POLÍTICA MT

Investimentos poderão alavancar pesquisas cientificas em MT, afirma Max Russi

Publicados

em


.

Foto: JLSIQUEIRA / ALMT

Vinícius Roberto O. Marinho, 32 anos, servidor público, em agosto deste ano entrou para lista das mais de 100 mil pessoas contaminadas pela Covid-19, o coronavírus, em Mato Grosso. Segundo ele, alguns sintomas o levaram a procurar por uma unidade de saúde que após realização de exame constatou o contágio. Ele também necessitou de internação em um leito de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Foram 21 dias lutando contra a doença.

E, na tentativa de combater esse tipo de doença no território mato-grossense, o primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, deputado Max Russi (PSB), propôs ao governo do estado investimentos financeiros em pesquisas científicas, além de parcerias entre a Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia (Secitec), Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Mato Grosso (Fapemat), Universidade Estadual de Mato Grosso (Unemat), Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), além de outros centros de pesquisas.

Russi cita o estudo inédito feito por pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e do Instituto Vital Brazil (RJ), em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que desenvolveram um soro contra a Covid-19. O estudo divulgado no mês passado mostra que a substância produzida a partir do plasma de cavalos tem anticorpos até 50 vezes mais potentes que os humanos e que pode levar a uma soroterapia contra o coronavírus, raiva e tétano, por exemplo.

Leia Também:  Silvio Fávero é autor de projeto para entrega de alimentos a famílias afetadas pelo coronavírus

“Assim como outros centros de pesquisa estão avançando, Mato Grosso também pode contribuir nesses estudos tão importantes, mas para isso precisa investir mais nessa área além de propor parcerias, o que alavancaria a quantidade e a qualidade das pesquisas científicas em nosso estado. Hoje, a grande preocupação é como combater e erradicar o coronavírus, mas podemos nos deparar com um fato novo e precisamos estar preparados e estruturados”, avaliou Max Russi.

Para o servidor público e recuperado da Covid-19, Vinícius Marinho, a iniciativa do parlamentar é muito importante e o momento pede investimentos em pesquisas científicas. “Eu acredito que toda pesquisa em prol de se achar meios para curar o paciente da Covid-19 é válida. Estamos em um momento delicado, em que muitas vidas estão se perdendo por falta de um tratamento mais eficaz. Então, qualquer tipo de tratamento ou remédio mais eficaz é importante. Esse é o momento em que precisa, sim, investir em pesquisas”, observou.

Fonte: ALMT

Propaganda

POLÍTICA MT

Equipe da Seciteci-MT se reúne com representantes da Secti-RJ; em pauta recursos e novas parcerias

Publicados

em


.

Representantes da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Seciteci)  estiveram na sede da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação do Rio de Janeiro (SECTI-RJ), para discutir o Plano de Ações Articuladas (PAR). A iniciativa é uma estratégia do Ministério da Educação, de assistência técnica e financeira, no qual oferece aos entes federados instrumentos de diagnósticos e planejamento de políticas educacionais.

Segundo o superintendente de Projetos e Captação de Recursos (SPCR) da Seciteci, Jun Sakamoto, a visita permitiu o alinhamento de ações voltadas ao desenvolvimento e investimentos, em iniciativas voltadas à tecnologia, inovação e ensino profissionalizante para Mato Grosso.

“As ações da nossa secretaria estão focadas em conquistar apoios e parcerias para realizarmos o maior número de ações e investimentos sem necessariamente onerar os cofres públicos. Vamos continuar nos empenhando para obter êxito nas nossas iniciativas”,  afirmou.

O  superintendente de Educação Profissional e Superior, Aryeh Hessel Craveiro, ressalta a importância destes encontros para a promoção do intercâmbio de informações e ideias.

“Visitamos as instalações da Fundação de Apoio à Escola Técnica, a FAETEC Marechal Hermes onde conhecemos processos e ações locais no qual poderemos implantar em nosso Estado. Além disso, a nossa equipe levou à Secti informações e procedimentos técnicos do PAR”, ressaltou.

Leia Também:  Pantanal de MT: com 80% do bioma preservado, turistas buscam belezas da região

Para Thiago Marques, coordenador de Captação de Recursos e Parcerias (SPCR), as  experiências e informações obtidas foram fundamentais para a equipe da Seciteci poder futuramente adotar novas iniciativas.

“As experiências aplicadas no Centro Vocacional Tecnológico, o CVT, a modernidade dos laboratórios da Escola Técnica, patrocinados pela empresa Cummins Schneider Electric, nos trouxe novas perspectivas e visões de possibilidades para serem implantadas em Mato Grosso. Além disso, a Secti nos conectou a alguns fornecedores e parceiros, como as empresas Cisco e Dell, para futuras parcerias na implantação de cursos técnicos”, falou.

Os representantes da Seciteci foram recebidos pela secretária da Secti-RJ, Maria Isabel de Castro de Souza; por Vivian Vicentini Kuss, subsecretária de Programas e Captação de Recursos para Ciência, Tecnologia e Inovação; Andréia Machado, que é subsecretária de Ensino Superior, Pesquisa e Inovação e por Filippo Zaccaro Scelza, que é subsecretário de Cooperação com o Setor Tecnológico e Inovativo.

Fonte: GOV MT

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA