POLÍTICA MT

Professores e equipe gestora se reúnem para debater sobre novas tecnologias nas aulas não presenciais

Publicados

em


.

Equipe gestora e profissionais da educação da Escola Estadual Senador Azeredo, no bairro do Porto, em Cuiabá, realizaram uma reunião pedagógica presencial para as devidas apresentações e esclarecimentos sobre as aulas não presenciais. Tanto os coordenadores pedagógicos como a maior parte dos professores são novos na unidade escolar.

A equipe gestora garante que não medirá esforços para melhorar o índice de aprendizagem da unidade escolar. O encontro ocorreu na sexta-feira (11) no período matutino, no pátio da escola e contou com representantes do Conselho Deliberativo da Comunidade Escolar (CDCE).

Segundo o coordenador pedagógico Douglas Garin, a reunião ocorreu nas dependências da Escola Estadual para que a equipe gestora pudesse ter contato presencial com os professores.

“Foi um momento de apresentação não só da nova equipe gestora como dos novos professores que compõem o corpo docente da escola. Embora tenhamos vários encontros individuais online, faltava esse encontro no coletivo”, destaca.

A coordenadora pedagógica Bruna Raquel Santos, acrescenta que a reunião foi importante, pois foram debatidos temas para o início do ano letivo não presencial. Como se trata de uma situação atípica, foram esclarecidos pontos como o fluxo de trabalho, a equipe fez uma orientação geral sobre a avaliação diagnóstica que todas as escolas estão realizando nesse período.

Leia Também:  Projeto que tramita na AL concede desconto em IPVA para agentes da Segurança Pública de MT

“O ponto principal da reunião foi o debate sobre como os professores estão trabalhando as aulas online o atendimento aos alunos na plataforma Microsoft Teams e pelo aplicativo WhatsApp. Traçamos estratégias para motivar e manter os alunos nos grupos das aulas online. Para os alunos sem acesso à internet, foram disponibilizados materiais impressos”, frisa.

Tecnologia

Douglas Garin destaca que, durante o encontro, foram debatidas questões do uso da tecnologia nos cursos de formação. Os participantes concluíram que as aulas não presenciais é uma situação nova tanto para os professores como para a equipe gestora.

O diretor Handus Silva Freitas esclarece que alguns professores não participaram por ser grupo de risco ou licença saúde. Além disso foram respeitadas as normas de higienização das mãos, aferimento de temperatura corporal, uso de álcool em gel, uso de máscara, distanciamento de 2 metros.

Desafios

“Todos estão cientes dos desafios e dificuldades decorrentes da pandemia de Covid-19. Todavia, todos estão igualmente motivados e prontos para o enfretamento consciente, com responsabilidade e compromisso com a oferta de uma educação de qualidade”, assinala.

Leia Também:  Domingo (27): Mato Grosso registra 120.641 casos e 3.400 óbitos por Covid-19

No entendimento da assessora pedagógica Suzana Rondon, a iniciativa da reunião presencial permitiu uma troca maior de saberes, o fortalecimento da parceria entre os pares, o esforço para cumprir as diretrizes educacionais da Secretaria de Estado de Educação (Seduc).

“A atitude de organizar uma reunião presencial fortalece o compromisso da equipe gestora com a qualidade do processo de ensino e aprendizagem, com educação de qualidade, com nossos alunos que ainda encontram dificuldades para acompanhar as aulas não presenciais”, salienta. A EE Senador Azeredo tem 452 alunos matriculados no ensino fundamental do 1º ao 9º ano.

Fonte: GOV MT

Propaganda

POLÍTICA MT

João Batista defende a cautela permanente de arma de fogo para os policiais penais

Publicados

em


Deputado João Batista comentou em sessão plenária veto ao seu projeto de lei

Foto: ANGELO VARELA / ALMT

Após a publicação do veto ao Projeto de Lei nº 226/2019, que dispõe sobre a concessão de cautela permanente de arma de fogo aos agentes penitenciários, o deputado estadual João Batista do Sindspen (Pros) usou a tribuna, nesta terça-feira (29), para chamar a atenção sobre o tema. O veto do governador Mauro Mendes foi publicado no Diário Oficial da última segunda-feira.

Batista abriu a defesa falando sobre o parecer contrário da Comissão de Fiscalização e Acompanhamento da Execução Orçamentária ao Projeto de Lei nº 201/2019, de autoria do deputado Delegado Claudinei (PSL), no qual concede a isenção de ICMS na aquisição de armas de fogo, munição e colete balísticos pelos integrantes dos órgãos da Segurança Pública (Polícia Militar, Polícia Civil, Bombeiro Militar e Polícia Penal).

“Sou integrante da Segurança Pública de Mato Grosso, por isso digo que irei votar contra este parecer. O assunto ‘isenção fiscal’ é um tema muito complexo para ser debatido dentro do Parlamento. Por exemplo, podemos conceder incentivos fiscais para grandes empresas, mas não podemos ajudar o agente de segurança a estar devidamente paramentado?”, indagou o deputado.

Leia Também:  Equipe da Seciteci-MT se reúne com representantes da Secti-RJ; em pauta recursos e novas parcerias

Na oportunidade, João Batista comentou sobre o veto ao seu Projeto de Lei nº 226/2019, no qual foi apontado como “vício de iniciativa”, quando não cabe aos deputados estaduais legislar sobre determinado tema.

“O que é vício de iniciativa e o que não é? Acredito que devemos criar uma frente no Parlamento para podermos debater temas como este com o governador. Tenho alguns projetos que consegui emplacar junto ao Poder Executivo, evitando assim o vício de iniciava. Acredito que em projetos como os de autoria do Delegado Claudinei, assim como o meu projeto de cautela permanente, pode ser encaminhado para a Assembleia por meio do governo do estado. Só não podemos deixar nossos irmãos e irmãs de farda desprotegidos e à mercê da criminalidade”, finalizou João Batista.

Fonte: ALMT

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA