POLÍTICA MT

Sinop comemora 46 anos com obras em infraestrutura, saúde e educação

Publicados

em


.

Cidade com a quarta maior população de Mato Grosso, com 146.005 habitantes, Sinop (a 480 quilômetros de Cuiabá), comemora 46 anos de fundação nesta segunda-feira (14.09). O Governo do Estado marca presença no município, com obras de infraestrutura, saúde e educação, além de repasses financeiros e de medicamentos para contribuir no combate à pandemia do coronavírus.

Está em fase de consulta a concessão, para a iniciativa privada, de um trecho de 138,4 quilômetros da MT-220, ligando o município a Tabaporã. A previsão é de um investimento de R$ 267 milhões em obras de recuperação e manutenção da rodovia.

Concessão da MT 220, entre Sinop e Tabaporã, prevê investimentos de R$ 267 milhões  

Também está finalizada a construção da ponte sobre o Rio Verde, com extensão de 180,75 metros, na MT-222, em direção a Ipiranga do Norte, e está em elaboração o projeto de pavimentação de 106 quilômetros da MT-010/222, entre Sinop e o Povoado Simione, no entroncamento com a MT-338.     

O Hospital Regional de Sinop, referência para outros 14 municípios da região que abrigam 430 mil pessoas, passa por ampliação e reforma. Foram investidos R$ 1,5 milhão. A unidade conta com 29 leitos de Unidade de Terapia Intensa (UTI) para tratamento de pacientes com Covid-19, dos quais 19 foram abertos para enfrentamento da pandemia.

Por meio da Secretaria de Estado de Saúde, o Governo do Estado enviou ao município 12.150 testes rápidos para detecção do coronavírus, além de medicamentos para o seu combate, num total de 523.365 comprimidos, entre azitromicina (64.348), ivermectina (51.479) e dipirona (407.538), também distribuído em gotas, somando 10.010 frascos.

Leia Também:  Mesa Diretora põe em pauta a votação do PLDO 2021

Hospital Regional de Sinop passa por  ampliação e reformas. 19 leitos de UTI foram criados durante a pandemia do coronavírus – Foto Secom/MT 

Na área educacional, está sendo construída uma nova escola com 18 salas de saula e quadra poliesportiva no Jardim das Orquídeas. A previsão de entregue é para o primeiro semestre do próximo ano, com investimento de R$ 5,4 milhões, entre recursos estaduais e federais.

Também estão sendo reformadas as escolas Nossa Senhora de Lourdes e Nossa Senhora da Glória, o Centro de Educação de Jovens e Adultos (Ceja) e Centro de  Formação e Atualização dos Profissionais da Educação Básica de Mato Grosso (Cefapro).

Em repasses financeiros, o município recebeu neste ano de 2020 (até maio) R$ 41,9 milhões referentes a ICMS, IPVA e Fethab, além de outros R$ 8,85 milhões em assistência social, transporte escolar, convênios na área de saúde e emendas parlamentares, entre 2019 e maio deste ano.    

Economia

Segundo o IBGE, o PIB (Produto Interno Bruto) sinopense, cuja população cresceu 29% na última década (eram 113.099 habitantes em 2010), foi o quinto maior de Mato Grosso em 2017, somando R$ 5,626 bilhões, com o setor de serviços respondendo por 58,46% deste total,com R$ 3,289 bilhões. O PIB per capita é de R$ 41.408,12.

Grande produtor de milho – foi o décimo do ranking estadual em 2018,com 648 mil toneladas, avaliadas em R$ 248,28 milhões – o município conta com uma planta de etanol deste grão, além quatro outras agroindústrias (três frigoríficos e  uma ração animal) e três distribuidoras de insumos agrícolas. Estes dados constam no Observatório do Desenvolvimento, da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico de Mato Grosso (Sedec-MT).

Leia Também:  Elizeu Nascimento propõe cota nas faculdades para jovens que cumprirem serviço militar

Mesmo figurando na 23ª colocação do ranking estadual dos municípios produtores de soja, Sinop colheu nem 2018, segundo o IBGE, 515 mil toneladas, avaliadas R$ 454,78 milhões.

É o primeiro do Estado na produção de mamão, com 1,5 mil tonelada; segundo na produção de banana (8 mil) e goiaba (60) e terceiro na produção de tangerina (105).

Também produziu neste mesmo ano (em toneladas) algodão (16,9 mil), arroz (12,7 mil), feijão, laranja, limão, mandioca, maracujá, melancia, sorgo e abacaxi.

O rebanho bovino sinopense é composto por 55,4 mil cabeças, com 2,9 mil vacas ordenhadas; enquanto o rebanho galináceo conta com 2,16 milhões de cabeças, das quais 674,9 mil galinhas, com12,72 milhões de ovos.      

História

Sinop, cujo nome é formado pela sigla da empresa responsável por projetar a cidade (Sociedade Imobiliária Noroeste do Paraná), foi fundada em 1974 em clima de festa, com a presença de várias autoridades.

Seus primeiros habitantes, os pioneiros, vieram em sua maioria dos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, começando a chegar na região nos anos de 1972/73.

O município ainda no inicio de sua colonização. Foto acervo 

Em 1976, foi elevada à categoria de distrito, então pertencente à Chapada dos Guimarães, de cuja sede está distante mais de 500 quilômetros.

Três anos depois, em 1979, tornou-se município, enquanto em 1982 foi eleito o primeiro prefeito pelo voto popular.

Fonte: GOV MT

Propaganda

POLÍTICA MT

Politec de Pontes e Lacerda utiliza tecnologia para otimizar os trabalhos

Publicados

em


Foto: SAMANTHA DOS ANJOS FARIAS

Foto: SAMANTHA DOS ANJOS FARIAS

O deputado Delegado Claudinei (PSL), representando a Comissão de Segurança Pública e Comunitária da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), se reuniu com o perito criminal Júnior Stefanelli, gerente regional da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), em Pontes e Lacerda (MT), na sede da instituição, para levantar as principais demandas e conhecer os trabalhos desenvolvidos. 

Na oportunidade, o parlamentar conheceu o novo espaço da unidade que foi construído em parceria entre o Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPMT), o Conselho de Segurança Comunitária (Conseg) e a Mineradora Apoena. A prefeitura de Pontes e Lacerda concedeu o terreno. Com a conclusão da obra, o estabelecimento entrou em funcionamento no dia 21 de setembro, com a previsão de inauguração pelo governo estadual ainda este ano. 

Efetivo

Com o espaço novo e amplo, o gerente Stefanelli diz que é preciso aumentar o efetivo da instituição que atende nove municípios da região de fronteira, além de Pontes e Lacerda. O quadro possui dois médicos legistas, dois estagiários e dois papiloscopistas, sendo recomendável que seja dobrado o número de profissionais para atender essas funções, de acordo com o gerente.

Em relação aos cargos de técnico de necrópsia e perito criminal que, respectivamente, contam com um e cinco profissionais, Júnior avalia também a necessidade de novas contratações. “Técnico de necrópsia preciso de três, pois só tenho um. O perito criminal pensamos no número total de oito, que seria um sonho e um número ideal”, avalia o profissional.

Leia Também:  Elizeu Nascimento propõe cota nas faculdades para jovens que cumprirem serviço militar

Infravermelho

O gerente apresentou ao deputado alguns equipamentos inovadores que contribuem com o trabalho dos servidores da unidade. O primeiro foi o aparelho Infravermelho que tem a finalidade de analisar a cocaína e a maconha para ter um laudo definitivo. 

Ele explica que há três anos utiliza o equipamento, adquirido por meio de recursos do Conseg com o apoio do MP, no valor de R$ 67 mil. Outro aspecto que Júnior assinala é que Pontes e Lacerda é o primeiro município do interior de Mato Grosso a contar com essa tecnologia, sendo que antes só conseguiam fazer o laudo preliminar que era encaminhado para a Politec de Cuiabá gerar o resultado definitivo para ser validado.

Este equipamento atende todos os municípios interligados à gerência da Politec de Pontes e Lacerda. Conforme o perito criminal, havia uma grande demora na obtenção de uma análise definitiva, que levava até seis meses e, agora, com este aparelho, o laudo final fica pronto em poucos minutos.  

“Esse aparelho seria um ganho para todas as delegacias e para cada coordenação da Politec. Se você colocar esse aparelho nas instituições do interior para facilitar os trabalhos, se você o pleitear seria bom para as instituições, pois dá celeridade ao processo. Aqui já fazemos a segunda análise e a leitura, o que gera os dois resultados”, sugere Stefanelli ao parlamentar. 

Claudinei considerou bastante relevante essa tecnologia para que as unidades da Politec não fiquem dependentes da segunda análise e que vai, junto com a Comissão de Segurança Pública, buscar meios para que outros municípios possam ser beneficiados com esse equipamento e, assim, não precisarem ficar dependentes da sede de Cuiabá.

Leia Também:  Durante evento com ministro, Botelho destaca importância do fortalecimento da agricultura familiar

Equipamentos

Um dos equipamentos utilizados pela perícia criminal que foi apresentado ao Claudinei foi o boroscópio, que facilita a identificação de materiais no interior de objetos, como, por exemplo, projéteis dentro de veículos ou identificar adulterações. 

Stefanelli também destacou o uso do aparelho Opacímetro que monitora o nível de poluição emitida por caminhões a diesel. “Quando o veículo queima o diesel, sai uma fumaça preta que tem que ser de um nível permitido. Isso é medido pela sua opacidade. A PRF começou a fazer as fiscalizações, me chamou como Politec para fazer perícias. Fui ver os equipamentos que precisava e começamos por meio de parceria da PRF com a promotoria me dando ferramentas”, esclarece.  

Para concluir, ele solicitou para o deputado apoio para a aquisição do aparelho “Kit Bill” devido só contar com uma unidade na instituição, cuja finalidade é fazer as coletas de digitais para cédula de identidade que é o documento nacional de identificação civil, conhecido por RG (Registro Geral). 

Politec – Essa unidade atende Pontes e Lacerda, Comodoro, Rondolândia, Vila Bela da Santíssima Trindade, Conquista d´Oeste, Nova Lacerda, Figueirópolis d´Oeste, Jauru, Vale de São Domingos e Campos de Júlio.

 

Fonte: ALMT

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA