrando que as entregas eram realizadas nos arredores de escolas, faculdades, bairros de classe média-alta, condomínios de luxo, Centro Político Administrativo, motéis, restaurantes, entre outros locais. 

Aos interessados, mais informações e imagens serão passadas pelos delegados, Vitor Hugo Bruzulato Teixeira e Wilson Cibusky,  às 9 horas, na DRE, no endereço Rua Havana, nº 215 – Bairro Jardim das Américas – Região Leste Cuiabá/MT.

 

 

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Polícia Civil MT

Foragido da justiça por matar ex-namorada tem prisão cumprida em Manaus

Publicado

Assessoria | PJC-MT

O autor de homicídio contra a ex-namorada, ocorrido no ano de 2012 em Cuiabá, teve o mandado de prisão cumprido pela Polícia Judiciária Civil, após ter seu paradeiro identificado em investigações da Gerência Estadual de Polinter e Capturas (Gepol). O suspeito foi localizado em Manaus (AM) com apoio da Polícia Civil do Amazonas.

As diligências em busca do foragido da justiça iniciaram após equipe de policiais civis da Polinter receber a ordem de prisão de Jeanderson Xavier Rangel, 31, conhecido por “Jejé” ou “Jeazinho”.

O mandado de prisão foi expedido pela 2ª Vara Criminal da Capital, no último dia 29 de novembro, e com pouco mais de uma semana após receber a determinação judicial os policiais do Núcleo de Inteligência da Polinter identificaram o paradeiro do procurado da justiça. Após minucioso trabalho de coleta de dados, o suspeito foi localizado na região Norte do País, no município de Jacareacanga, Sudoeste do Estado do Pará onde estava trabalhando na extração de minério como garimpeiro.

Leia mais:  Alunos do projeto Judô e Vida conquistam 1º e 3º lugar nos Jogos da Juventude

Segundo as investigações, no ínicio da semana, Jeanderson Rangel viajou para a capital do Estado do Amazonas; fazendo uso de documentos falsos. Em continuidade aos trabalhos de monitoramento, na manhã desta terça-feira (10.12), os policiais da Polinter solicitaram apoio para captura aos policiais civis Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Draco) da Polícia Civil do Amazonas.

Com base nas informações passadas, o foragido Jeanderson foi preso na região no Centro Sul da capital Manaus, no Conjunto Parque das Laranjeiras, bairro das Flores onde estava refugiado.

Entenda o caso

Réu confesso, em julho de 2014, Jeanderson Xavier Rangel foi submetido a juri popular na comarca de Cuiabá e após mais de oito horas de julgamento foi sentenciado e condenado a quarenta e três anos e dez meses de prisão, apontado como autor dos disparos que tiraram a vida de sua ex-namorada; a acadêmica de direito Ariely Lopes da Silva, 20, e do filho dela de apenas 4 anos de idade. O crime ocorreu no bairro Serra Dourada em Cuiabá em novembro de 2012.

Leia mais:  Policiais civis no interior dão apoio operacional à Operação Fake Paper

Depois de condenado pela justiça passou a cumprir pena no Sistema Prisional do Estado conseguiu autorização para realizar trabalhos extramuros. Na tarde de 15 de fevereiro de 2016, enquanto trabalhava nas obras da Penitenciária Feminina Ana Maria do Couto May empreendeu fuga e desde então seu paradeiro era desconhecido.

Natural de Ariquemes, Rondônia, o preso Jeanderson Xavier Rangel ficará recolhido temporariamente junto ao Departamento Penitenciário do Estado do Amazonas até posteriores determinações da justiça que venham a ensejar sua remoção para o Estado de Mato Grosso onde deverá cumprir o restante da pena privativa de liberdade.

Fonte: PJC MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Momento MT

Momento Nacional

Momento Esportes

Momento Entretenimento

Mais Lidas da Semana