POLÍTICA NACIONAL

Bolsonaro sanciona PL que transfere saldos de assistência social

Publicados

em


.

O presidente Jair Bolsonaro sancionou o projeto de lei que permite a utilização de verbas remanescentes de exercícios anteriores dos fundos de assistência social até 2019 para implementar  ações de assistência social durante  a vigência do estado de calamidade pública decretada em função da pandemia do novo coronavírus. 

Os recursos serão aplicados no atendimento de crianças, adolescentes, idosos, mulheres vítimas de violência doméstica, população indígena e quilombola, pessoas com deficiência e população em situação de rua ou em qualquer circunstância de extrema vulnerabilidade.  

Segundo informações dos ministérios da Cidadania e da Saúde, a sanção do projeto é importante para instituir um marco legal sobre a utilização dos recursos financeiros destinados à assistência social, para que as medidas sejam aplicadas com rapidez para minimizar os problemas sociais resultantes situações de calamidade pública.

Dentre as ações implementadas, o projeto de lei define que sejam tomadas iniciativas para a população de rua, como fornecimento de alimentação adequada, ampliação de espaços de acolhimento temporário, disponibilização de água potável em praças e logradouros públicos, acesso a banheiros públicos e atendimento psicossocial.

Leia Também:  Mourão defende avanços nos sistemas de monitoramento da Amazônia

Vetos

Segundo a Secretaria Geral da Presidência, houve três vetos ao projeto, porém, dois vetos serão divulgados quando a sanção for publicada no Diário Oficial da União. 

O terceiro veto trata do dispositivo que estabelece, em situações de emergência de saúde pública, a obrigação de medição da temperatura dos indivíduos ao adentrarem em locais destinados ao acolhimento temporário e refeições. Na avaliação da Presidência, a expressão “situações de emergência de saúde pública” traz um conceito impreciso, que pode comportar interpretação abrangente, tendo em vista que nem toda situação de emergência demanda medição de temperatura corporal, por isso o trecho foi vetado.

Edição: Fábio Massalli

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

Bolsonaro seria oportunista se mudasse discurso sobre mortes, dizem aliados

Publicados

em


source
Bolsonaro
Reprodução YouTube

Bolsonaro defende uso de cloroquina, que não tem eficácia comprovada no combate à Covid-19

Aliados do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), ouvidos pela coluna do Valdo Cruz da Globo , avaliam que se Bolsonaro mudasse sua postura diante das mortes por Covid-19, ele estaria realizando um “oportunismo político” que não iria “colar.

Apesar de criticarem a postura de Bolsonaro , aliados do presidente acreditam que não há como mudar de postura após cinco meses com um mesmo discurso.

Um funcionário próximo de Bolsonaro alegou que o presidente irá até o fim com o discurso atual, mesmo sabendo que será criticado pela falta de empatia com as 100 mil mortes por Covid-19 registrada no Brasil.

Para amenizar a crise, segundo os aliados, Bolsonaro continuará afirmando as medidas tomadas pelo governo e prorrogará o auxílio emergencial. 

Leia Também:  Comissão Mista debate dados científicos relacionados à Covid-19

A equipe de Bolsonaro tem reforçado para que ele evite novas declarações polêmicas, já que elas podem ser utilizadas contra ele em uma eventual candidatura eleitoral em 2022.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA