POLÍTICA MT

Parceria entre Assembleia Social, BPW Cuiabá e Igreja de Jesus Cristo distribui mais de 9 mil máscaras de proteção

Publicados

em


.

Desta vez, foram contempladas quatro instituições filantrópicas

Foto: Karen Malagoli

Mais 1200 máscaras faciais de tecido foram entregues a instituições filantrópicas na segunda-feira (14), no foyer do Teatro do Cerrado Zulmira Canavarros, mediante parceria entre a Assembleia Social, a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias e a BPW-Cuiabá. Com o novo repasse, o número chega a 9260 máscaras.

O projeto “Mãos que ajudam a salvar vidas” previu repasse de tecido e insumos (como linhas e agulhas) por parte da AL Social e da BPW e a Igreja de Jesus Cristo disponibilizou fiéis voluntários para a produção. Com as quatro últimas entidades filantrópicas, foram atendidas 13 instituições e os moradores dos bairros circunvizinhos às unidades da igreja parceira.

Nesta entrega, receberam 500 máscaras a Central Única de Favelas de Mato Grosso (Cufa-MT), 600 máscaras distribuídas igualmente para a Igreja Assembleia de Deus (da região do CPA, em Cuiabá), a Cooperativa de Consumo do Estado de Mato Grosso (Cocemat) e a Igreja Assembleia de Deus Jesus Virá, e outras 100 serão distribuídas conforme demanda da Assembleia Social.

Leia Também:  Projeto de lei regulamenta uso de drones para combate a incêndios florestais

O tesoureiro da Cufa-MT, João Vitor da Silva Santos, apontou que as máscaras serão muito importantes ainda neste momento, pois há muitas famílias precisando, especialmente das infantis. “Ainda temos famílias em necessidade, porque está aumentando o número daquelas abaixo da linha da pobreza. Estamos lutando para amenizar o sofrimento dessas pessoas”, conta.

O diretor da Cooperativa de Consumo do Estado de Mato Grosso (Cocemat), Alceu Salvador de Lara, agradeceu as doações e contou que as máscaras serão distribuídas para a comunidade do bairro 1º de Março (em Cuiabá) e para os associados. “É uma forma de levar a conscientização para a nossa comunidade, porque passamos por uma pandemia ainda não superada”, avaliou.

Esta ação é o fortalecimento das iniciativas conjuntas entre a Assembleia Social e a igreja voluntária. “Temos uma parceria antiga com a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, já com Oficinas de Armazenamento de Alimentos e outros cursos na comunidade. E agora, com a pandemia, surgiu esta parceria tão bonita, tão solidária”, explicou a diretora da AL Social, Daniella Paula Oliveira, reforçando que “estamos de braços abertos, sempre, para fortalecer parcerias como essa, que pensam no bem comum”.

Leia Também:  Escola indígena de General Carneiro passa por manutenção e readequação

“A Assembleia Social já é parceira nossa há alguns anos. Este ano, em razão da pandemia, nós optamos pelo projeto ‘Mãos que ajudam a salvar vidas’. Já entregamos máscaras para três presídios, para estas quatro entidades de hoje e para associações de moradores, de mulheres negras e outras instituições como a ONG Autoestima. Com isso, atendemos vários bairros de Cuiabá e Várzea Grande”, finaliza a diretora de Assuntos Públicos da Igreja de Jesus Cristo da estaca Cuiabá, Maria Nascimento Tezolin.

Fonte: ALMT

Propaganda

POLÍTICA MT

Violência no trânsito custou R$ 28,5 milhões para a Saúde de Mato Grosso em 5 anos

Publicados

em


.

Dados estatísticos do Sistema Único de Saúde (SUS) apontam que, no período de 2014 a 2018, ocorreram mais de 26 mil internações ao custo de R$ 28,5 milhões em Mato Grosso. No país, foram R$ 14 bilhões em custos para o SUS somente no ano de 2019.

Esses dados são considerados alarmantes pelas autoridades de trânsito e por profissionais da área da saúde pública estadual e estão em debate no I Encontro Mato-grossense de Mobilidade Segura e Vida no Trânsito, realizado pelo Governo do Estado, por meio de diversas secretarias e órgãos do Executivo.

O evento é realizado no momento em que se completa 10 anos de existência do Programa Vida no Trânsito – instituído pelo Ministério da Saúde. Desde 2019 que o assunto passou a ser tratado de forma integrada por diversas áreas do Governo Estadual, que instituiu o Comitê Intersetorial do Programa de Vida no Trânsito, com coordenação central no âmbito da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT).

A primeira parte da programação do evento teve início na última sexta-feira (18.09), com transmissão de palestras de doutores e especialistas em mobilidade, arquitetura urbana e em saúde coletiva, que trataram de temas voltados para a promoção da paz, da saúde e da segurança no trânsito. O encontro também contou com a presença de autoridades estaduais da área do trânsito.

De acordo com os membros do Comitê que representam a pasta da saúde estadual, Rosiene Rosa Pires, coordenadora de Promoção e Humanização da Saúde, e Aparecido Samuel de Castro, coordenador do Comitê, o trânsito passou a integrar as ações de promoção da saúde no âmbito da SES desde 2019, em razão do alto índice de internações causadas por acidentes e violência no trânsito.

Leia Também:  Em Sinop, governador afirma que MT será o Estado com maior investimento em infraestrutura do país

O processo de implantação deste serviço contou com o apoio técnico do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). A finalidade é interferir na realidade do trânsito para a promoção de melhorias na segurança e para a promoção da paz e da saúde nessa área.

Mobilidade um direito social

De acordo com a representante do Conass, Mércia Gomes Oliveira de Carvalho, doutora em ciência na área da saúde pela Universidade de Brasília (UnB), a violência no trânsito é a segunda causa de morte no país, sendo os jovens na faixa etária de 20 a 39 anos de idade as principais vítimas, de acordo com dados do Ministério da Saúde no ano de 2017.

A arquiteta e consultora em urbanismo da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Silmara Vieira, enfatiza que a mobilidade é um direito social e que dá acesso a outros direitos da cidade, considerando que 80% da população brasileira residem em área urbana. Para a arquiteta, a violência de trânsito pode ser evitada, com medidas de intervenção na engenharia da mobilidade, voltadas para a segurança e para a saúde das pessoas. “As cidades ainda são planejadas para os veículos e não para as pessoas”, destacou.

Leia Também:  Nova delegacia é construída com união de instituições públicas e sociedade

Para o presidente do Conselho Estadual de Trânsito (CETRAN-MT) e diretor executivo do DETRAN, José Eudes, o trânsito está interferindo na saúde do cidadão. A mudança de comportamento deve existir para que se promova a cultura de paz no trânsito.

Acidentes e pandemia

O representante do Batalhão da PM de Trânsito, o 1º Tenente da PM Carlos Manoel Sanches destaca o alto índice de acidentes com motos, que ocupa o primeiro lugar no ranking de acidentes e violência no trânsito, no ano de 2019. “É alarmante essa quantidade de acidentes e gera um impacto grande em diversas áreas e especialmente na esfera da saúde pública”, enfatizou.

Segundo dados da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, no período de janeiro a agosto dos anos de 2019 e 2020, houve uma diminuição a partir de março em razão da pandemia e do isolamento social. Porém, com a flexibilização da mobilidade social, já houve aumento das ocorrências.

Serviço

O evento conta com transmissão em tempo real, via canal do YouTube da Escola de Saúde Pública (ESP-MT) e a programação prossegue até o dia 21 de setembro.

A programação do I Encontro Mato-grossense de Mobilidade Segura e Vida no Trânsito pode ser acessada pelo link: http://www.saude.mt.gov.br/upload/noticia/1/arquivo/170920110630-SES-MT-A-programacao.pdf

Fonte: GOV MT

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA