POLÍCIA FEDERAL

PF realiza operação para combater desvio de recursos públicos na prefeitura de Agrestina/PE

Publicados

em


.

Caruaru/PE – A Polícia Federal, com o apoio da Controladoria-Geral da União-CGU, deflagrou na manhã de hoje (10/9) a terceira fase da Operação Pescaria, com o propósito de dar continuidade às ações repressivas iniciadas no ano de 2018, para desarticular uma organização criminosa especializada no desvio de recursos públicos na Prefeitura de Agrestina/PE.

A ação conta com o emprego de 70 policiais federais, além de servidores da Controladoria-Geral da União.  A PF deu cumprimento a cinco mandados de prisão preventiva, treze mandados de busca e apreensão em endereços residenciais e comerciais, além de mandados de afastamento de funções públicas dos ocupantes de cargos na administração municipal de Agrestina. Também foram cumpridos mandados de Afastamento de Sigilos Bancário e Fiscal dos investigados, todos expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 5ª Região.

A investigação que culminou com a deflagração da Operação Pescaria III, mira a lavagem dos lucros ilicitamente auferidos pela organização criminosa, levada a cabo por meio da utilização de conta bancária de titularidade de um “laranja” vinculado ao grupo. Esta conta bancária servia aos investigados para o recebimento de transferências bancárias e depósitos em espécie, estes na sua maioria em valores baixos e sem a identificação da origem, realização de saques de valores vultuosos, bem como, também, para a utilização de títulos de crédito ao portador (cheques) assinados em branco, tudo com o propósito de dificultar a identificação da origem criminosa do dinheiro.

Leia Também:  PF combate garimpo ilegal em terras indígenas no Pará

As vantagens ilícitas eram auferidas por meio da contratação fraudulenta de empresa de “fachada”, com recursos oriundos de verbas federais, frustrando o caráter competitivo do processo licitatório e promovendo a execução dos contratos por meio de terceiros desqualificados.

As duas fases que antecederam a Operação Pescaria III foram deflagradas respectivamente em 21/02/2019 e 28/03/2019.

Os crimes investigados na atual fase da operação são de Organização Criminosa, Peculato, Falsidade Ideológica e Lavagem de Dinheiro.

 

Comunicação Social da Polícia Federal em Pernambuco

Contato: (81) 2137-4076
E-mail: [email protected]

 

 

 

 

Propaganda

POLÍCIA FEDERAL

PF combate garimpo ilegal em terras indígenas no Pará

Publicados

em


.

Santarém/PA – A Polícia Federal deflagrou, na última sexta-feira (25/9), a segunda fase da Operação Bezerro de Ouro com objetivo de reprimir garimpo ilegal de ouro no interior da Terra Indígena Munduruku. A ação está no contexto da Operação Verde Brasil 2, assim sendo, um conjunto de atividades estruturadas focadas na proteção e preservação da Amazônia e demais biomas, bem como das Terras Indígenas (TI).

Participaram da operação cerca de 30 policiais federais. A operação também contou com o essencial apoio logístico da Força Aérea Brasileira e do Exército Brasileiro. No mesmo sentido, houve participação de equipe do IBAMA em fiscalizações no interior da Terra Indígena.

As investigações foram realizadas com o auxílio do sistema de monitoramento remoto contratado pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, o programa Brasil M.A.I.S, que possibilita o acesso a imagens de alta resolução e alertas diários de detecção de mudanças ambientais com acompanhamento por satélite, o que permitiu a rápida localização das áreas de exploração ilegal.

A PF esclarece que a legislação brasileira não permite a obtenção de lavras garimpeiras dentro de áreas demarcadas como Terra Indígena, dessa forma os garimpos, dentro de tais áreas, como os alvos dessa operação, são considerados ilegais. 

Leia Também:  PF realiza duas grandes apreensões de cocaína em São Paulo

Durante a ação, que durou quatro dias, a PF foi extremamente bem recebida pelos índios Munduruku. Por três dias seguidos, sexta, sábado e domingo, a PF partiu de helicóptero para três grandes áreas de garimpo mapeadas dentro da Terra Indígena Munduruku. Ao final foram inutilizados 20 maquinários de garimpos entre pá carregadeiras (PC), tratores e outros. A PF estima um dano de ambiental de aproximadamente de R$ 8 milhões, referente ao período de seis meses.

 

Bezerro de Ouro 01

Dia 6/8, a Polícia Federal deflagrou a primeira fase dessa operação, cumprindo seis mandados de busca e apreensão e sequestro de bens contra um grupo apontado como um dos principais atuantes no garimpo ilegal na região.

 

Comunicação Social da Polícia Federal em Belém

Telefone: (91) 3214-8029 / 984222396
E-mail: [email protected]pf.gov.br

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA