POLÍTICA MT

Agentes comunitários de Rio Branco serão beneficiados com materiais de apoio

Publicados

em


Foto: Marcos Lopes

Situação no mínimo preocupante, conforme avalia o deputado estadual Paulo Araújo (Progressistas), vem ocorrendo com os Agentes Comunitários de Saúde do município do Rio Branco (220 km de Cuiabá) pela falta de equipamentos de proteção Individual (EPIs) para a realização do trabalho na comunidade. Por conta disso, o parlamentar apresentou a Indicação n° 3745/21 para o secretário de Saúde, Gilberto de Figueiredo, solicitando a aquisição de materiais como álcool em gel, máscaras, luvas, dentre outros para a realização dos atendimentos.

“A secretária Municipal de Saúde de Rio Branco, Rosilei Ferrari, veio pedir apoio. Ela justificou que a demanda é importante, pois, os agentes comunitários ficam expostos ao vírus e essa medida visa à prevenção da disseminação do COVID-19”, explicou o deputado.

Outra indicação de n° 3749/21 encaminhada à secretária Estadual de Assistência Social e Cidadania, Rosamaria Ferreira de Carvalho, para o mesmo município, solciita a aquisição e manutenção de motos para possibilitar que os agentes comunitários de saúde se locomovam com mais facilidade pela extensa zona rural do município. Foi também solicitada a aquisição de tablets, mochilas reforçadas para o apoio de material e cadernetas para serem utilizadas como agenda pelos profissionais.

Leia Também:  PL obriga prefeitura a divulgar andamento de obras públicas

Policlínica do Verdão – Para melhor atender a população cuiabana, na unidade de saúde, na Policlínica do Verdão, o deputado Paulo Araújo apresentou uma indicação n° 3599/21 ao governador do Estado Mauro Mendes, com cópia ao secretario de Estado de Saúde Gilberto Figueiredo, propondo a necessidade de providenciar alguns itens essenciais para o bom atendimento. O parlamentar solicitou a reforma emergencial do laboratório, sala de prescrições das unidades médico assistencial social e também a pintura interna da unidade. 

Fonte: ALMT

Propaganda

POLÍTICA MT

Governo de MT já pactuou 99,9% das doses recebidas; veja quanto cada município aplicou

Publicados

em


O Governo de Mato Grosso recebeu, até a manhã desta terça-feira (27.07), 2.438.340 doses das vacinas contra Covid-19 do Ministério da Saúde e já pactuou a distribuição de 2.436.534 doses aos 141 municípios do Estado, ou seja, 99,9% do total recebido.

O Estado reteve as doses de vacina que são destinadas para segunda aplicação e devem ser distribuídas próximas da vacinação.

A disponibilização das doses é resultado da soma da primeira e segunda doses (2.375.036), acrescida das doses destinadas às populações indígenas aldeadas (54.120) e dos arredondamentos técnicos (7.378) necessários para o ajuste volumétrico dos frascos disponibilizados pelo Ministério da Saúde.  

Das 2.367.933 doses retiradas pelos municípios, as prefeituras aplicaram 1.902.925 (80%), sendo 1.476.118 como primeira dose ou dose única e 426.807 como segunda dose. O percentual da semana passada era de 94%. 
 
Os 10 municípios que mais aplicaram vacinas, considerando o percentual de doses aplicadas em relação às doses recebidas, foram: Campos de Júlio (99%), Alto Boa Vista (98%), Colíder (97%), Novo Mundo (96%), Diamantino (94%), Ribeirãozinho (94%), Conquista D’Oeste (93%), Jaciara (93%) e Arenápolis (93%). 

Leia Também:  Primeira-dama entrega 800 cestas básicas que serão distribuídas pela Polícia Civil no interior do estado

Confira o ranking completo de aplicação das vacinas no Boletim Informativo nº 506 ou no Painel de Distribuição de Vacinas Covid-19.

Considerando as vacinas destinadas à população indígena, alguns municípios podem contabilizar as doses aplicadas em aldeias pertencentes a territórios vizinhos e ultrapassar o limite de 100% da aplicação.

A Vigilância Estadual alertou que a utilização de unidades de segunda dose como primeira dose pode comprometer o esquema vacinal da população do município, considerando o fornecimento e as orientações feitas pelo Ministério da Saúde.

Sobre a distribuição

Na força-tarefa da vacinação, cabe ao Governo do Estado fazer a logística de distribuição, que é definida pela Comissão Intergestores Bipartite de Mato Grosso (CIB-MT), composta por membros do Conselho das Secretarias Municipais de Saúde (Cosems) e da Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT).

A escolta dos materiais até os 14 polos de distribuição é feita pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), além das Polícias Federal e Rodoviária Federal e do Ministério da Defesa. O Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) também disponibiliza sua frota aérea para dar celeridade à distribuição.

Leia Também:  Mato Grosso não ficará para trás

É importante ressaltar que o Governo Federal define o total de doses que cada estado recebe. Essa definição ocorre de acordo com a quantidade de pessoas que pertencem aos grupos prioritários e não pela quantidade absoluta da população.

Fonte: GOV MT

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA