POLÍTICA MT

Jangada comemora 32 anos com ações do Governo do Estado

Publicados

em


.

Jangada (a 76 quilômetros de Cuiabá) é ponto de parada para muitos viajantes que seguem em direção a vários destinos mato-grossenses e aproveitam para degustar um pastel em um dos vários pontos espalhados ao longo da rodovia que corta a cidade. Nesta sexta-feira, 11 de setembro, o município comemora 32 anos de emancipação administrativa com diversas ações e melhorias do Governo do Estado.

Está em sua fase final, a restauração e melhoramento de 79,85 quilômetros da MT-246, entre a sede do município e Barra do Bugres, com investimentos de R$ 37,6 milhões, em recursos do BNDES/Prodestur (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social/Programa de Desenvolvimento Sustentável do Turismo).

Também está em andamento o processo de concessão, à iniciativa privada, de 233,2 quilômetros das rodovias MT-246, MT-343, MT-358 e MT-480, entre Jangada e Itanorte, distrito de Campo Novo do Parecis. Com isso, cerca de R$ 815 milhões serão investidos em implantação, recuperação e manutenção deste trecho.

MT 246 entre Jangada e Barra do Bugres – Foto Secom/MT

Para contribuir com o município no combate à pandemia da Covid-19, o Governo Estado repassou 725 testes rápidos para detecção do vírus, além de medicamentos para o seu tratamento – 3.784 comprimidos de azitromicina, 3.027 de ivermectina e 23.966 de dipirona, também distribuídos em gotas, num total de 589 frascos.  

Leia Também:  12° Comando Regional de Pontes e Lacerda desenvolve importantes projetos sociais

Em repasses financeiros, o município recebeu até maio de 2020 R$ 1,8 milhão referentes a ICMS, IPVA e Fethab, além de outro R$ 1,079 milhão entre 2019 e maio de 2020, referentes a assistência social, transporte escolar e convênios na área de saúde.

Economia

Seus 8.451 habitantes respondem por um PIB per capita (Produto Interno Bruto por pessoa) de R$ 39.098,95, o que garante à cidade a 59ª posição no ranking estadual, embora o PIB total, de R$ 264,6 milhões, ocupe a 80ª posição. Agropecuária, com R$ 89,2 milhões, e indústria, R$ 73,7 milhões, são responsáveis por 61,56% desta riqueza.

Segundo o Observatório do Desenvolvimento da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec), duas agroindústrias do setor de calcário, com sede no município, têm como principal clientela o agronegócio regional.

A pecuária municipal responde por 53,6 mil cabeças de gado bovino e 24,1 mil galináceos, dos quais 19,1 mil galinhas, além da criação de peixes (piscicultura), especialmente tambacu e tambatinga.

O município produz também (em toneladas) cana-de-açúcar (24 mil), soja (2.244), mandioca (1.200), milho (708), limão (500), banana (180), abacaxi (100), tomate (93), melancia (30), melão (24), goiaba (20). É o sexto no ranking estadual de rendimento na produção de melão, com 12 toneladas por hectare.  

Leia Também:  PL quer proibir venda casada de produtos e serviços por concessionárias

História

O nome foi tomado do ribeirão Jangada, que corta a sede e deságua no rio Cuiabá, que banha o município, principal meio de transporte no início da povoação, quando ainda era chamada de Passa Três.

O caminho desenhado às margens do rio Cuiabá era percorrido por comerciantes que traziam mercadorias em lombo de burros, e às vezes em carros de boi. O percurso durava 10 dias, em viagem de ida e volta.

A abertura da BR-364 (então BR-29), em 1940, e o fato de ser um entroncamento rodoviário, com acesso a diferentes regiões do Estado, contribuíram para o desenvolvimento do município.

Em 1948, já com a denominação de Jangada, foi elevado a distrito, então pertencente a Cuiabá. Em 1953 passa a pertencer a Acorizal, município recém-criado. Em 1988, é realizada a primeira eleição municipal, cujos vencedores (prefeitos e vereadores) tomaram posse no ano seguinte.

(Colaboraram Karine Miranda, Sinfra; Fernanda Nazário, SES; e Thielly Bairros, Sedec)

Fonte: GOV MT

Propaganda

POLÍTICA MT

Elizeu Nascimento propõe cota nas faculdades para jovens que cumprirem serviço militar

Publicados

em


.

PL de Elizeu Nascimento beneficia jovens que cumprirem serviço militar

Foto: FABLICIO RODRIGUES / ALMT

O Projeto de Lei nº 828/2020, de autoria do deputado estadual sargento Elizeu Nascimento (DC), institui cota de 10% das vagas de todos os cursos de graduação das instituições federais de educação superior em favor de candidatos que tenham cumprido o serviço militar obrigatório integralmente em Mato Grosso. O projeto, que tramita na Assembleia Legislativa de Mato Grosso desde o dia 23 de setembro deste ano, aguarda aprovação.

De acordo com o parlamentar, o serviço militar cobra dos jovens disponibilidade total e isso os impossibilita de estudar para vestibulares ou Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Nesse sentido, a implementação da cota possibilitaria que o jovem não tenha o seu ingresso em um curso superior dificultado pela indisponibilidade de tempo. Segundo o Ministério da Defesa, o Serviço Militar Obrigatório se divide em três etapas ao longo de um ano, o Alistamento Militar, a Seleção Geral e a Incorporação ou a Matrícula.

“Se considerarmos as exigências impostas aos jovens, acho justo que o Estado dê contrapartidas que possam ao menos compensar parte do esforço e tempo dedicados ao serviço militar”, pondera Nascimento.

Leia Também:  Pontes e pavimentação: Governo investe em obras de infraestrutura na região do Vale do Araguaia

Fonte: ALMT

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA