POLÍCIA FEDERAL

PF prende quadrilha que assaltou Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre/RS

Publicados

em


.

Porto Alegre (RS) – A Polícia Federal deflagrou na quarta-feira, 9/9, a Operação Cavalo de Troia, que reprime crimes patrimoniais contra os interesses da União. Policiais federais participam do cumprimento de dois mandados de busca (Porto Alegre e Alvorada) e quatro mandados de prisão (sendo um deles no sistema prisional).

A ação de hoje visa o cumprimento das medidas judiciais expedidas referentes ao caso, bem como a coleta de evidências para composição do conjunto probatório.

Esta operação teve origem no dia primeiro de dezembro de 2018, quando uma quadrilha de assaltantes invadiu a sede da Secretaria Municipal de Saúde em Porto Alegre/RS. Quinze funcionários foram feitos reféns, enquanto os criminosos tentavam abrir cofres dos terminais de autoatendimento. Antes de concluir a ação, o bando desistiu e fugiu levando a arma e o colete balístico do vigilante.

O nome Cavalo de Troia se deve à forma como a quadrilha ingressou no prédio. Dois criminosos chegaram de forma dissimulada informando haver uma entrega para aquele endereço para então anunciar o roubo.

Leia Também:  PF apreende cerca de 10 toneladas de maconha, no âmbito da FICCO-UBERABA

 

Comunicação Social da Polícia Federal no Rio Grande do Sul

Fone: (51) 3235.9005

 

Propaganda

POLÍCIA FEDERAL

PF combate facilitação na regularização fundiária no Amapá

Publicados

em


.

Macapá/AP – A Polícia Federal deflagrou na manhã desta sexta-feira (18/9) a Operação Capitania Hereditária*, com objetivo de desarticular organização criminosa especializada em regularização fundiária ilegal, no Amapá.

Cerca de 20 policiais federais dão cumprimento a cinco mandados de busca e apreensão e um de afastamento de função pública, em Macapá/AP.

As investigações apontaram a prática de inserção de dados ideologicamente falsos de imóveis rurais pertencentes à União, atribuindo-os a particulares, no Sistema de Gestão Fundiária (SIGEF).

Os investigados irão responder, na medida de suas responsabilidades, pelos crimes de falsidade ideológica, inserção de dados falsos no sistema de informações, invasão de terras públicas da União e organização criminosa. Se condenados, as penas poderão chegar a 30 anos de reclusão.

 

Comunicação Social da Polícia Federal no Amapá

[email protected]

www.pf.gov.br

 (96) 3213-7602

 

*Capitania Hereditária – lotes de terra nos quais o governo português decidiu dividir o Brasil para facilitar a colonização

Leia Também:  PF combate facilitação na regularização fundiária no Amapá
Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA