POLÍTICA NACIONAL

Comissão Temporária Covid-19 ouve ministro das Comunicações

Publicados

em


A Comissão Temporária Covid-19 tem reunião de trabalho na segunda-feira (2) para ouvir o ministro das Comunicações, Fábio Faria. 

O chefe da pasta terá que prestar informações sobre o mapeamento da infraestrutura tecnológica presente nas escolas públicas para o retorno escolar de maneira eficiente e segura.

A reunião será feita por videoconferência e está agendada para começar às 15h.

Criada no começo de 2021 para acompanhar as ações públicas referentes à pandemia, a Comissão Temporária Covid-19 é composta por 12 senadores titulares e o mesmo número de suplentes. 

O presidente da comissão é o senador Confúcio Moura (MDB-RO). Foram 35 as reuniões feitas no primeiro semestre deste ano. Instalada em 3 de março, o colegiado funcionaria até 30 de junho, mas teve seu prazo de funcionamento prorrogado e agora vai até 10 de novembro.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Leia Também:  Projeto permite habilitação específica para motorista de carro automático
Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

DEM-PSL: deputados federais planejam motim contra rumos da fusão

Publicados

em


source
O prefeito de Belford Roxo, Waguinho Carneiro
Reprodução/Instagram

O prefeito de Belford Roxo, Waguinho Carneiro

O presidente estadual do DEM, Sóstenes Cavalcante, não é o único a se insurgir contra a possibilidade de o novo partido, fruto da fusão com o PSL, vir a ser comandado, no Rio, pelo prefeito de Belford Roxo, Wagner dos Santos Carneiro, o Waguinho.

Os 12 deputados federais do PSL também estão germinando uma rebelião contra os rumos da fusão em território fluminense. Os insurgentes estão prestes a bater o martelo: se Waguinho ficar com a presidência do diretório estadual — como vem sendo cogitado — eles saem.

Proposta

Sóstenes tem o apoio da maioria para ficar no posto, mas uma terceira via também pode ser negociada. Os nomes na mesa são Juninho do Pneu, pelo DEM, ou Delegado Antônio Furtado, pelo PSL.

Sargento Gurgel (PSL), que já capitaneou o diretório, quer manter distância do cargo. “No tempo em que passei na presidência, sofri muito desgaste e não valeu a pena. Agora quero cuidar da minha reeleição”, declarou.

Leia Também:  Deputados analisam isenção de IR para aposentados com sequelas de Covid-19; acompanhe

A turma do presidente

Com ou sem a presidência de Waguinho (PSL), porém, o futuro DEM-PSL já nascerá dividido. Quase metade da bancada federal do partido que elegeu Jair Bolsonaro em 2018 só quer permanecer na nova legenda se o candidato a presidente for, de novo, o capitão.

Helio Lopes, Márcio Labre, Carlos Jordy, Chris Tonietto e Daniel Silveira já deixaram essa posição bem clara. Acontece que os caciques Luciano Bivar (PSL) e ACM Neto (DEM) já bateram o martelo: o conglomerado terá a sua própria opção à Presidência da República. O que não falta é pré-candidato: Rodrigo Pacheco ou Luiz Henrique Mandetta, pelo DEM, e José Luiz Datena, pelo PSL, são algumas das opções.

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA