POLÍTICA MT

Quinta-feira (08): Mato Grosso registra 324.899 casos e 8.403 óbitos por Covid-19

Publicados

em


A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta quinta-feira (08.04), 324.899 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 8.403 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Foram notificadas 1.707 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 324.899 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 13.813 estão em isolamento domiciliar e 300.564 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 519 internações em UTIs públicas e 504 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 97,56% para UTIs adulto e em 58% para enfermarias adulto.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (69.393), Rondonópolis (24.443), Várzea Grande (20.937), Sinop (16.345), Sorriso (11.979), Tangará da Serra (11.135), Lucas do Rio Verde (10.737), Primavera do Leste (9.479), Cáceres (7.011) e Alta Floresta (6.264).

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada por meio do Painel Interativo da Covid-19, disponível neste link.  

Leia Também:  Seplag promove treinamento sobre Gestão e Fiscalização de Serviços

O documento ainda aponta que um total de 289.079 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 1.416 amostras em análise laboratorial.

Cenário nacional

Na quarta-feira (07), o Governo Federal confirmou o total de 13.193.205 casos da Covid-19 no Brasil e 340.776 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país contabilizava 13.100.580 casos da Covid-19 no Brasil e 336.947 óbitos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus.

Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou os dados atualizados desta quinta-feira (08).

Recomendações

Já existem vacinas para prevenir a infecção pelo novo coronavírus, mas ainda é importante adotar algumas medidas de distanciamento e biossegurança.

Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca da Covid-19. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo vírus. Entre as medidas estão:

Leia Também:  Vidal pede revitalização de creche, implantação de linha de ônibus e saneamento básico em três bairros de Cuiabá

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

– Evitar contato próximo com pessoas doentes;

– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;

– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Fonte: GOV MT

Propaganda

POLÍTICA MT

Tontura acomete até 30% da população; especialistas do Mato Grosso Saúde alertam sobre múltiplas causas

Publicados

em


A tontura representa uma das queixas mais presentes nos consultórios médicos, afetando, de acordo com estudos, cerca de 20% a 30% da população mundial. Para conscientização sobre a importância da busca do diagnóstico e tratamento da tontura, é celebrado anualmente em 22 de abril o Dia da Tontura, que este ano tem como tema “Impacto da tontura no indivíduo e na população” com o slogan: Não fique tonto, procure um Otorrino.

A otorrinolaringologista Thaís Baratela Loss, médica credenciada ao Mato Grosso Saúde pela Clínica Vida, observa que é preciso tratar sempre a origem e não a consequência da vertigem, diminuindo o impacto da doença na vida da população. “A tontura não é uma doença, mas sim um sintoma que pode estar ligado a diversos diagnósticos”, frisa a especialista.

Em relação a um diagnóstico inicial, é preciso estar atento a sintomas que muitas vezes parecem inespecíficos. Enxaquecas, visão manchada, sensibilidade a barulho, sensação de pressão no ouvido, náuseas e a própria tontura, de formas variáveis, podem ser alguns indicadores. “Toda tontura precisa ser investigada”, orienta a médica.

Leia Também:  Vidal pede revitalização de creche, implantação de linha de ônibus e saneamento básico em três bairros de Cuiabá

A médica esclarece que o tratamento não é igual para todos os pacientes. Assim, é preciso diagnosticar e tratar a doença primária e o labirinto ao mesmo tempo, cada um com suas medicações se necessário, e também com fisioterapia ou outros recursos específicos.

Já a otorrinolaringologista Elvira Lopes, também credenciada pelo Mato Grosso Saúde, observa que, várias doenças podem acarretar a tontura, como a Diabetes Mellitus, doenças da tireóide, alterações do colesterol, cardiopatias, mal estar no carro, navio, enxaqueca vestibular, inflamação no nervo devido infecção por vírus, a doença dos cristais, sendo o acidente vascular encefálico (AVC) a causa mais comum de tontura, tumores e mais raramente a labirintite.

Prevenção

Dentro do tema da campanha do Dia da Tontura de 2021, Elvira Lopes explica que a tontura altera a qualidade de vida das pessoas acometidas, podendo causar lesões, quedas, além de ser um alerta para doenças mais graves, com necessidade de ajuda médica o mais rápido possível, por isso, diante do sintoma, a orientação principal é procurar um otorrinolaringologista, médico especializado para investigação diagnóstica e tratamento adequado.

Leia Também:  Max Russi cobra estrutura para hospitais do interior

Alimentação

Além do diagnóstico, existem outros fatores que requerem atenção.  “Importante o paciente não ficar em jejum prolongado, evitar abuso de cafeinados (como café, chá mate, guaraná ralado, chá verde) e açúcares, fazer atividades físicas regulares e controlar o estresse, principalmente nessa época de pandemia, observado muitos casos de tontura, já que os hábitos das pessoas se modificaram”, afirma a médica.

Elvira Lopes destaca a importância de sempre buscar auxílio médico em caso de tontura, pois ele será a pessoa mais indicada para investigar as queixas e oferecer um tratamento correto e individualizado.

Dia Nacional

Celebrado dia 22 de abril, o Dia Nacional da Tontura alerta para o incômodo e prejudica muito a vida do indivíduo e da população. 

“O objetivo de conscientizar a população de que a tontura não é uma doença, mas sim um sintoma que pode ser atrelado a diversos diagnósticos, inclusive doenças graves. O mais importante é uma avaliação médica adequada e não fazer automedicação, pois os remédios para tontura apresentam muitos efeitos colaterais”, alerta a médica Elvira Lopes.

Fonte: GOV MT

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA