POLÍCIA FEDERAL

Polícia Federal deflagra operação para combater furtos a instituições bancárias

Publicados

em


.

Salvador/BA – A Polícia Federal deflagra nesta quinta-feira (3/9) a Operação PAYBACK, visando desarticular organização criminosa especializada em furtos a bancos com atuação em diversos estados da Federação.

A investigação foi iniciada a partir da ocorrência de dois furtos e uma tentativa de furto em agências bancárias nas cidades de Feira de Santana, Simões Filho e Alagoinhas, no interior da Bahia, todas no mês de março de 2020.

A quadrilha agia durante a madrugada, invadindo as agências bancárias através de aberturas feitas nas paredes, normalmente a partir de imóveis contíguos, que eram alugados para a ação criminosa.

Ao todo, foram identificadas cinco pessoas envolvidas nos crimes, contra as quais foram expedidos os mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão, que estão sendo cumpridos por equipes de policiais federais nos estados da Bahia, Santa Catarina e São Paulo. À exceção de um deles, todos os demais criminosos identificados ao longo das investigações são reincidentes neste tipo de crime.

Em razão da forma de atuação, estruturação e divisão de tarefas, as condutas investigadas se caracterizam como o furto qualificado, crime previsto no art. 155, § 4º, I e IV, do Código Penal, com pena de reclusão de 2 (dois) a 8 (oito) anos e multa; e integrar organização criminosa, crime previsto no art. 2º da Lei 12.850/2013, com pena de reclusão de 3 (três) a 8 (oito) anos e multa.

Leia Também:  PF realiza duas grandes apreensões de cocaína em São Paulo

Além do valor subtraído, o prejuízo compreende ainda os danos causados aos prédios, instalações, equipamentos e serviços bancários.

A investigação prosseguirá com o objetivo de identificar os demais autores e apurar os crimes de lavagem de dinheiro, inclusive para recuperação dos valores subtraídos e arrecadação das coisas obtidas com o produto dos crimes.

 

Comunicação Social da Polícia Federal na Bahia

[email protected]

Propaganda

POLÍCIA FEDERAL

PF combate garimpo ilegal em terras indígenas no Pará

Publicados

em


.

Santarém/PA – A Polícia Federal deflagrou, na última sexta-feira (25/9), a segunda fase da Operação Bezerro de Ouro com objetivo de reprimir garimpo ilegal de ouro no interior da Terra Indígena Munduruku. A ação está no contexto da Operação Verde Brasil 2, assim sendo, um conjunto de atividades estruturadas focadas na proteção e preservação da Amazônia e demais biomas, bem como das Terras Indígenas (TI).

Participaram da operação cerca de 30 policiais federais. A operação também contou com o essencial apoio logístico da Força Aérea Brasileira e do Exército Brasileiro. No mesmo sentido, houve participação de equipe do IBAMA em fiscalizações no interior da Terra Indígena.

As investigações foram realizadas com o auxílio do sistema de monitoramento remoto contratado pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, o programa Brasil M.A.I.S, que possibilita o acesso a imagens de alta resolução e alertas diários de detecção de mudanças ambientais com acompanhamento por satélite, o que permitiu a rápida localização das áreas de exploração ilegal.

A PF esclarece que a legislação brasileira não permite a obtenção de lavras garimpeiras dentro de áreas demarcadas como Terra Indígena, dessa forma os garimpos, dentro de tais áreas, como os alvos dessa operação, são considerados ilegais. 

Leia Também:  PF prende foragidos em grupo de deportados em Minas Gerais

Durante a ação, que durou quatro dias, a PF foi extremamente bem recebida pelos índios Munduruku. Por três dias seguidos, sexta, sábado e domingo, a PF partiu de helicóptero para três grandes áreas de garimpo mapeadas dentro da Terra Indígena Munduruku. Ao final foram inutilizados 20 maquinários de garimpos entre pá carregadeiras (PC), tratores e outros. A PF estima um dano de ambiental de aproximadamente de R$ 8 milhões, referente ao período de seis meses.

 

Bezerro de Ouro 01

Dia 6/8, a Polícia Federal deflagrou a primeira fase dessa operação, cumprindo seis mandados de busca e apreensão e sequestro de bens contra um grupo apontado como um dos principais atuantes no garimpo ilegal na região.

 

Comunicação Social da Polícia Federal em Belém

Telefone: (91) 3214-8029 / 984222396
E-mail: [email protected]pf.gov.br

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA