POLÍTICA MT

Professora aposta em livros digitais para estimular leitura durante a pandemia

Publicados

em


.

A professora Mariana de Melo, da Escola Estadual Marechal Rondon, localizada no município de Juína (a 735 quilômetros a noroeste da Capital) aposta nos livros digitais para desenvolver um trabalho de estímulo à leitura com suas quatro turmas do 6º ano do ensino fundamental.

Com as aulas remotas e os alunos sem acesso à biblioteca, a professora se aliou à tecnologia e pensou em livros que podem ser baixados pelos alunos fazerem a leitura em casa.

Os alunos gostaram da proposta e a terão a tarefa de ler um livro por dia. Entre os títulos sugeridos estão “O Pequeno Príncipe”, “Diário de um banana” e “Malala, a menina que queria ir para a escola”. Como avaliação, os alunos deverão fazer um vídeo relatando o que entenderam da obra.

Biblioteca

Para os alunos que estudam com material impresso, Mariana optou por outra dinâmica. Os estudantes deverão utilizar os livros da biblioteca da escola. Para isso, enviam o nome do livro desejado. Mariana está combinando com a equipe gestora para marcar dias específicos para que os estudantes possam buscar o livro na escola, seguindo as regras de higiene e distanciamento social.

Leia Também:  Policiais penais recebem cautela individual de novas pistolas

Nas aulas presenciais em 2019, Mariana sempre trabalhou a importância da leitura no processo da aprendizagem. Durante as aulas, a professora percebeu que alguns alunos são leitores natos e estavam desviando da leitura e utilizando jogos e brincadeiras disponíveis na internet.

“Então fiz uma proposta de baixar livros e fazer a leitura digitalmente. Em seguida, gravar um pequeno vídeo contando o que entenderam do livro”, explica.

No entendimento da professora, a leitura tem que ser sugerida e prazerosa, jamais imposta. A sua expectativa é que, mesmo com livros na internet, os alunos mantenham o hábito de leitura.

Mariana salienta que a EE Marechal Rondon tem como uma de suas características, um trabalho voltado para a leitura com muitos alunos que se dedicam à leitura, graças a um trabalho da equipe gestora.

“É um trabalho intensivo de incentivo à leitura. Quando comecei a lecionar no 6º ano, percebi o quanto os alunos gostam de ler. Então, o meu desafio era incentiva-los e fazer com que continuassem com o hábito de leitura”, explica.     

Leia Também:  Governador anuncia que salários dos servidores voltam a ser pagos dentro do mês trabalhado

A professora lembra que, durante a pandemia, os alunos ficaram um certo período sem leitura. Então, aproveitou a tecnologia para incentivar a sua turma a realizar as atividades em vídeo postado no grupo de WhatsApp de pais e alunos.

Tecnologia

Mariana também não economiza em tecnologia. Para o 6º ano, Mariana trabalha em cima da apostila da Seduc disponibilizada para toda as unidades escolares. O conteúdo trabalhado é gênero jornalístico e anúncios. Com isso, solicitou uma entrevista com os pais sobre algum tema atual, no caso o coronavírus. Ao invés de escrever, os alunos gravaram em vídeo a entrevista.

“Uma de minhas alunas entrevistou o pai falando sobre os cuidados que devemos tomar em casa. O vídeo foi compartilhado com os demais alunos. Ficou muito bom”, comemora. 

Ao abordar o gênero jornalístico, a professora convidou um conhecido jornalista da cidade num bate-papo virtual com os alunos das suas turmas. Durante a conversa, foi abordado a questão das fake news. Os alunos perceberam que muitas notícias que eles achavam ser verdadeiras, eram falsas.  

Fonte: GOV MT

Propaganda

POLÍTICA MT

Secel informa cronograma de pagamentos da renda emergencial de cultura

Publicados

em


.

Na sexta-feira (25.09), a Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel) inicia a análise e validação do primeiro lote de inscrições para solicitação do auxílio emergencial da Lei Aldir Blanc. Conforme cronograma, os profissionais da cultura que se cadastrarem na plataforma Estado do Amanhã até quinta-feira (24.09) serão os primeiros a receber o benefício.

O pagamento dos cadastros aprovados nesse primeiro lote será feito em parcela única de R$ 1.800,00 no dia 19 de outubro. Antes disso, os dados dos trabalhadores que solicitarem o auxílio passarão por validação dos critérios estabelecidos na regulamentação federal. O resultado da análise será divulgado a partir do dia 09 de outubro. 

Solicitações enviadas de 25 de setembro a 09 de outubro estarão no segundo lote de análise e, caso aprovadas, serão pagas em 27 de outubro. Já no terceiro e último lote, constarão as inscrições feitas entre os dias 10 e 24 de outubro, e tem pagamento programado para 20 de novembro.

O cronograma completo, incluindo prazo para recursos das análises, é um dos itens do regulamento geral para cadastro dos trabalhadores da cultura. O documento está disponível no site www.cultura.mt.gov.br/lei-aldir-blanc e na plataforma para cadastramento.

Até a manhã de quarta-feira (23.09), foram contabilizadas cerca de 1.400 inscrições. Deste total, somente 382 profissionais finalizaram o cadastro com a solicitação do auxílio emergencial. O restante realizou somente o cadastramento geral de acesso à plataforma. Por isso, a secretaria estadual alerta sobre a necessidade de finalização do cadastro para que o pedido seja analisado.

Leia Também:  Educadores e estudantes de Escola Estadual de Alta Floresta participam de mutirão de purificação de córrego

“O interessado deve preencher também o formulário de solicitação da renda emergencial, completando todas as etapas de preenchimento do cadastro. Ressaltamos ainda que o cronograma de pagamentos varia de acordo com a data do cadastramento, quanto antes solicitar, mais rápido o valor pode estar na conta do trabalhador da cultura”, explica o secretário adjunto de cultura da Secel, Paulo Traven.  

Em Mato Grosso, a previsão era de que aproximadamente 8.500 profissionais pudessem receber o benefício. Do valor destinado para as ações de responsabilidade do Estado, que é de quase R$ 26 milhões, foram programados mais de R$ 15 milhões para o pagamento de renda mensal aos trabalhadores da cultura. Caso haja sobra na execução dessa ação, os recursos serão realocados nos editais que atenderão todos os segmentos culturais e que serão abertos para inscrições nos próximos dias. 

Como solicitar a renda emergencial

Para requisitar o auxílio, o profissional da cultura deve acessar a multiplataforma de soluções digitais Estado do Amanhã (www.estadodoamanhã.com.br).  A plataforma, que é gerida pela Secel em cooperação com a Central das Organizações do Estado de Mato Grosso (Cordemato), recebe os dados que serão analisados, validados e aprovados para transferência de recursos diretamente aos trabalhadores. 

Para ajudar na hora no cadastramento, uma equipe de apoio fica disponível das 8h às 00h para tirar dúvidas pelo chat da plataforma. Foram preparados também materiais orientativos, como a cartilha para pessoas físicas com informações sobre os critérios para recebimento da renda emergencial e tutoriais, escrito e em vídeo, de como acessar e preencher o cadastro. 

Leia Também:  Todos os municípios de Mato Grosso apresentam risco baixo de contaminação da Covid-19

Requisitos para solicitar o auxílio

São considerados trabalhadores da cultura todos os profissionais que participam de cadeia produtiva dos segmentos artísticos e culturais, como artistas, contadores de histórias, produtores, técnicos, curadores, oficineiros, professores de escolas de arte e capoeira. 

O valor da renda emergencial é de três parcelas mensais de R$ 600,00 e está limitado a dois membros da mesma família.  Mulheres provedoras de família monoparental recebem o dobro do benefício. 

Para receber a renda emergencial, os trabalhadores da cultura com atividades interrompidas precisam evidenciar a atuação social ou profissional nas áreas artística e cultural nos últimos dois anos. A comprovação será feita de forma documental e autodeclaratória na plataforma de cadastramento. 

Confira os demais requisitos:

– não ter emprego formal ativo;

– não apresentar renda familiar mensal per capita superior a meio salário-mínimo ou renda familiar mensal total maior do que três salários mínimos;

– não receber benefício previdenciário, assistencial, seguro-desemprego ou verba de programa de transferência de renda federal, à exceção do Programa Bolsa Família;

– não ter recebido, no ano de 2018, rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70;

– não ser beneficiário do auxílio emergencial previsto na Lei nº 13.982, de 2 de abril de 2020.

Fonte: GOV MT

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA