POLÍTICA NACIONAL

Datafolha: para 76%, Bolsonaro deve sofrer impeachment se desobedecer à Justiça

Publicados

em


source
 Presidente Jair Bolsonaro (sem partido)
REPRODUÇÃO/AGÊNCIA BRASIL

Presidente Jair Bolsonaro (sem partido)

Pesquisa Datafolha  publicada neste sábado mostra que para 76% dos brasileiros o presidente Jair Bolsonaro deve sofrer impeachment se não cumprir ordens judiciais. O levantamento feito pelo jornal Folha de S. Paulo foi realizado em 190 cidades com 2.667 eleitores de 13 a 15 de setembro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou menos.

Outros 21% acreditam que o presidente não deveria ser punido por desobedecer a Justiça, enquanto 3% não souberam opinar. A pesquisa levou em conta a ameaça feita por Bolsonaro durante o ato de caráter golpista convocado para o feriado nacional do 7 de Setembro , no qual Bolsonaro afirmou que não iria cumprir nenhuma ordem judicial do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF) .

Na pesquisa com resposta estimulada e única, a avaliação de que Bolsonaro deve sofrer processo de impeachment chega a 93% entre homossexuais e bissexuais. 91% dos estudantes também concordam com a afirmação, assim como 69% dos evangélicos entrevistados e 57% dos empresários.

Leia Também:  Comissão recebe ministro de Minas e Energia para debater exploração de petróleo próximo a Noronha

A avaliação de que Bolsonaro não deveria ser retirado do cargo de chefe do Executivo é feita por 59% das pessoas que aprova o governo Bolsonaro. 24% dos que se declaram brancos também rejeitam o impeachment do presidente, assim como 14% dos que ganham até dois salários mínimos. Entre os eleitores de 16 e 24 anos, apenas 11% defendem a permanência de Jair Bolsonaro na presidência.

Sobre as falas de tom golpista do presidente Jair Bolsonaro, 86% dos jovens de 16 a 24 anos defendem um impeachment neste caso. 82% dos mais pobres e 94% dos que rejeitam o presidente também apoiam o afastamento de Bolsonaro.

Já 32% dos mais ricos são mais tolerantes aos ataques institucionais, e não veem necessidade da abertura de um processo de impeachment. No grupo de empresários, 39% também defendem a permanência de Bolsonaro, assim como 59% do grupo de pessoas que aprovam o governo.

Leia Também:  Alcolumbre marca sabatina de André Mendonça para quarta-feira

Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

André Fonseca, cônsul do Gabão, será candidato a deputado federal

Publicados

em


source
Tinho do Povo e André Fonseca
Reprodução

Tinho do Povo e André Fonseca

André Fonseca, advogado pernambucano, cônsul do Gabão e conselheiro mundial do Likud Serbia, será candidato a deputado federal nas eleições de 2022 pelo partido Brasil 35.

Em encontro formal com o presidente do Brasil 35, Tinho do Povo, Fonseca debateu diversos assuntos, como a conjuntura política e o desenvolvimento econômico e social do Pernambuco.

“Com muita honra disputarei um mandato para deputado federal no Brasil 35”, disse ele, convidando Tinho do Povo para ser o coordenador geral de sua campanha eleitoral.

Agora, Fonseca está se reunindo com lideranças e visitando localidades do Pernambuco para traçar metas. Seu objetivo é ser uma força para o desenvolvimento do povo da terra.

Ao lado do presidente do Brasil 35, ele elogiou a montagem de chapa de deputados estaduais e federais orientados por Tinho do Povo. A dupla acredita que Fonseca tem tudo para despontar como um dos candidatos a deputado federal mais votados do Pernambuco.

Leia Também:  Debate conclui sobre necessidade de levar conectividade ao campo

“Será uma honra ter o Dr. André Fonseca em nossa legenda. Lutaremos juntos para garantir nossas cadeiras na câmara, se Deus permitir”, declarou Tinho do Povo.

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA