POLÍTICA MT

Assembleia Social e Mães Pela Diversidade promovem campanha em alusão ao Dia da Visibilidade Lésbica

Publicados

em


.

Foto: FABLICIO RODRIGUES / ALMT

Para marcar o Dia Nacional da Visibilidade Lésbica – 29 de agosto – a Assembleia Social e o Movimento Mães pela Diversidade estão promovendo uma campanha de comunicação por meio das redes sociais, com o tema “Mulheres que amam mulheres que amam mulheres”.

A proposta é apresentar o amor das mães por suas filhas lésbicas e defender o direito a amar e ser amada, sem preconceito nem distinção. “Quando elas encontram apoio familiar, elas se sentem mais protegidas e empoderadas para serem quem são”, constata a coordenadora do Mães Pela Diversidade em Mato Grosso, Josi Marconi.

A data, 29 de agosto, foi escolhida em alusão ao 1º Seminário Nacional de Lésbicas (Senale), realizado nesse dia no ano de 1996, e passou a representar a luta pela eliminação da lesbofobia no Brasil. Segundo dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação, de 2017, seis mulheres são vítimas de estupro por dia, pelo simples fato de assumirem a orientação sexual – o comumente chamado “estupro corretivo”.

“Eu queria que não precisasse desse dia [da Visibilidade Lésbica], mas as pessoas precisam entender que as lésbicas existem, que amam e que nós, mães, as amamos”, refletiu Josi Marconi. “São mulheres e devem ser respeitadas, devem se sentir acolhidas e pertencentes a esta sociedade”, completa.

Leia Também:  Servidores da CGE assistem ao workshop Uma Vida Boa é Uma Vida Ética

A campanha para rede social é composta por um vídeo de 1 minuto e um cartaz, com registros de afeto entre mães e filhas. “O Mães Pela Diversidade nos procurou e acolhemos prontamente. Colocamos nossa equipe de Comunicação à disposição e o resultado foi essa mensagem singela e importante. Seguimos defendendo uma sociedade mais justa para todas as pessoas. E que o amor seja sempre o leme”, resumiu a diretora da Assembleia Social, Daniella Paula Oliveira.

“É muito importante que a Assembleia [Legislativa de Mato Grosso] esteja junto nessa [luta], porque ela representa o povo. E o povo não é formado só de heterossexuais”, enaltece Josi Marconi.

A jornalista Keka Werneck e sua filha, a estudante de Jornalismo Helena Werneck, também participaram da campanha, com fotos desse amor maternal e com um breve relato sobre a trajetória delas. “Nós escolhemos lidar com isso [a orientação sexual da filha] de uma forma natural, como qualquer questão humana”, narrou Keka, que é membro do Mães Pela Diversidade.

“As lésbicas são mulheres comuns, diversificadas, vivendo suas vidas, mas que estão pedindo a liberdade de amar quem quiserem”, conta Keka, registrando que não há um perfil da mulher lésbica e ressaltando a incoerência da lesbofobia.

Keka aproveita e convida mães, pais e familiares a compreenderem seus filhos de alguma orientação sexual ou gênero diverso do padrão imposto pela sociedade e protege-los, acolhe-los. “Os pais devem trabalhar para que os filhos sofram menos, não o contrário”, avalia, fazendo alusão aos casos de violência dentro de casa.

Leia Também:  Ações do Governo do Estado auxiliam retomada do turismo e da pecuária no Pantanal

Helena, a filha dela, em trecho do vídeo, destaca: “O fato de ela ter me apoiado faz eu me sentir como uma pessoa como qualquer outra, eu não me vejo como diferente”.

Tanto Josi quanto Keka destacaram em suas falas o orgulho que têm de suas filhas. “Isso não tem nada a ver com a sexualidade dela. Eu me orgulho é do caráter, do profissionalismo, da bondade dela. E tenho muito orgulho de ela se assumir e de poder ser feliz”, conta Marconi. “Eu amo a Helena como ela é e essa é só mais uma característica dela. O que importa é o caráter, a profissão escolhida, se ela tem amigos, a saúde física e mental dela…”, lista Werneck.

O Mães Pela Diversidade é uma organização nacional que congrega mães, pais e familiares para promover ações de defesa de seus filhos LGBTQIA+ e de combate à LGBTfobia. “A família é amor e é isso que deixa tudo mais bonito, mais colorido”, finaliza Josi Marconi.

 

Fonte: ALMT

Propaganda

POLÍTICA MT

Botelho anuncia continuidade das sessões nas quartas-feiras

Publicados

em


.

Presidente da ALMT informou que as sessões continuarão nas quartas-feiras

Foto: ANGELO VARELA / ALMT

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (DEM), que retornou à Presidência da Casa de Leis depois de afastamento para tratamento de saúde, informou, nesta segunda-feira (21), que as sessões plenárias serão mantidas em todas as quartas-feiras de cada semana. “Vamos dar continuidade aos trabalhos da Casa de Leis, não tem grande expectativa de matérias polêmicas. Vamos continuar como vínhamos fazendo e o João Batista estava conduzindo muito bem durante essa minha ausência da Presidência da Assembleia”.

Segundo Botelho, “o João Batista foi excepcional, demonstrou capacidade, sobretudo de liderança. Ele liderou bem, coordenou muito bem e não fez nada fora do normal”, disse o presidente sobre a condução da presidência da ALMT durante sua ausência.

“Vamos manter as três sessões na quarta-feira, principalmente agora que vai entrar o período eleitoral. Por isso, vamos manter as sessões nas quartas-feiras. Nas últimas sessões já não tivemos quórum suficiente de deputados em plenário. Então, se continuar isso, ou seja, a falta de quórum, vamos marcar uma sessão de mutirão para limpar a pauta”, adiantou.

Leia Também:  Retomada da Lei Seca; blitze educativas orientam motoristas e pedestres em Cuiabá e Várzea Grande

Sobre a impressão que teve por conta da visita ao Pantanal mato-grossense, no fim de semana, na comitiva de deputados estaduais, federais e senadores, para ver a área que sofre com as queimadas, o presidente da Assembleia disse que foi uma das piores possíveis. “A imagem é muito ruim, muita queimada, muita fumaça, muita destruição, muitos animais perecendo por falta de água, porque queimou tudo, secaram os lagos, então, além da queimada, os animais estão sofrendo por falta de água”, relatou.

Conforme Eduardo Botelho, “esse trabalho é para agora, independentemente do período eleitoral. Eu já vou convocar o Colégio de Líderes para discutir com os deputados a criação de uma comissão que vai trabalhar junto com a Câmara Federal, para elaborar leis federais e estaduais, um Estatuto do Pantanal, para que isso que ocorreu este ano não aconteça mais. A gente nunca mais vai ouvir falar disso. Esse vai ser o nosso grande trabalho daqui para frente”.

Fonte: ALMT

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA