POLÍCIA FEDERAL

PF deflagra operação contra crimes fundiários no Amapá

Publicados

em


Macapá/AP – A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quarta-feira (14/10), a  Operação Promotor Fidei, com objetivo de desarticular organização criminosa que atua na fraudes de processos de regularização fundiária de terras da União, no Amapá.

Cerca de 20 policiais federais dão cumprimento a dois mandados de prisão preventiva e a quatro mandados de busca e apreensão, na cidade de Macapá/AP e Tartarugalzinho/AP, além da suspensão do exercício da atividade de advocacia de investigados.

Segundo as investigações, decorrente da análise de material probatório coletado na deflagração da Operação Terra do Nunca II, as fraudes ocorriam pelo uso indevido da atividade de advocacia, que operacionalizava de forma ilícita a aquisição de terras públicas e regularização de planos de manejo florestais.

Os investigados poderão responder, na medida de suas responsabilidades, por falsidade ideológica, invasão de terra pública, organização criminosa e registro fraudulento de posse. Se condenados, as penas poderão chegar a 22 anos de reclusão.

 

Comunicação Social da Polícia Federal no Amapá

Leia Também:  Polícia Federal incinera mais de 400 kg de entorpecentes

Contato: [email protected]

www.pf.gov.br

 (96) 3213-7500

 

 

***Faz referência ao Promotor da Fé (Latim Promotor Fidei). Antigamente, durante o processo de canonização pela Igreja Católica, havia um Promotor da Fé designado pela própria Igreja, cuja função era encarar com ceticismo o candidato à canonização, procurando lacunas e falhas no processo. Por exercer essa função o “promotor fidei” era popularmente conhecido como ” Advogado do Diabo”

Propaganda

POLÍCIA FEDERAL

PF investiga crime eleitoral no Crato/CE

Publicados

em


Juazeiro do Norte/CE – A Polícia Federal cumpriu nesta quinta-feira (29/10) um mandado de busca e apreensão (MBA) na cidade do Crato/CE, com o objetivo de apurar crime de captação ilícita de sufrágio, a popular compra de votos, inscrito no artigo 299 do Código Eleitoral, que prevê penas de até quatro anos de reclusão.

A investigação procura identificar possível distribuição de dinheiro para compra de votos. As investigações prosseguem para a apuração dos fatos.

Até o momento não houve prisão.

 

Comunicação Social da Delegacia da Polícia Federal em Juazeiro do Norte – CE

 Contato : (88) 9.9921-0625 / 3311-3232

Leia Também:  PF investiga esquema criminoso que funcionava na Assembleia Legislativa do Acre
Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA