POLÍTICA MT

Fiscalização do Batalhão de Trânsito resulta em prisão de 38 motoristas alcoolizados em agosto

Publicados

em


.

O Batalhão de Trânsito Urbano e Rodoviário da Polícia Militar (BPMTran) prendeu 38 motoristas por embriaguez ao volante durante o mês de agosto deste ano. Os policiais também apreenderam 90 Carteiras Nacionais de Habilitação (CNHs) e multou 78 motoristas alcoolizados.

As prisões ocorreram depois que os condutores fizeram testes de alcoolemia, que apresentaram resultados iguais ou superiores a 0,34 miligramas de álcool por litro de ar alveolar expelido, caracterizando a embriaguez, como define o artigo 306 do Código de Trânsito.

Para os motoristas multados ou que tiveram as CNHs apreendidas, os testes do bafômetro apresentaram índices de álcool entre 0,05 mg/l a 0,33 mg/l, apontando para medida administrativa, conforme previsão do artigo 165 do CBT.

Outros 11 motoristas que recusaram a fazer o teste de alcoolemia e não apresentaram pelos menos dois sinais para comprovar a embriaguez, porém indicavam consumo de álcool, também sofreram infrações e vão responder administrativamente (artigo 165A).   

Essas ações ocorreram principalmente nas rodovias estaduais, especialmente nas MTs 251 (acesso a Chapada dos Guimarães), 010 (Distrito de Nossa Senhora da Guia) e 040 (Santo Antônio de Leverger e Barão de Melgaço).

Leia Também:  Doadores de medula óssea relatam experiência da compatibilidade

Feriado

Durante o feriado prologado, equipes do Batalhão de Trânsito estão nas rodovias estaduais abordando motoristas, revistando veículos, checando a documentação e aplicando o teste de alcoolemia.

No sábado (05.09), dois motoristas, uma mulher e um homem, foram presos por embriaguez na MT-251 (de acesso a Chapada dos Guimarães). As duas prisões ocorreram no KM-16. Na primeira ocorrência, a condutora, de 54 anos, apresentou 0,76 mg/l. No segundo caso, o teste de alcoolemia de um motorista, de 44 anos, apontou 0,56 mg/l.

Já na MT-010 (Rodovia Helder Cândia), de acesso ao Distrito da Guia, ainda no perímetro urbano, no bairro Ribeirão do Lipa, policiais do 10º Batalhão prenderam um motociclista visivelmente embriagado. O condutor, de 37 anos, pilotava em ziguezague na via colocando pedestres e outros motoristas em perigo. Ele ainda tentou fugir e quando foi abordado recusou fazer o teste do bafômetro. Como ele apresentava olhos vermelhos, fala enrolada, forte odor de álcool e sonolência, os policiais lavraram o auto de constatação de embriaguez.

Fonte: GOV MT

Propaganda

POLÍTICA MT

Escola indígena de General Carneiro passa por manutenção e readequação

Publicados

em


.

A Escola Estadual Indígena São José do Sangradouro, localizada no município de General Carneiro (a 442 quilômetros a Leste da Capital) recebe manutenção preventiva e corretiva por parte da Secretaria de Estado de Educação (Seduc). A unidade escolar terá readequação de piso, forro, portas, instalações elétricas, pintura e banheiros, uma vez que as instalações hidrossanitárias eram precárias.

“Temos agora banheiros decentes, tanto para nossos profissionais da educação como para nossos alunos, que agora estão com essa necessidade básica suprida”, comemora a assessora pedagógica Vanessa Alice Busanello.

Vanessa salienta que a comunidade está satisfeita com os trabalhos, porque há muito tempo não havia nenhum tipo de manutenção na escola. Além disso, aumentou a autoestima da comunidade que se sentiu valorizada.

“A manutenção e adequação veio num momento que a comunidade estava fragilizada também pela pandemia, pois perderam bastante pessoas importantes para a comunidade. A manutenção preventiva deu uma espécie de alento, pois a comunidade se sentiu incluída”, assinala.

Mais animado ainda está o diretor Bartolomeu Patira Pronhopa, pois as obras estão em ritmo acelerado e, com isso, o conforto para os alunos, assim que houver as aulas presenciais será imensurável. O diretor acredita que, com a reforma, a qualidade do ensino na unidade escolar vai dar um salto.    

Leia Também:  Família com sete filhos que perdeu tudo em incêndio é atendida pela Setasc

“A cultura dos não indígenas é diferente. Precisamos continuar a questão do ensino básico. Nossas crianças xavantes precisam ter uma educação com respeito e ética dentro de nossa sociedade. Essa reforma está melhorando a escola em todos os aspectos”, ressalta.

A Escola indígena da comunidade Xavante atende a 475 alunos do 1º ano ao 9º ano do ensino fundamental e ensino médio. A unidade escolar tem 17 salas e é a maior de General Carneiro, tanto em número de alunos como de profissionais da educação.

Fonte: GOV MT

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA