POLÍCIA FEDERAL

PF deflagra a 3ª fase da Operação Teseu para desarticular esquemas de lavagem de dinheiro do narcotráfico

Publicados

em


.

Campo Grande/MS – A Polícia Federal deflagrou hoje (27/8) a terceira fase da denominada Operação Teseu, com o objetivo de desarticular organização criminosa composta por uma rede de empresas dedicadas à lavagem e ocultação de bens e valores para narcotraficantes atuantes na região de fronteira seca entre o Brasil e o Paraguai.

Ao todo, cerca de 40 policiais cumprem 7 mandados de busca e apreensão, expedidos pela 3ª Vara Federal de Campo Grande/MS, em endereços localizados em Ponta Porã, e nas cidades paulistas de Nova Granada, Valinhos e Ribeirão Preto.

Nas fases anteriores da operação Teseu, foram identificadas várias transações financeiras suspeitas que revelaram a existência de uma sofisticada rede de empresas utilizada pelos líderes da Organização Criminosa para o financiamento de suas despesas pessoais, dissimulando a origem e a movimentação dos recursos oriundos do tráfico de drogas.

Como resultado das investigações, foi decretado o sequestro de sete imóveis pertencentes aos envolvidos, bem como o bloqueio de contas bancárias de pelo menos treze pessoas físicas e jurídicas. Além disso, quatro empresas tiveram suas atividades econômicas suspensas cautelarmente em razão dos indícios de se tratarem de “lavanderias de dinheiro”.

Leia Também:  PF combate facilitação na regularização fundiária no Amapá

As ações reforçam a diretriz de atuação da Polícia Federal relativa à desestruturação das grandes organizações criminosas por meio de sua descapitalização e da responsabilização penal de seus integrantes, sobretudo seus líderes.

Por suas condutas, os investigados poderão ser indiciados pela prática dos crimes de organização criminosa (art. 2º da Lei nº 12.850/2013), lavagem de capitais (art. 1º da lei 9.613/1998) e evasão de divisas (art. 22, parágrafo único da lei 7492/1986), cujas penas somadas podem ultrapassar 24 anos de reclusão.

Deflagração Simultânea – A terceira fase da Operação Teseu está sendo deflagrada simultaneamente com a Operação Pavo Real, também da Polícia Federal, a qual visa a desmantelar financeiramente outra organização criminosa que também atua na lavagem de capitais oriundos do narcotráfico, em relação à qual também foram cumpridos mandados no dia de hoje no Mato Grosso do Sul e outros estados.

A Polícia Federal ressalta que, em razão da situação de pandemia da COVID-19, foi planejada uma logística especial de prevenção ao contágio, com distribuição de EPIs a todos os envolvidos na missão, a fim de preservar a saúde dos policiais, testemunhas, investigados e seus familiares.

Leia Também:  PF deflagra Operação Carne de Panela para combater a caça ilegal de animais silvestres

 

Comunicação Social da Polícia Federal em Mato Grosso do Sul

Contato: (67) 3368-1105
E-mail: [email protected]

 

*** A Operação foi batizada “Teseu” em alusão ao herói grego que, segundo a mitologia, derrotou a figura mítica de Minotauro, monstro que assolava a ilha de Creta.

Propaganda

POLÍCIA FEDERAL

PF combate facilitação na regularização fundiária no Amapá

Publicados

em


.

Macapá/AP – A Polícia Federal deflagrou na manhã desta sexta-feira (18/9) a Operação Capitania Hereditária*, com objetivo de desarticular organização criminosa especializada em regularização fundiária ilegal, no Amapá.

Cerca de 20 policiais federais dão cumprimento a cinco mandados de busca e apreensão e um de afastamento de função pública, em Macapá/AP.

As investigações apontaram a prática de inserção de dados ideologicamente falsos de imóveis rurais pertencentes à União, atribuindo-os a particulares, no Sistema de Gestão Fundiária (SIGEF).

Os investigados irão responder, na medida de suas responsabilidades, pelos crimes de falsidade ideológica, inserção de dados falsos no sistema de informações, invasão de terras públicas da União e organização criminosa. Se condenados, as penas poderão chegar a 30 anos de reclusão.

 

Comunicação Social da Polícia Federal no Amapá

[email protected]

www.pf.gov.br

 (96) 3213-7602

 

*Capitania Hereditária – lotes de terra nos quais o governo português decidiu dividir o Brasil para facilitar a colonização

Leia Também:  PF deflagra segunda fase da Operação Snack Zero
Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA