POLÍTICA NACIONAL

Candidato à prefeitura de Parauapebas é baleado no peito durante atentado

Publicados

em


source
Júlio Cesar
Reprodução/Ascom PRTB

Júlio Cesar foi baleado no peito

O candidato à prefeito de Parauapebas , no Pará,  Júlio César (PRTB), foi baleado na noite desta quarta-feira (15) em uma tentativa de assassinato . O crime aconteceu na estrada que fica nas imediações da vila Carimã, quando o elegível voltava de uma agenda política na zona rural, por volta das 21h.

Um automóvel com três passageiros se aproximou da caminhonete em que Júlio Cesar estava e fez vários disparos. Para escapar dos disparos efetuados por um automóvel que estava atravessado na pista, as vítimas tentaram fugir, mas continuaram sendo perseguidas. Um dos tiros atravessou o peito do candidato, que estava sentado no banco do carona.

O candidato foi levado para um hospital particular e o quadro de saúde é estável. Em nota, o partido alegou que o candidato foi vítima de uma atentado.

Leia Também:  Projeto garante a pacientes internados prestação de assistência espiritual e religiosa

Os advogados do candidato enviaram um requerimento ao Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PR) pedindo que a Força Federal atue nas eleições para “garantir a segurança do processo eleitoral no município de Parauapebas”.

O documento alega que há “perseguição política com uso de violência e grave ameaça à vida”, e solicita que o pedido seja enviado para presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido), com o intuito de autorizar o uso das tropas. 

Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

Projeto permite a alunos beneficiados por cotas disputar vagas de ampla concorrência

Publicados

em


Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados
Lançamento da Frente Parlamentar em Defesa da Renda Básica. Dep. Felipe Rigoni(PSB - ES)
Felipe Rigoni: o ajuste se faz necessário para tornar o sistema de cotas mais justo

O Projeto de Lei 4799/20 altera a Lei de Cotas nas Universidades para autorizar alunos beneficiados com reserva de vagas no ensino superior a também disputar vagas destinadas à ampla concorrência. Segundo o texto, que tramita na Câmara dos Deputados, cotistas aprovados dentro do número de vagas oferecido para ampla concorrência não serão computados como ocupantes de vagas reservadas.

O autor do projeto, deputado Felipe Rigoni (PSB-ES), explica que a alteração foi inspirada na lei de cotas dos concursos públicos federais. “No regime atual, os alunos cotistas concorrem exclusivamente dentro de suas cotas, ainda que tenham nota suficiente para disputar as vagas da ampla concorrência. O ajuste se faz necessário para tornar o sistema de cotas mais justo”, observa Rigoni.

A Lei de Cotas para o ensino superior estabelece que todas as instituições federais de ensino superior – universidades federais e instituições federais de ensino técnico de nível médio – devem reservar, no mínimo, 50% das vagas de cada curso a estudantes de escolas públicas.

Leia Também:  Governo recua na decisão de interromper ação de brigadistas no Pantanal

Dentro dos 50%, metade das vagas deve ser destinada a estudantes de famílias com renda mensal igual ou menor que 1,5 salário mínimo per capita.

Em cada faixa de renda, entre os candidatos cotistas, são separadas vagas para autodeclarados pretos, pardos e indígenas e pessoas com deficiência, proporcionalmente ao censo do IBGE.

Reportagem – Murilo Souza 

Edição – Pierre Triboli

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA