POLÍCIA FEDERAL

PF cumpre novo mandado de prisão com prova de DNA

Publicados

em


.

Curitiba/PR- A Polícia Federal cumpriu na tarde da sexta-feira (4/9), com apoio do DEPEN/PR, mandado de prisão preventiva contra indivíduo suspeito de participar de roubo contra veículo de SEDEX dos Correios, em 17.09.2019, no bairro Sítio Cercado.

Com relação ao suspeito preso, este é o segundo mandado de prisão preventiva cumprido contra ele em menos de dois anos. No ano de 2018, o mesmo indivíduo foi preso preventivamente após serem apresentados indícios da prática do crime de roubo qualificado contra os correios, em outubro de 2017.

Na ocasião da prisão, foi coletado seu DNA e inserido no banco federal de perfis genéticos, após autorização judicial.

O DNA coletado na época da primeira prisão (2018) fez com que o mesmo indivíduo fosse identificado pela prática do crime cometido contra os Correios em 2019, após seu perfil genético ser encontrado no veículo que teve seus objetos postais roubados.

O crime ocorreu de forma violenta, com uso de arma de fogo e com restrição da liberdade do carteiro, que foi mantido dentro do baú do veículo dos correios durante o assalto.

Leia Também:  PF e FAB interceptam aeronave utilizada no transporte de drogas

O mandado judicial foi expedido pela 23ª Vara da Justiça Federal de Curitiba/PR.

O preso será indiciado pelo crime de roubo qualificado, cuja pena pode ultrapassar 15 anos de prisão.

 

Comunicação Social da Polícia Federal em Curitiba/PR

[email protected]

Contato: 41-3251-7813

Propaganda

POLÍCIA FEDERAL

PF combate garimpo ilegal em terras indígenas no Pará

Publicados

em


.

Santarém/PA – A Polícia Federal deflagrou, na última sexta-feira (25/9), a segunda fase da Operação Bezerro de Ouro com objetivo de reprimir garimpo ilegal de ouro no interior da Terra Indígena Munduruku. A ação está no contexto da Operação Verde Brasil 2, assim sendo, um conjunto de atividades estruturadas focadas na proteção e preservação da Amazônia e demais biomas, bem como das Terras Indígenas (TI).

Participaram da operação cerca de 30 policiais federais. A operação também contou com o essencial apoio logístico da Força Aérea Brasileira e do Exército Brasileiro. No mesmo sentido, houve participação de equipe do IBAMA em fiscalizações no interior da Terra Indígena.

As investigações foram realizadas com o auxílio do sistema de monitoramento remoto contratado pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, o programa Brasil M.A.I.S, que possibilita o acesso a imagens de alta resolução e alertas diários de detecção de mudanças ambientais com acompanhamento por satélite, o que permitiu a rápida localização das áreas de exploração ilegal.

A PF esclarece que a legislação brasileira não permite a obtenção de lavras garimpeiras dentro de áreas demarcadas como Terra Indígena, dessa forma os garimpos, dentro de tais áreas, como os alvos dessa operação, são considerados ilegais. 

Leia Também:  Operação conjunta da Polícia Federal e Receita Federal realiza nova apreensão de cocaína no Porto de Paranaguá

Durante a ação, que durou quatro dias, a PF foi extremamente bem recebida pelos índios Munduruku. Por três dias seguidos, sexta, sábado e domingo, a PF partiu de helicóptero para três grandes áreas de garimpo mapeadas dentro da Terra Indígena Munduruku. Ao final foram inutilizados 20 maquinários de garimpos entre pá carregadeiras (PC), tratores e outros. A PF estima um dano de ambiental de aproximadamente de R$ 8 milhões, referente ao período de seis meses.

 

Bezerro de Ouro 01

Dia 6/8, a Polícia Federal deflagrou a primeira fase dessa operação, cumprindo seis mandados de busca e apreensão e sequestro de bens contra um grupo apontado como um dos principais atuantes no garimpo ilegal na região.

 

Comunicação Social da Polícia Federal em Belém

Telefone: (91) 3214-8029 / 984222396
E-mail: [email protected]pf.gov.br

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA