POLÍCIA FEDERAL

PF deflagra segunda fase da Operação Snack Zero

Publicados

em


.

Vila Velha/ES – A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (16/9), em Cachoeiro de Itapemirim, a segunda fase da Operação Snack Zero, com o objetivo de apurar a suspeita de desvio de recursos públicos que eram destinados à merenda escolar.

Foram cumpridos quatro mandados de busca, expedidos pela Justiça Federal, em residências de funcionários públicos municipais, empresários e na Secretaria Municipal de Educação.

Foram apreendidos documentos e mídias eletrônicas, que serão objeto de análise posterior.

A primeira fase da Operação Snack Zero ocorreu no ano 2019.

Não haverá entrevista coletiva.

 

Comunicação Social da Polícia Federal no Espírito Santo
Telefone: (27) 3041-8051/8029

Leia Também:  PF deflagra Operação Hora Extra no Espírito Santo
Propaganda

POLÍCIA FEDERAL

PF combate garimpo ilegal em terras indígenas no Pará

Publicados

em


.

Santarém/PA – A Polícia Federal deflagrou, na última sexta-feira (25/9), a segunda fase da Operação Bezerro de Ouro com objetivo de reprimir garimpo ilegal de ouro no interior da Terra Indígena Munduruku. A ação está no contexto da Operação Verde Brasil 2, assim sendo, um conjunto de atividades estruturadas focadas na proteção e preservação da Amazônia e demais biomas, bem como das Terras Indígenas (TI).

Participaram da operação cerca de 30 policiais federais. A operação também contou com o essencial apoio logístico da Força Aérea Brasileira e do Exército Brasileiro. No mesmo sentido, houve participação de equipe do IBAMA em fiscalizações no interior da Terra Indígena.

As investigações foram realizadas com o auxílio do sistema de monitoramento remoto contratado pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, o programa Brasil M.A.I.S, que possibilita o acesso a imagens de alta resolução e alertas diários de detecção de mudanças ambientais com acompanhamento por satélite, o que permitiu a rápida localização das áreas de exploração ilegal.

A PF esclarece que a legislação brasileira não permite a obtenção de lavras garimpeiras dentro de áreas demarcadas como Terra Indígena, dessa forma os garimpos, dentro de tais áreas, como os alvos dessa operação, são considerados ilegais. 

Leia Também:  PF prende foragidos em grupo de deportados em Minas Gerais

Durante a ação, que durou quatro dias, a PF foi extremamente bem recebida pelos índios Munduruku. Por três dias seguidos, sexta, sábado e domingo, a PF partiu de helicóptero para três grandes áreas de garimpo mapeadas dentro da Terra Indígena Munduruku. Ao final foram inutilizados 20 maquinários de garimpos entre pá carregadeiras (PC), tratores e outros. A PF estima um dano de ambiental de aproximadamente de R$ 8 milhões, referente ao período de seis meses.

 

Bezerro de Ouro 01

Dia 6/8, a Polícia Federal deflagrou a primeira fase dessa operação, cumprindo seis mandados de busca e apreensão e sequestro de bens contra um grupo apontado como um dos principais atuantes no garimpo ilegal na região.

 

Comunicação Social da Polícia Federal em Belém

Telefone: (91) 3214-8029 / 984222396
E-mail: [email protected]pf.gov.br

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA