POLÍTICA MT

Claudinei alerta sobre a falta de infraestrutura no bairro Maria Vetorasso de Rondonópolis

Publicados

em


.

Foto: ANGELO VARELA / ALMT

O deputado estadual Delegado Claudinei (PSL), em sessão ordinária na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), na manhã de quarta-feira (9), apresentou indicação à Prefeitura Municipal de Rondonópolis (MT) para a pavimentação asfáltica nas ruas do bairro Maria Vetorasso que fica cerca de 25 km de distância do centro da cidade.

“Realmente, o bairro Maria Vetorasso é uma das regiões de Rondonópolis que precisa desta atenção na infraestrutura. Espero que o prefeito atenda essa solicitação para que as ruas possam ser asfaltadas e a população, que paga seus impostos em dia, possa ter qualidade de vida e bem-estar no bairro que escolheu para morar”, salientou Claudinei. Atualmente, o bairro está em fase de crescimento populacional e com infraestrutura precária.

De acordo com moradora Maria Rosa da Silva, que adquiriu um terreno há 10 anos e mora há quase quatro anos na região, o poder público do município se esqueceu dos moradores do bairro Maria Vetorasso. “Hoje, as grandes indústrias estão nesta região. Nós não ganhamos, compramos e pagamos o loteamento. Pagamos todos os nossos impostos. Fomos esquecidos pelo poder público, temos a impressão que eles priorizam outros, a gente vê outros bairros sendo beneficiados”, ressalvou.

Leia Também:  Durante evento com ministro, Botelho destaca importância do fortalecimento da agricultura familiar

 Precariedade

Maria Rosa explica que as ruas do bairro não possuem asfalto, têm muitos buracos e no período da chuva é só lama. Ela conta que trabalha como secretária em um escritório de advocacia, mas sai de casa com uma roupa para trabalhar e quando chega no serviço tem que trocar de roupa devido a poeira fixar na vestimenta.

Também, a moradora acrescenta que existem outros problemas como o posto de saúde do bairro que está caindo aos pedaços e que, atualmente, está em reforma, mas há morosidade e não tem previsão de quando será concluída. Outro aspecto citado por ela é que o bairro só tem uma escola municipal e que seria importante ter uma rede estadual de ensino na região. “A escola municipal que existe aqui vai até a sexta série. Depois desta série, as crianças têm que se deslocar até o centro. Temos essa dificuldade e é bem complexo. No bairro passa um ônibus coletivo a cada uma hora”, detalhou Rosa.

“Eu agradeço o deputado Claudinei por ter olhado por nós. Vejo o tanto que ele tem corrido para solucionar os problemas dos municípios e de Rondonópolis”, elogiou a moradora.

Leia Também:  Barranco se licencia do cargo de deputado estadual para concorrer ao Senado

O bairro Maria Vetorasso conta com aproximadamente 23 ruas sem asfalto e fica próximo ao perímetro urbano da BR-364 e aos distritos industriais do município.

Fonte: ALMT

Propaganda

POLÍTICA MT

Sete municípios concluem pesquisa epidemiológica em Mato Grosso

Publicados

em


Os municípios de Tangará da Serra, Água Boa, Juína, Sinop, Várzea Grande, Barra do Garças e Alta Floresta já concluíram a fase de coleta da pesquisa soroepidemiológica viabilizada pelo Governo de Mato Grosso. A ação tem o objetivo de monitorar a infecção pela Covid-19 no Estado. 

De acordo com dados da Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT), dos dez municípios que participam da pesquisa, três solicitaram prorrogação do prazo: Cuiabá, Rondonópolis e Cáceres. Com o intuito de cumprir o objetivo proposto, esses municípios prorrogaram a conclusão da etapa de coletas para até 9 de outubro.

A SES divulgará o resultado da pesquisa após a finalização dessa fase e análise dos materiais junto aos municípios. A previsão é de que o relatório final do monitoramento seja concluído entre os meses de outubro e novembro. 

O trabalho é coordenado pela equipe técnica da SES, da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) e da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), e conta com o apoio dos Escritórios Regionais e Secretarias Municipais de Saúde dos municípios envolvidos no estudo. 

Leia Também:  Por maioria dos votos, Câmara arquiva relatório de CPI

A metodologia utilizada na pesquisa é a estratégia quantitativa e transversal. A realização do exame é por meio de teste de sangue. As análises são realizadas exclusivamente pelo o Laboratório Central do Estado (Lacen); já as coletas são feitas por agentes de saúde, por meio das secretarias dos municípios.

As cidades selecionadas terão amostras coletadas de 250 a 700 pessoas, de acordo com o número populacional. O setor censitário testado será sorteado, bem como a casa e o morador do domicílio.

Fonte: GOV MT

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA