POLÍTICA NACIONAL

Cidade do Rio prevê vacinação de todos os idosos até fim de abril

Publicados

em


O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, disse hoje (1º) que prevê vacinar contra a covid-19 até o fim de abril todos com 60 anos ou mais e também todos que tenham comorbidades. A afirmação foi feita durante cerimônia de comemoração dos 456 anos da cidade e da abertura das celebrações dos 90 anos do Cristo Redentor.

“Caminhando do jeito que está caminhando, se as vacinas chegarem com a frequência que a gente espera, é possível estar no final de abril com as pessoas com mais de 60 anos e com comorbidades já vacinadas. Agora é óbvio que depende da chegada da vacina”, disse Paes.

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, discursa durante lançamento oficial da Festa dos 90 anos do Cristo Redentor, no dia do aniversário de 456 anos do Rio de Janeiro.O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, discursa durante lançamento oficial da Festa dos 90 anos do Cristo Redentor, no dia do aniversário de 456 anos do Rio de Janeiro.

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, discursa durante lançamento oficial da Festa dos 90 anos do Cristo Redentor. – Tânia Rêgo/Agência Brasil

Até agora, segundo a Secretaria Municipal de Saúde, 346 mil cariocas receberam a primeira dose da vacina contra a covid-19.

Segundo Paes, não há, por enquanto, previsão de decretação de lockdown ou de aumento das restrições na cidade, porque, de acordo com ele, “não há uma pressão sobre a rede pública” de saúde e “há uma diminuição de casos, de internações e de óbitos” no município.

“Enquanto perdurar esse quadro, enquanto a ciência mandar a gente fazer as restrições que estamos fazendo, vamos fazer. É óbvio que estou preocupado, olhando a situação de outros estados, de outras cidades. Então estou muito atento, não descarto absolutamente medida nenhuma, mas, nesse momento, a recomendação do comitê científico é manter as restrições que a gente vem mantendo”.

Aniversário do Rio

O aniversário da cidade foi comemorado na manhã de hoje (1o) com uma missa no monumento do Cristo Redentor, que contou com a presença do ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, e do governador em exercício do Rio de Janeiro, Claudio Castro.

Historicamente considera-se a data de fundação da cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro 1º de março de 1565, data da chegada de Estácio de Sá ao local para liderar uma campanha militar portuguesa contra os franceses, que haviam se instalado na região uma década antes.

O Rio foi capital do país de 1763, sucedendo a Salvador, até 1960, quando perdeu o posto para a recém-construída Brasília. De 1960 a 1975, o Rio se transformou no estado da Guanabara. Em 75, com a extinção do estado da Guanabara, o Rio se tornou a capital do estado homônimo.

Edição: Aline Leal

Leia Também:  Senado ouve médicos que fizeram experiência com hidroxicloroquina no AM
Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

Presidente sanciona a Lei Orçamentária de 2021 com veto parcial

Publicados

em


O presidente Jair Bolsonaro sancionou, com veto parcial e bloqueio adicional, a Lei Orçamentária de 2021, a qual fixa as despesas e estima as receitas de todo o governo federal para o ano de 2021. Até a sanção, que ocorreu na noite desta quinta-feira (22), União vinha executando apenas as ações e programas considerados obrigatórios ou inadiáveis, dentro dos limites do orçamento provisório estabelecido pela Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). 

Com a sanção do orçamento definitivo o restante das dotações fica destravada e o governo federal poderá voltar a fazer investimentos e executar programas discricionários – aqueles considerados não obrigatórios por lei. 

Os vetos ocorreram porque as projeções do Ministério da Economia indicavam a necessidade de uma recomposição de R$ 29 bilhões e, com isso, foi necessário abrir um espaço no Orçamento. Essa recomposição foi feita em acordo com o Congresso Nacional e com o relator do Orçamento, senador Márcio Bittar (MDB-AC), por meio de um veto parcial de R$ 19,8 bilhões de dotações orçamentárias e o bloqueio adicional de R$ 9 bilhões.

Leia Também:  Proposta permite a pai de bebê prematuro faltar ao trabalho na pandemia

A diferença entre o veto de dotações e o bloqueio é que o veto representa um corte definitivo da despesa, enquanto que o bloqueio permite que o valor bloqueado possa vir a ser desbloqueado ao longo do ano, no caso de novas projeções indicarem a existência de um novo espaço no teto de gastos. 

Os R$ 19,8 bilhões do veto serão distribuídos em cortes nas emendas do relator (R$ 10,5 bilhões), cortes de emendas de comissão do Poder Legislativo (R$ 1,4 bilhão), e despesas discricionárias do Poder Executivo (R$ 7,9 bilhões). A pedido do Ministério da Economia, também foi vetada a autorização para a criação de cargos na Polícia Militar e no Corpo de Bombeiros do Distrito Federal, os quais são custeados pela União. 

O bloqueio será efetuado por decreto e os valores vetados serão remanejados por meio de um novo projeto de lei de crédito suplementar (PLN). A publicação do decreto e o envio do PLN ao Congresso Nacional serão publicados concomitantemente à sanção da Lei Orçamentária. A aprovação do projeto de lei será necessária para a cobertura das despesas obrigatórias que possuem risco de cobertura insuficiente, como as da Previdência Social. Contudo, as projeções indicam que esses valores somente serão efetivamente necessários no último bimestre do exercício fiscal.

Leia Também:  Proposta estimula o uso de bicicleta pelo trabalhador durante pandemia

Com o veto e o bloqueio administrativo, o Orçamento de 2021 cumpre a regra do teto de gastos, segundo as projeções do Ministério da Economia.

Edição: Fábio Massalli

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA