POLÍTICA MT

Simpósio da Dislexia será realizado nos dias 5 e 6 de outubro

Publicados

em


.

Foto: FABLICIO RODRIGUES / ALMT

A Assembleia Legislativa realiza, nos dias 5 e 6 de outubro, o V Simpósio sobre Dislexia de Mato Grosso. O evento acontece em conjunto com a Associação Mato-Grossense de Dislexia. Trata-se de uma iniciativa do deputado estadual Wilson Santos (PSDB) que tem apresentado projetos de leis e propostas de políticas públicas em defesa dos disléxicos e outros temas de educação inclusiva, encontrando apoio no governo do estado.

Por conta da pandemia do coronavírus (Covid-19) e as necessidades de distanciamento social para prevenir a disseminação, o evento será totalmente on-line, sendo transmitido pela TV Assembleia Legislativa (30.1) e pela página do Facebook (https://www.facebook.com/facealmt).

A abertura do evento está programada para o dia 5 de outubro a partir das 18h30. Em um primeiro momento, serão exibidos vídeos a respeito do histórico do Simpósio de Dislexia.

Em seguida, será dada palavra as autoridades. Está confirmada a participação do idealizador, deputado estadual Wilson Santos, governador Mauro Mendes (DEM), a secretária de Estado de Educação, Marioneide Kliemaschewsk, o promotor Miguel Slhessarenko Júnior e representantes da Associação Brasileira de Dislexia. Haverá ainda uma palestra, a partir das 19h40, com o neuropediatra infantil Dr. Clay Brites.

Leia Também:  Ex-secretária tome posse na câmara

No segundo dia de evento, serão oferecidos mini-cursos no período das 8h às 9h. O evento retoma no período das 19h às 19h30 com duas palestras. A primeira será a respeito de dislexia com Juliana Amorina, do Instituto ABCD. A segunda está programada com o professor universitário, Dr. Rauni Roama Alves com o tema “Sinais de alertas comportamentais e emocionais da dislexia no cotidiano do ensino remoto”. 

Sobre a dislexia e suas características

A dislexia se origina da dificuldade no desenvolvimento cognitivo e no aprendizado das crianças relacionadas à leitura e à escrita. Consiste na perturbação na aprendizagem da leitura pela dificuldade no reconhecimento da correspondência entre os símbolos gráficos e os fonemas, bem como na transformação de signos escritos em signos verbais. Por isso, o público-alvo para participar do simpósio são profissionais da educação e saúde.

A dislexia do desenvolvimento é considerada um transtorno específico de aprendizagem de origem neurobiológica, caracterizada por dificuldade no reconhecimento preciso e/ou fluente da palavra, na habilidade de decodificação e em soletração. Essas dificuldades normalmente resultam de um déficit no componente fonológico da linguagem e são inesperadas em relação à idade e outras habilidades cognitivas. (Definição adotada pela IDA – International Dyslexia Association, em 2002. Essa também é a definição usada pelo National Institute of Child Health and Human Development – NICHD).

Leia Também:  Construção de escola com 1.600 novas vagas em Sinop começa a ganhar forma

Possíveis características de dislexia

Alguns sinais na pré-escola

Dispersão;

Fraco desenvolvimento da atenção;

Atraso do desenvolvimento da fala e da linguagem

Dificuldade de aprender rimas e canções;

Fraco desenvolvimento da coordenação motora;

Dificuldade com quebra-cabeças;

Falta de interesse por livros impressos.

Alguns sinais na idade escolar:

Dificuldade na aquisição e automação da leitura e da escrita;

Pobre conhecimento de rima (sons iguais no final das palavras) e aliteração (sons iguais no início das palavras);

Desatenção e dispersão;

Dificuldade em copiar de livros e da lousa;

Dificuldade na coordenação motora fina (letras, desenhos, pinturas etc.) e/ou grossa (ginástica, dança etc.);

Desorganização geral, constantes atrasos na entrega de trabalho escolares e perda de seus pertences;

Confusão para nomear entre esquerda e direita;

Dificuldade em manusear mapas, dicionários, listas telefônicas etc.;

Vocabulário pobre, com sentenças curtas e imaturas ou longas e vagas.

Fonte: ALMT

Propaganda

POLÍTICA MT

Mato Grosso registra 120.374 casos e 3.394 óbitos por Covid-19

Publicados

em


.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde deste sábado (26.09), 120.374 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 3.394 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Foram notificadas 646 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 120.374 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 15.678 estão em isolamento domiciliar e 100.576 estão recuperados.
 
Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, 246 internações em UTIs públicas e 250 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 58,57% para UTIs adulto e em 28% para enfermarias adulto.
 
Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (23.437), Várzea Grande (8.919), Rondonópolis (8.759), Lucas do Rio Verde (5.458), Sorriso (5.076), Sinop (5.061), Tangará da Serra (4.869), Primavera do Leste (3.945), Cáceres (2.795) e Campo Novo do Parecis (2.676).
 
A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada por meio do Painel Interativo da Covid-19, disponível neste link.
 
O documento ainda aponta que um total de 96.444 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 751 amostras em análise laboratorial.
 
Cenário nacional

Leia Também:  Cooperação entre Governo do Estado e prefeituras levará primeira ligação asfáltica a São Felix do Araguaia

Na última sexta-feira (25), o Governo Federal confirmou o total de 4.689.613 casos da Covid-19 no Brasil e 140.537 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país contabilizava 139.808 óbitos e 4.657.702 casos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus.
 
Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou os dados atualizados de sábado (26).
 
Recomendações

Atualmente, não existe vacina para prevenir a infecção pelo novo coronavírus. A melhor maneira de prevenir a infecção é evitar ser exposto ao vírus. Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca do novo coronavírus. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.
 
O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus. Entre as medidas estão:
 
– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;
– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;
– Evitar contato próximo com pessoas doentes;
– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;
– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Leia Também:  Quinta-feira (24): Mato Grosso registra 118.548 casos e 3.349 óbitos por Covid-19
Fonte: GOV MT

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA