POLÍTICA MT

Programa de incentivo da Sedec contribui para produção de amendoim em Mato Grosso

Publicados

em


.

Resultados de pesquisas com a cultura do amendoim mostram mais uma possibilidade de produção de leguminosa para Mato Grosso. De acordo com pesquisadores da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso (IFMT) as cultivares da Embrapa registradas em 2017 apresentam alto teor de ácido oleico, apresentam elevadas produtividades em algumas regiões produtoras do estado e todas as novas linhagens produziram mais do que as cultivares do ensaio.

“Em Santo Antônio do Leste, obtivemos 5.764 Kg de amendoim em casca por hectare (kg.ha-1) média de amendoim em casca. Na lavoura de Campo Verde, obtivemos 5.543 kg.ha-1, média de amendoim em casca. E em Sorriso, 4.975 kg. ha-1, média de amendoim em casca”, revelou Jair Heuert, pesquisador da Embrapa.

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sedec MT), atenta à demanda mundial por alimento, ao perfil produtivo do estado e da potencialidade da produção de amendoim em Mato Grosso, está acompanhando esses resultados de pesquisa e tem procurado criar ambientes favoráveis para futuros negócios.

Leia Também:  Equipes de fiscalização e resgate patrulham rios do Pantanal em busca de animais feridos

“Nós reconhecemos a importância do desenvolvimento de mais uma cadeia produtiva para nosso estado. O governo tem apoiado a produção de amendoim através de incentivos fiscais, de criação de linhas de crédito e de atração de novos investimentos”, afirma Carlos Izaltino Bolzan, superintende de Agronegócios da Sedec.

O Programa de Desenvolvimento Rural de Mato Grosso (Proder) é um dos que possibilita aumentar a competitividade da produção mato-grossense com os concorrentes de outros estados. Os produtores de amendoim inscritos neste programa têm 50% de desconto do valor do Imposto Sobre a Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS).

Outro estímulo do governo de MT é o Programa de Desenvolvimento Industrial e Comercial de Mato Grosso (Prodeic) que incentiva a instalação e transformação da matéria prima produzida no estado.

“É muito importante a parceria da Sedec com a cadeia produtiva de amendoim. As pesquisas agrícolas estão mostrando que essa cultura é viável no estado e tem atraído produtores de fora do país e empresas que querem investir em Mato Grosso”, destacou Leandro Lodea, produtor em Sorriso/MT.

Leia Também:  Barra do Bugres cede ao Estado uso do imóvel que abriga Hospital Regional

A intenção do Programa de Melhoramento Genético do Amendoim é, segundo o pesquisador Jair Heuert, disponibilizar em um prazo de três anos para os produtores mais variedades adaptadas às diferentes regiões de Mato Grosso.

“Estamos focados na genética e desenvolvendo pesquisas em áreas marginais, em solos arenosos e irrigados. Acreditamos que tão logo teremos cultivares para atender todas as regiões do estado”.

Conforme a pesquisadora Tais Suassuna, da Embrapa, os campos experimentais bem como as lavouras comerciais tem mostrado que há condições em algumas regiões de Mato Grosso muito favoráveis para produção de qualidade de amendoim. “Os indicativos da safra 19/20 nos possibilitam ainda mais recomendações sobre aumento da produtividade considerando a época de plantio e o uso da tecnologia”, reforçou a pesquisadora.

Fonte: GOV MT

Propaganda

POLÍTICA MT

Claudinei defende a implantação de Companhia Independente da PM na Vila Operária

Publicados

em


.

A Vila Operária, em Rondonópolis, é uma região que compreende mais de 100 bairros

Foto: SAMANTHA DOS ANJOS FARIAS

A Vila Operária, em Rondonópolis (MT), é uma região que abrange mais de 100 bairros e, devido a sua extensão territorial, o deputado estadual Delegado Claudinei (PSL) defende a necessidade da instalação de uma Companhia Independente da Polícia Militar na região. Essa demanda faz parte da Indicação n.º 4.668/2019 do parlamentar, que, na última semana, reforçou essa matéria durante reunião remota da Comissão de Segurança Pública e Comunitária da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT). 

“A Vila Operária, de Rondonópolis, tem uma grande concentração de habitantes. Praticamente, é quase uma cidade, com população maior que a cidade de Barra do Garças. Essa Companhia Independente a ser construída é uma demanda muito antiga na Vila Operária. Eles não têm um prédio próprio, o que acaba que os policiais ficam concentrados no 5° Batalhão, que fica a uma distância de 10 a 15 km da Vila Operária”, salienta Claudinei.

De acordo com o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Jonildo José de Assis, há mais de dois anos que existe um planejamento consolidado para a construção de uma companhia da PM na Vila Operária. Ele ressalta que a fase atual é de captação de recursos.

Vila Operária – Para o chefe da divisão de administração do 4° Comando Regional da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso (PMMT), tenente-coronel Mauro Márcio Osório, se for avaliar o nível populacional e estratégico de Rondonópolis, a Vila Operária abriga mais da metade da população do município. “Então, a ideia nossa é descentralizar a atividade policial, transformando aquela Companhia Comunitária, que existe desde o ano de 2017, na Vila Operária, em uma Companhia Independente que na verdade atua como um Batalhão, mas com demandas de efetivo menor”, esclarece.

Leia Também:  Governo vai fomentar rodadas de negócios e plataforma de oferta turística para atrair interessados de dentro do Estado

Foto: SAMANTHA DOS ANJOS FARIAS

Ele informa que, atualmente, Rondonópolis conta com cerca de 250 mil habitantes e seria interessante contar com dois batalhões, pois só existe o 5° Batalhão da PM. “Se conseguirmos concretizar a ideia, vamos conseguir atender aquela região da Vila Operária como unidade específica. Então, as guarnições de serviço não vão precisar ir até o 5° Batalhão, que fica no 4° Comando Regional, e poderá ter o atendimento mais aproximado da população”, explica Osório.

Segurança Pública – O tenente-coronel ressalta que a Vila Operária conta com unidades do Corpo de Bombeiros Militar, Companhia Ambiental e Delegacia da Polícia Judiciária Civil (PJC), que vai só faltar uma unidade da Polícia Militar para a região e será um amparo necessário para a população. Ele explica que a implantação da companhia vai permitir que o atendimento se estenda também para os municípios de São José do Povo, Guiratinga e Tesouro. “A ideia é ser a 17ª Companhia e atender a região da Vila Operária com seus mais de 90 mil habitantes e mais de 62 mil eleitores e abranger estes municípios”, enfatiza.

Osório destaca que hoje são cerca de 35 policiais militares que atendem a Vila Operária e que com a instalação da unidade policial vai favorecer para a efetivação de cerca de 50. “Na verdade, este é um anseio não só institucional, mas de toda a região da Vila Operária. A gente vê que essa unidade vai com certeza trazer um resultado positivo para a população, um atendimento mais rápido e resolução mais eficiente”, comenta.

Terrenos – Há três terrenos estratégicos que tanto o tenente-coronel e comandante-geral do 4°Comando Regional, Gleber Cândido Moreno, quanto o deputado Claudinei e o senador Wellington Fagundes (PL) já visitaram os locais, explica Osório. “A nossa intenção era colocar essa Companhia em um local estratégico, sendo uma área que fica na subida da avenida Bandeirantes, que é da União, outra na região da Coder (economia mista e municipalizada), que fica em frente à funerária e ao Corpo de Bombeiros e outro o local do antigo CSU (Centro Social Urbano), que é uma área do estado e repassada ao município, na região do Sumaré”, detalha.

Leia Também:  Projeto de Lei propõe que escolas estaduais recebam nome de educadores

Ele destaca que essas áreas favorecerão para que tanto os moradores da Vila Operária como dos três municípios tenham um acesso mais próximo para falar com a guarnição. “Nós dependemos desta parte estratégica dos políticos fazerem a intervenção e articulação para disponibilizar este espaço para erguer essa unidade tão sonhada. Na verdade, essa unidade vai estreitar o laço com a sociedade e a instituição”, conclui o Osório.  

Audiência pública – O deputado lembra que chegou a fazer uma audiência pública para abordar sobre este assunto, que contou com representantes da segurança pública, como a Secretaria de Estado de Segurança Pública de Mato Grosso (Sesp), polícias militar e civil, mas não teve a participação do prefeito municipal, José do Pátio (SD). 

“Não tivemos a participação do prefeito. Infelizmente, não se importa com a segurança pública da região que o elegeu. A Vila Operária é onde tem mais eleitores de Rondonópolis cadastrados. Não compareceu e nem nos atendeu na época para ver um terreno que poderia ser cedido pelo município. Então, a gente fica na correria por emendas estaduais e federais, acredito que a sociedade também iria ajudar. Agora vem a notícia desta emenda do senador Wellington, que é sempre parceiro das instituições de segurança pública”, pontua.

PM Vila Operária – No ano de 2001, foi criado o Núcleo de Polícia Militar, localizado na Vila Operária, onde permaneceu por 16 anos até se transformar em Companhia Independente, no ano de 2017, pelo 4° Comando Regional da Polícia Militar. Há mais de um ano, o prédio foi desocupado por não ter as condições mínimas de permanência.     

Fonte: ALMT

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA