POLÍTICA MT

Professores fazem ação de busca de alunos que deixaram de frequentar aulas remotas

Publicados

em


Professores e equipe pedagógica da Escola Estadual Juarez Rodrigues dos Anjos, no bairro Santa Laura, na Capital, fizeram uma ação educativa procurando alunos que por algum motivo deixaram de frequentar as aulas remotas. A ação ocorreu, nesta quinta-feira (08.10), à noite na feira do bairro Osmar Cabral, região que concentra a maior quantidade de estudantes da Escola. Participaram oito professores do ensino noturno que conseguiram localizar 10 alunos e entregaram as apostilas impressas. Com isso, a escola conseguiu evitar a desistência desses estudantes.

Nos grupos de WhatsApp dos estudantes e dos pais, os professores divulgaram que estaríamos na feira e o horário para que estes alertassem os amigos e outros alunos.

“Tivemos um saldo positivo, pois conseguimos não só localizar como entregar o material impresso. Os alunos se comprometeram a estudar em casa e devolver as apostilas”, comemora o coordenador pedagógico Handerson Rodrigo Alves.

Conforme o coordenador, os professores perceberam que dos estudantes só precisavam ouvir e entender a importância do retorno as aulas, mesmo diante das dificuldades enfrentadas por eles. “Todos os professores do noturno Participaram desta ação, pois resolvemos levar a aula que seria dada na plataforma, para comunidade na feira por meio de acolhimento e resgate”, salienta.

Leia Também:  Assentamento Apetrarron recebe bomba de água, indicada pelo deputado Thiago Silva

Entre os alunos que receberam o material impresso estava a aluna Siang, do 1º ano do ensino médio. A estudante ficou satisfeita com a preocupação dos professores com os alunos. “Nossa, isso é muito legal mesmo. Gostei da atitude dos professores que demonstraram se importar com o aprendizado da gente”, ressalta.

O coordenador explica que a ideia de procurar os alunos surgiu numa reunião virtual e conselho de classe do primeiro bimestre tendo como foco os alunos que deixaram de frequentar as aulas online e também não retiraram o material apostilado.     

Os professores concordaram que era o momento de resgatar os estudantes. Daí surgiram várias sugestões e uma delas foi uma visita na feira do bairro Osmar Cabral, pois seria um ponto estratégico onde seriam localizados muitos estudantes.  

Na feira, os professores fizeram panfletagem, colando cartazes em locais de grande circulação como ponto de ônibus, igrejas, bares e estabelecimentos comerciais. Os professores abordavam a comunidade, conversando e dialogando se eram estudantes e de qual escola. Caso respondesse que era matriculado na EE Juarez, começava o processo de resgate.

Leia Também:  Procurador do Estado afirma que processo seletivo para escolha de diretor escolar garante democracia

 “Nos panfletos, deixamos o contato da escola para que pais, familiares ou os próprios estudantes entrassem em contato caso ainda houvesse alguma dúvida. Foi uma forma de ir onde o estudante estava. O resultado está no início, mas com certeza, vamos ter mais alunos retornado aos estudos”, comemora o coordenador.

A uma ação teve uma reação tão positiva que a escola irar transformar num projeto, após perceber a necessidade desse contato direto com a família e estudantes, pois a pandemia acabou impedindo o contato direto.

Fonte: GOV MT

Propaganda

POLÍTICA MT

Governador anuncia aos servidores a correção monetária sobre salários escalonados

Publicados

em


O Governo de Mato Grosso vai pagar aos servidores estaduais (ativos e inativos) a correção monetária sobre os salários que foram pagos de forma escalonada.

O anúncio foi feito pelo governador Mauro Mendes nesta terça-feira (27.10), após reunião com os secretários Rogério Gallo (Fazenda) e Basílio Bezerra (Planejamento e Gestão).

A correção será paga de uma só vez a todos os servidores que têm o direito na folha de novembro, junto com a folha de pagamento.

“Infelizmente o Estado de Mato Grosso, nos últimos anos, atrasou salários e em alguns meses pagou de forma parcelada. E a legislação estadual diz claramente que quando o Estado paga além do dia 10, o servidor tem direito à correção monetária. Graças ao nosso trabalho e dos nossos servidores, conseguimos consertar o Estado e isso nos permitiu pagar este direito”, afirmou o governador.

Os valores são correspondentes a pagamentos atrasados e/ou escalonados no período de agosto de 2017 a outubro de 2019, incluindo o 13° do período.

A correção será feita pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

Leia Também:  Assentamento Apetrarron recebe bomba de água, indicada pelo deputado Thiago Silva

De acordo com o secretário da Seplag, Basílio Bezerra, o Governo tem envidado todos os esforços para corrigir distorções ocorridas no passado relativas aos servidores públicos. “Esse pagamento é justo e representa a valorização e respeito aos servidores públicos estaduais”, ressaltou.

Fonte: GOV MT

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA