POLÍTICA MT

Alimentos também são fonte de água e ajudam a manter a hidratação do corpo, esclarece nutricionista

Publicados

em


.

Com índices de umidade que podem chegar abaixo dos 10%, o ideal é realizar uma boa ingestão de líquidos, como indica a nutricionista, Dra. Carla Queiroz, que conversou com o Mato Grosso Saúde para alertar sobre a importância em beber água e de comer alimentos que também propiciem uma boa hidratação, que é tão importante para o bom funcionamento do organismo.

A nutricionista explica que a água é fundamental para o transporte de substâncias como sais minerais, nutrientes e o oxigênio pelo sangue, auxiliando na distribuição de nutrientes para as células do corpo, ajuda a regular a temperatura do corpo, funcionamento dos órgãos, veículo de transporte de nutrientes essencial para a manutenção da vida, bem como auxilia a eliminar toxinas, através do suor e da urina. “A água também tem uma relação íntima e muito importante com o metabolismo por ajudar no transporte da síntese das substâncias”, ressalta.  

A água pode ser ingerida por diversas formas: in natura e por meio de alimentos ricos em água. A maior parte das frutas contém entre 80 e 90% de líquidos. Já as verduras e legumes cozidos, na forma de saladas, costumam ter mais de 90% do seu peso em água, “então, quando a alimentação é baseada nesses alimentos eles podem fornecer cerca da metade da água que precisamos ingerir”, explica a nutricionista.

Leia Também:  Deputado João Batista destaca projetos no Dia do Servidor Penitenciário

Boa dica para complementar a hidratação nos dias mais quentes, principalmente quando ao ar livre é incluir nos lanches as frutas, principalmente as cítricas e delas o destaque fica para a laranja e para a semi cítrica, melancia, que são refrescantes e contém alto teor de água.  

Como os dias também têm sido de altas temperaturas, a Dra. Carla lembra que os picolés preparados em casa, com sucos de frutas, também são uma ótima opção para as crianças se refrescarem e se hidratarem.

Diferente dos alimentos naturais, ou minimamente processados, os alimentos ultra processados são, em geral, escassos de água “então é preciso tomar muito cuidado com eles, como os salgadinhos de pacote, biscoitos e outros, que costumam ter menos que 5% de água em sua composição, além de um alto teor de sódio que auxilia na desidratação do corpo”, alerta a doutora.

A preferência é sempre por água consumida pura ou as saborizadas e aromatizadas com rodelas de limão, folhas de hortelã, cravo, canela, alecrim, gengibre, tomilho, pouco de chia para ficar rica em fibra, entre outras. A nutricionista lembra que há diversas opções para que o consumo se torne mais atrativo, e chama a atenção às bebidas muito doce, como refrigerantes, suco de caixas, pois tende ao consumo muito alto de conservantes e açúcares artificiais que “às vezes até inibe a absorção de outros nutrientes”.

Leia Também:  Batalhão Ambiental da PM resgata tamanduá- bandeira ferido no Cinturão Verde
Fonte: GOV MT

Propaganda

POLÍTICA MT

Governo abriu 300 UTIs em seis meses no combate à pandemia em Mato Grosso

Publicados

em


.

O Governo de Mato Grosso ativou 300 novos leitos de Terapia Intensiva (UTI) em cerca seis meses. Coordenada pela Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT), a ação teve o intuito de interiorizar a assistência hospitalar e oferecer tratamento aos pacientes com Covid-19 em todo o estado. 

A ampliação das UTIs contemplou 17 unidades hospitalares de 14 municípios do Estado, sendo possível por meio de parceria entre gestões estadual e municipais.

Desses 300 novos leitos, 163 são UTIs construídas ou contratualizadas exclusivamente pela gestão estadual e 137 foram abertas em parceria com os municípios, junto à contrapartida do estado no custeio e em equipamentos. 

Apenas na estrutura da rede estadual de Saúde, o Governo investiu o valor de R$ 30 milhões na criação de leitos – intensivos e de enfermaria – para o tratamento da Covid-19. 

Todas as ampliações realizadas nos Hospitais Regionais foram feitas em estruturas definitivas, ou seja, podem ser permanentes para o tratamento de outras doenças.

“É importante ressaltar que não se constrói leitos de UTI da noite para o dia, ainda mais em tempo de pandemia. Com essas ampliações, contemplamos muitos municípios e damos assistência aos pacientes que precisam da hospitalização também no interior do estado. Temos o compromisso de continuar trabalhando para que a Saúde funcione como ela deve funcionar”, afirmou o secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo.

Leia Também:  Sexta-feira (25): Mato Grosso registra 119.728 casos e 3.375 óbitos por Covid-19

A entrega dessas UTIs foi feita desde o início da pandemia, tendo a primeira abertura no Hospital Estadual Santa Casa, ainda no mês de maio. Atualmente, o Sistema Único de Saúde (SUS) em Mato Grosso dispõe de um total de 445 UTIs e 893 de enfermarias para tratamento de pacientes com coronavírus. 

De acordo com a previsão feita pela SES, devem ser ativados nos próximos dias mais 21 leitos nos municípios de Peixoto de Azevedo, Primavera do Leste e Querência.

Metropolitano e Santa Casa

Atualmente, o Hospital Metropolitano é referência para o tratamento de pacientes diagnosticados com a Covid-19. A unidade é fruto da obra mais rápida da saúde estadual, finalizada em apenas 45 dias de trabalho, e que resultou na construção de 210 novos leitos. 

A obra iniciada no dia 23 de março construiu 180 enfermarias e 30 UTIs. Agora, o hospital é uma das unidades com maior capacidade de atendimento do Estado, dispondo de 238 leitos clínico e 40 Unidades de Terapia Intensiva (UTI) para o tratamento de pacientes. 

Leia Também:  Deputado João Batista destaca projetos no Dia do Servidor Penitenciário

O Governo do Estado ainda criou outros 70 leitos de UTI para Covid-19 no Hospital Estadual Santa Casa; a unidade hospitalar também conta com 65 vagas em enfermarias especificamente para o tratamento do coronavírus.

Fonte: GOV MT

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA