POLÍTICA NACIONAL

Davi participa da posse de Fux na presidência do Supremo

Publicados

em


.

Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux e Rosa Weber tomaram posse nesta quinta-feira (10) como presidente e vice-presidente, respectivamente, dessa corte. Os dois foram eleitos no dia 25 de junho. O mandato é de dois anos. Fux, que assume o cargo em substituição a José Antonio Dias Toffoli, também presidirá o Conselho Nacional de Justiça (CNJ). 

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, foi um dos presentes à cerimônia de posse, que contou com presença reduzida de autoridades e convidados devido às medidas de prevenção contra a covid-19. Também compareceram à sessão ministros do STF e de Estado, o Procurador-Geral da República, Augusto Aras, o presidente da República, Jair Bolsonaro, e o presidentes da Câmara, Rodrigo Maia.

No discurso de posse, como primeiro gesto simbólico, Luiz Fux prestou solidariedade às mais de 120 mil vítimas fatais da pandemia no Brasil.

O novo presidente do STF destacou a importância do debate construtivo e honesto “em tempos de pós-verdade”, o papel do tribunal na constitucionalidade da Lei da Ficha Limpa, além do respeito à cidadania, à garantia das liberdades individuais e à proteção das minorias nas decisões judiciais. Fux ressaltou a promoção da igualdade no reconhecimento dos direitos dos povos indígenas e afrodescendentes, das uniões homoafetivas e na validação da Lei Maria da Penha. Também anunciou a futura criação do Observatório dos Direitos Humanos.

Leia Também:  Senado aprova indicação de novo embaixador na Ucrânia

Luiz Fux também condenou a “transferência voluntária e prematura de conflitos de natureza política para o Poder Judiciário”. Para rebater as críticas de ativismo judicial que têm recaído sobre o STF, ele fez um convite ao Executivo e ao Legislativo a “dar um basta” na judicialização da política e evitar o encaminhamento de questões para as quais o tribunal não dispõe de capacidade institucional.

— Quando, excepcionalmente, assumir esse protagonismo, o Judiciário poderá intervir verticalmente; atuar como catalisador, indutor do processo político democrático, emitindo incentivos de atuação e de coordenação recíproca às instituições e aos atores políticos. Portanto, nos próximos dois anos, será nosso objetivo preservar a dignidade da jurisdição constitucional. Trata-se de compromisso para a sustentabilidade de nossa democracia, para a autoridade de nossa Constituição e para a harmonia entre os Poderes — declarou ele.

A cerimônia foi encerrada com “A Canção de Paz”, em hebraico, cantada por Leonardo Gonçalves, por convite do ministro Luiz Fux, que é judeu. Por meio das redes sociais, Davi Alcolumbre ressaltou que “Fux é o primeiro judeu a assumir o comando do Judiciário brasileiro”.

Leia Também:  Governo Bolsonaro sobe 11 pontos na avaliação positiva, diz pesquisa CNI/Ibope

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

Bolsonaro deixa hospital e segue para Brasília depois de operação

Publicados

em


source
Bolsonaro
Reprodução Instagram/Michelle Bolsonaro

Bolsonaro teve alta neste sábado (26)

O presidente Jair Bolsonaro saiu do Hospital Israelita Albert Einstein por volta das 13h30 deste sábado (26). A alta foi dada após a realização de  cirurgia para retirada de cálculo na bexiga, que ocorreu na sexta (25).


Na manhã deste sábado (26), o presidente já estava bem e a  sonda colocada na operação já havia sido retirada.

A alta foi confirmada pela assessoria do presidente. Bolsonaro já está a caminho de Brasília, indo para o aeroporto de Congonhas, em São Paulo. 

Leia Também:  Senadores acreditam em continuidade das sessões semipresenciais
Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA