POLÍTICA MT

Terça-feira (27): Mato Grosso registra 141.764 casos e 3.817 óbitos por Covid-19

Publicados

em


A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta terça-feira (27.10), 141.764 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 3.817 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Foram notificadas 767 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 141.764 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 5.504 estão em isolamento domiciliar e 131.941 estão recuperados.

De acordo com a área técnica, houve uma correção no banco de dados que contabiliza os casos em isolamento domiciliar. O sistema ainda considerava casos que já passaram pelo prazo máximo de 20 dias de recuperação. Portanto, esses casos que já extrapolaram o prazo da recuperação passaram a ser contabilizados como recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 161 internações em UTIs públicas e 149 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 40,76% para UTIs adulto e em 17% para enfermarias adulto.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (28.587), Rondonópolis (10.504), Várzea Grande (9.949), Sinop (7.045), Sorriso (6.229), Lucas do Rio Verde (5.871), Tangará da Serra (5.664), Primavera do Leste (4.881), Cáceres (3.455) e Campo Novo do Parecis (2.879).

Leia Também:  Seduc garante uniforme escolar para todos os alunos da rede estadual

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada por meio do Painel Interativo da Covid-19, disponível neste link.

O documento ainda aponta que um total de 114.339 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 957 amostras em análise laboratorial.

Cenário nacional

Na última segunda (26), o Governo Federal confirmou o total de 5.409.854 casos da Covid-19 no Brasil e 157.397 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país contabilizava 5.394.128 casos da Covid-19 no Brasil e 157.134 óbitos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus.

Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou os dados atualizados de terça-feira (27).

Recomendações

Atualmente, não existe vacina para prevenir a infecção pelo novo coronavírus. A melhor maneira de prevenir a infecção é evitar ser exposto ao vírus. Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca do novo coronavírus. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

Leia Também:  Deputado recomenda a implantação da Lei Feconseg no Distrito Federal

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus. Entre as medidas estão:

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

– Evitar contato próximo com pessoas doentes;

– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;

– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Fonte: GOV MT

Propaganda

POLÍTICA MT

Pesquisa que desenvolve biomembrana para reparo de lesões na pele tem apoio da Fapemat

Publicados

em


Um projeto de pesquisa financiado pelo Governo do Estado, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa de Mato Grosso (Fapemat), estuda produtos naturais para o reparo e cicatrização de lesões na pele. A pesquisa é coordenada pela doutora em genética e biologia molecular, Paula Cristina de Souza Souto, do Campus Universitário do Araguaia (UFMT).

Na medicina os resultados do estudo mostraram que a biomembrana vegetal é segura como curativo para úlceras cutâneas (feridas).  A grande ocorrência mundial de feridas cutâneas, tais como queimaduras, continua alta, com milhares de pessoas sofrendo com sequelas físicas, psicológicas e com as consequências sociais que esse tipo de lesão pode causar.

O projeto intitulado Desenvolvimento e Caracterização de Membranas de Látex de Hevea Brasiliensis e Própolis Scaptotrigona Polysticta para Tratamento de Queimaduras busca produtos naturais de origem animal ou vegetal que possuam propriedades com ação cicatrizante e antimicrobiana em lesões de pele, preparando biomembranas de borracha natural (derivada do látex de seringueira) associado à própolis de abelhas sem ferrão, conhecida como Bijuí.

Leia Também:  Aprovado em 2ª votação, Projeto que altera contagem de prazo no processo administrativo tributário

O tratamento tópico ideal para lesão provocada por queimadura seria aquele que, ao mesmo tempo, controla o crescimento bacteriano, remove o tecido desvitalizado e estimula o crescimento do novo tecido. Até agora, estas três funções não se encontram em um mesmo curativo.

A inovação proposta pela pesquisa foi o desenvolvimento de uma biomembrana com a associação de dois componentes, látex e própolis, típicos da biodiversidade do Estado de Mato Grosso.

Com os resultados da pesquisa foi possível desenvolver biomembranas com características físico-químicas que indicam que podem ser utilizadas para o tratamento de queimadura. Estudos em animais apontam que as biomembranas se mostraram eficientes, pois aceleraram o processo de cicatrização sem a necessidade frequente de troca do curativo. Além disso, o processo inflamatório, que acontece em todo processo de cicatrização, foi controlado, o que indica uma possível cicatrização da pele sem a formação extensiva de cicatrizes. 

Tendo em vista a necessidade de tratamentos mais práticos e eficazes das queimaduras a membrana de látex associada ao própolis apresentou resultados promissores para o uso na medicina.

Leia Também:  Reeducandos da Cadeia Pública de Colniza são capacitados para produção de embutidos
Fonte: GOV MT

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA