POLÍTICA MT

Projeto de lei cria programa estadual de prevenção à depressão e ao suicídio na rede estadual de ensino

Publicados

em


.

Saber reconhecer os sinais de alerta ao suicídio em alguém próximo pode ser o primeiro e mais importante passo, já que a OMS afirma que 90% dos casos poderiam ser evitados

Foto: ROSE DOMINGUES

O deputado e médico Dr. Gimenez é autor do projeto de lei que segue para sanção do governo estadual

Foto: JLSIQUEIRA / ALMT

O suicídio é a segunda causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos no mundo, e a sétima entre crianças de 10 a 14 anos, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). Com o intuito minimizar esse quadro, estiá em tramitação na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), o Projeto de Lei 940/2019, que cria o programa estadual de prevenção e combate à depressão e ao suicídio na rede estadual de ensino.

Conforme o deputado estadual e médico, Dr. Gimenez (PV), o objetivo principal é estabelecer cooperação técnica entre os governos federal, estadual e municipal com mecanismos de capacitação de professores e profissionais da rede de ensino para atuarem como agentes preventivos. 

Leia Também:  Universitários da Unemat apresentam projetos de Eletrônica e Robótica em live do MT Ciências

“Em nosso estado, os casos de suicídio tiveram aumento de 10%, em 2019, com maior incidência de jovens entre as vítimas. As redes sociais vêm influenciando muito nesse agravamento, por isso precisamos atuar conjuntamente escola, família, amigos e sociedade, para prevenir mais mortes nesta faixa etária”. 

O projeto foi aprovado na sessão plenária desta quarta-feira (02) e segue para sanção do governo estadual, com a orientação para a criação de um protocolo de atendimento que inclua acompanhamento psicológico, canais de atendimento adequado nos ambientes escolares, monitoramento dos casos, interdisciplinaridade entre os profissionais envolvidos e campanha educativa permanente sobre o programa. 

Neste mês de setembro, a campanha Setembro Amarelo visa conscientizar sobre os riscos da depressão que é uma das principais causas de suicídio. O Brasil é o 8° país com maior número de vítimas, sobretudo entre os jovens. Em Mato Grosso, o número de suicídios aumentou 44% no período de 2015 a 2018, saindo de um total de 150 para 216, de acordo a Secretaria de Estado de Saúde (SES). 

Leia Também:  Servidores da CGE assistem ao workshop Uma Vida Boa é Uma Vida Ética

“Como médico, busco com essa propositura de lei promover maior capacitação do professor e dos demais profissionais da educação que estão presentes cotidianamente na vida dos estudantes, para que estejam sensíveis ao problema, saibam como agir, porque nem sempre sabemos o que fazer”, acrescenta o deputado. 

Suicídio – O suicídio afetar indivíduos de diferentes origens, classes sociais, idades, orientações sexuais e identidades de gênero. Segundo especialistas, é um problema social complexo e sem uma única causa, podendo estar ligado ao alcoolismo, à violência sexual, à internet, e muitas outras conjunturas. Por isso, saber reconhecer os sinais de alerta em alguém próximo pode ser o primeiro e mais importante passo, já que a OMS afirma que 90% dos casos poderiam ser evitados. 

Ajuda – O Centro de Valorização da Vida (CVV) realiza apoio emocional e prevenção ao suicídio, com atendimento gratuito 24 horas: 188 (telefone)/www.cvv.org.br/. 
 

Fonte: ALMT

Propaganda

POLÍTICA MT

Sábado (19): Mato Grosso registra 112.817 casos e 3.262 óbitos por Covid-19

Publicados

em


.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde deste sábado (19.09), 112.817 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 3.262 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Foram notificadas 617 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 112.817 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 15.756 estão em isolamento domiciliar e 93.026 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 252 internações em UTIs públicas e 272 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 60% para UTIs adulto e em 31% para enfermarias adulto.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19, estão: Cuiabá (22.326), Várzea Grande (8.423), Rondonópolis (7.933), Lucas do Rio Verde (5.237), Sorriso (4.820), Tangará da Serra (4.635), Sinop (4.549), Primavera do Leste (3.654), Campo Novo do Parecis (2.553) e Cáceres (2.355).

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada por meio do Painel Interativo da Covid-19, disponível neste link.

Leia Também:  Retomada da Lei Seca; blitze educativas orientam motoristas e pedestres em Cuiabá e Várzea Grande

O documento ainda aponta que um total de 91.064 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 974 amostras em análise laboratorial.

Cenário nacional

Na última sexta-feira (18), o Governo Federal confirmou o total de 4.495.183 casos da Covid-19 no Brasil e 135.793 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país contabilizava 134.935 óbitos e 4.455.386 casos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus.

Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou os dados atualizados de sábado (19).

Recomendações

Atualmente, não existe vacina para prevenir a infecção pelo novo coronavírus. A melhor maneira de prevenir a infecção é evitar ser exposto ao vírus. Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca do novo coronavírus. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus. Entre as medidas estão:

Leia Também:  Mais três pessoas são presas pelo homicídio do advogado em Juara; entre elas irmãos apontados como mandantes

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

– Evitar contato próximo com pessoas doentes;

– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;

– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Fonte: GOV MT

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA