POLÍTICA MT

Unemat homenageia Dom Pedro Casadáliga com nome de câmpus no Médio Araguaia

Publicados

em


.

Dom Pedro Casaldáliga recebeu uma homenagem da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat): o câmpus do Médio Araguaia passa a receber o nome do bispo que tanto colaborou com a Instituição, tornando-se Câmpus Universitário do Médio Araguaia Dom Pedro Casaldáliga.

A decisão foi tomada na quarta-feira (02.08), na 1ª sessão ordinária do Conselho Universitário (Consuni) da Unemat em 2020. Esta foi a primeira sessão realizada de forma on-line em decorrência da pandemia da Covid-19. Participaram da reunião 45 conselheiros, representando os três segmentos da comunidade acadêmica de todos os câmpus da Unemat. A abertura da sessão foi presidida pelo reitor Rodrigo Zanin.

Dom Pedro Casaldáliga

Dom Pedro Casaldáliga veio a óbito, na manhã do último dia 8 de agosto, no interior do Estado de São Paulo, aos 92 anos de idade, após ser internado com problemas respiratórios e agravamento da Doença de Parkinson.

O legado do religioso está entrelaçado com a história da Unemat, uma Universidade criada para atender à população do interior do Estado. O primeiro título de Doutor Honoris Causa concedido pela Unemat foi entregue ao Bispo Emérito da Prelazia de São Félix do Araguaia, Dom Pedro Casaldáliga, em janeiro de 2018.

O título honorífico foi reconhecimento à luta pela permanência do câmpus da Unemat no município de Luciara, no Araguaia, uma entre tantas batalhas que o Bispo Emérito travou para que as populações mais pobres e indígenas da região tivessem consciência de seus direitos e lutassem por eles.

Leia Também:  Poder Legislativo busca soluções efetivas e de longo prazo para o Pantanal

Em entrevista concedida, ainda em 2011, à jornalista da Assessoria de Comunicação da Unemat, Lygia Lima, Dom Pedro falou sobre o pedido que ouviu com maior insistência do povo do Araguaia, assim que lá chegou. “Que não esquecesse a educação. Percebemos desde então que a fixação do povo no campo dependia da escola”, recordou.

Segundo Dom Pedro, em 1991, a decisão da Unemat de se fixar em Luciara, distante a 100 quilômetros de São Félix, foi de grande ajuda para mudar o perfil da região, que era conhecida como Vale dos Esquecidos. “O programa Parceladas foi luminoso. Educação na base, no chão. Várias pessoas deste País que passaram por aqui elogiaram muito a experiência”, memorou o bispo emérito.

Alinhado com a Teologia da Libertação, sua trajetória foi marcada pela luta por uma educação laica, mista e libertadora, Reforma Agrária, erradicação do trabalho escravo e reconhecimento dos direitos dos povos indígenas.

Pere Casaldáliga i Pla nasceu em Balsareny, província de Barcelona, em 16 de fevereiro de 1928. Em 1968, quando se mudou para o Brasil, tinha a incumbência de fundar uma missão pela congregação religiosa a que pertenceu – Congregação dos Missionários Claretianos.

Fundador da Comissão Pastoral da Terra e do Conselho Indigenista Missionário, Dom Pedro ganhou notoriedade internacional ao denunciar atos de madeireiros, policiais e grandes proprietários rurais no regime militar contra posseiros, peões e povos indígenas.

Leia Também:  Governador: "Pessoas que praticaram incêndios criminosos sofrerão graves consequências na vida econômica"

Autor de inúmeros livros, Dom Pedro teve ao longo dos anos sua trajetória retratada por vários autores em obras como “Nós, do Araguaia: Dom Pedro Casaldáliga, bispo da teimosia e liberdade”, “São Félix/Brasil: Uma Iglesia que lucha contra la injusticia” e “Descalço sobre a terra vermelha”, de Francisco Escribano, que dá origem ao filme de mesmo nome ganhador do Prêmio Gaudi em 2015.

Com a saúde bastante debilitada, em função da doença de Parkinson, responsável pela sua renúncia à Prelazia em 2005, Dom Pedro Casaldáliga viveu seus últimos anos em São Félix do Araguaia, em companhia de freis agostinianos.

Câmpus Universitário do Médio Araguaia

O câmpus da Unemat no Médio Araguaia tem sede no município de Luciara e conta com núcleos pedagógicos em Confresa e Vila Rica. Desde sua implantação, em 1991, a Unemat oferta na região cursos em modalidade de turmas únicas, pelo Programa Parceladas, conforme a demanda regional. O câmpus atende 15 municípios de Mato Grosso: Alto Boa Vista, Bom Jesus do Araguaia, Canabrava do Norte, Confresa, Luciara, Novo Santo Antônio, Porto Alegre do Norte, Querência, Ribeirão Cascalheira, Santa Cruz do Xingu, Santa Terezinha, São Félix do Araguaia, São Jose do Xingu, Serra Nova Dourada, Vila Rica. A presença da Unemat na região contribui de forma significativa para a transformação da realidade social.

Fonte: GOV MT

Propaganda

POLÍTICA MT

Projeto de Lei propõe que escolas estaduais recebam nome de educadores

Publicados

em


.

Foto: JLSIQUEIRA / ALMT

O deputado estadual Faissal Calil (PV) apresentou na sessão plenária de quarta-feira (16), o Projeto de Lei (PL) nº 806/2020, que  trata sobre a denominação de escolas da rede pública estadual.

A matéria propõe que as unidades escolares da rede estadual de ensino deverão utilizar a expressão “Escola Estadual” seguida do nome escolhido pela comunidade escolar.  Segundo o parlamentar, os estabelecimentos de ensino deverão  ter os nomes de educadores e professores que se destacaram perante a comunidade escolar no serviço público ou privado em prol de uma educação de qualidade. 

“O PL tem por objetivo homenagear os professores e educadores que contribuem para o desenvolvimento do nosso Estado, dos primeiros anos de vida na educação infantil aos mais elevados níveis de formação acadêmica, na graduação e pós-graduação. A contribuição do professor se dá não somente no conhecimento teórico e estruturado pelo sistema educacional, mas, também, em diferentes aspectos da vida do aluno”, explicou o deputado.

Para o parlamentar, o educador compartilha valores e promove a autoestima de cada estudante ao reconhecer seus potenciais e explorá-los durante o ensino.

Leia Também:  Poder Legislativo busca soluções efetivas e de longo prazo para o Pantanal

“No dia a dia escolar, é o professor quem cultiva o olhar ético e as atitudes respeitosas para com os colegas de sala e demais colaboradores do ensino, mediando situações e promovendo os mecanismos necessários para que a criança cresça com consciência e respeito a todos os que vivem a seu redor. Contudo, é necessário eternizar como forma de reconhecimento no meio escolar o nome dos referidos profissionais que dedicam suas vidas para ensinar ao próximo”, concluiu.

Fonte: ALMT

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA