POLÍTICA MT

Salto do Céu comemora aniversário com obras contratadas, ações de combate à Covid e repasses em dia

Publicados

em


.

O município de Salto do Céu (350 quilômetros ao sudoeste de Cuiabá) pode comemorar seus 56 anos de fundação nesta terça-feira, 1º de setembro, com boas notícias.

Já estão contratadas as obras de restauração de 99,09 quilômetros da rodovia MT-170, no trecho entre o entroncamento da BR-174, no distrito cacerense de Caramujo, e o município, beneficiando seus 3.365 habitantes. Com investimentos de R$ 11 milhões, os trabalhos serão iniciados em breve.

Outra obra de infraestrutura beneficiando Salto do Céu é a manutenção de 72,61 quilômetros da rodovia não pavimentada MT-246, no trecho entre o fim da pavimentação, na divisa com Barra do Bugres, e Salto do Céu. Este serviço é fruto de um convênio entre o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra) e Prefeitura de Barra do Bugres.

Como contribuição ao combate da pandemia da Covid-19, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES), repassou ao município 275 testes rápidos para detecção do vírus e medicamentos para o seu tratamento – 1.514 comprimidos de azitromicina, 1.211 de ivermectina e 9.590 de dipirona, distribuídos em 236 frascos.

Em repasses financeiros, o município recebeu neste ano de 2020 (até maio) R$ 1,995 milhão referentes a ICMS, IPVA e Fethab, além de outros R$ 1,295 milhão em assistência social, transporte escolar, convênios na área de saúde e emendas parlamentares, entre 2019 e maio deste ano.     

Leia Também:  Deputado constata falta de efetivo policial e viaturas na Delegacia Regional de Pontes e Lacerda

Economia

A administração pública, com R$ 22,7 milhões, responde por quase 40% do Produto Interno Bruto (PIB) municipal, avaliado em R$ 56,8 milhões em 2017 pelo IBGE, seguido pela agropecuária, com R$ 16,79 milhões ou quase 30%. O PIB per capita é de R$ 16.987,73.

Salto do Céu possui um rebanho bovino com 166,2 mil cabeças, das quais 4.221 vacas ordenhadas e 8,396 milhões de litros de leite, avaliados pelo IBGE, em 2018, por R$ 7,557 milhões.

É o sétimo no ranking mato-grossense na criação de pacu e patinga, com 16,2 toneladas de um total de 162 toneladas de peixes produzidos pela piscicultura saltense.

O município produziu também em 2018, conforme o IBGE, soja (5 mil toneladas), milho (2.100 toneladas), mandioca (650 toneladas) e feijão (12 toneladas). Sua silvicultura responde por uma área plantada de 2.319 hectares, dos quais 856 dedicados à plantação de eucaliptos.

História

Segundo o site da Prefeitura, a região onde hoje se localiza Salto do Céu era habitada pelos índios bororos. O município tem origem nos programas de colonização, a partir do desdobramento, a partir dos anos de 1960, da Gleba Rio Branco, criada na década anterior.

Leia Também:  PL amplia alíquota de ICMS para compra de armas de fogo em Mato Grosso

Cahoeira de Salto do Céu – Crédito da foto Prefeitura de Salto do Céu 

A procura de novas áreas para a produção de cereais, os pioneiros se depararam com uma queda d’água, que chamaram de Salto do Céu, onde se assentaram em lotes de 200 metros por mil metros. A cachoeira fica localizada na região central do perímetro urbano do município.

A primeira missa do atual município foi rezada em 1964, enquanto os primeiros cultivos foram arroz e feijão, duas culturas que marcaram o desenvolvimento da povoação. O município foi criado 15 anos depois, em 1979, e instalado em janeiro de 1981.    

Por causa de suas cachoeiras, o município tem potencial turístico. As mais conhecidas são a que empresta o nome à cidade (Salto do Céu), Salto das Estrelas, Salto das Nuvens, das Abelhas e Córrego Rico (com 70 metros de altura).  

(Colaboraram Karine Miranda, Sinfra; e Fernanda Nazário, SES)

Fonte: GOV MT

Propaganda

POLÍTICA MT

Contra veto do governo, Elizeu Nascimento vota favoravelmente à categoria dos fisioterapeutas de MT

Publicados

em


Deputado Elizeu Nascimento votou pela derrubada do veto governamental

Foto: ELIEL TENORIO PEREIRA

Na manhã desta quarta-feira (30), em confinamento, durante sessão plenária remota, o deputado sargento Elizeu Nascimento (DC) votou pela derrubada do veto, pelo governo do estado, ao Projeto de Lei 718/2019, que garante assistência 24 horas de fisioterapeutas nas UTIs situadas em Mato Grosso, reiterando, assim, o seu apoio aos profissionais que compõem a classe.

No total, 17 parlamentares votaram pela derrubada do veto do governo, que não queria a aprovação do projeto, e três votaram contra a proposição, que visa garantir a permanência do profissional de fisioterapia nas UTIs adulta e pediátrica de hospitais e clínicas públicas ou privadas dentro das 24 horas de atendimento.

Antes da aprovação, o paciente tinha o direito de assistência de 6 a 12 horas, colocando em risco a vida e as possibilidades de recuperação da população que necessita deste tipo de assistência.

“O projeto beneficia os profissionais da categoria e também a sociedade, por isso votei pela derrubada do veto. Pois, de acordo com a proposição, a assistência 24 horas de fisioterapeutas nas UTIs contribui para o aumento da taxa de sobrevida aos enfermos em estado grave, por oferecer um suporte eficiente para o paciente”, afirmou o parlamentar.

Leia Também:  Deputados acatam emenda para garantir contratação de defensores públicos

Fonte: ALMT

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA