POLÍTICA NACIONAL

Eduardo Braga confirma para dia 21 relatório sobre Kassio Marques no STF

Publicados

em


Apesar de ter sido diagnosticado com covid-19, o senador Eduardo Braga (MDB-AM) confirmou para o próximo dia 21 a entrega do relatório sobre a indicação de Kassio Nunes Marques para o Supremo Tribunal Federal (STF). A presidente da Comissão de Constituição e Justiça, senadora Simone Tebet (MDB-MS), explicou que numa eventualidade poderá nomear um relator ad hoc para a leitura do parecer entregue. Para o senador Lasier Martins (Podemos-RS), o desembargador deverá esclarecer na sabatina as dúvidas sobre o currículo dele. Mas o senador Marcos Rogério (DEM-RO) ressaltou que Kassio Marques tem todas as condições de substituir Celso de Mello no STF. As informações são da repórter Hérica Christian, da Rádio Senado.

Leia Também:  Governador de SC recebe intimação formalizando afastamento dele do cargo
Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

Projeto permite a alunos beneficiados por cotas disputar vagas de ampla concorrência

Publicados

em


Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados
Lançamento da Frente Parlamentar em Defesa da Renda Básica. Dep. Felipe Rigoni(PSB - ES)
Felipe Rigoni: o ajuste se faz necessário para tornar o sistema de cotas mais justo

O Projeto de Lei 4799/20 altera a Lei de Cotas nas Universidades para autorizar alunos beneficiados com reserva de vagas no ensino superior a também disputar vagas destinadas à ampla concorrência. Segundo o texto, que tramita na Câmara dos Deputados, cotistas aprovados dentro do número de vagas oferecido para ampla concorrência não serão computados como ocupantes de vagas reservadas.

O autor do projeto, deputado Felipe Rigoni (PSB-ES), explica que a alteração foi inspirada na lei de cotas dos concursos públicos federais. “No regime atual, os alunos cotistas concorrem exclusivamente dentro de suas cotas, ainda que tenham nota suficiente para disputar as vagas da ampla concorrência. O ajuste se faz necessário para tornar o sistema de cotas mais justo”, observa Rigoni.

A Lei de Cotas para o ensino superior estabelece que todas as instituições federais de ensino superior – universidades federais e instituições federais de ensino técnico de nível médio – devem reservar, no mínimo, 50% das vagas de cada curso a estudantes de escolas públicas.

Leia Também:  Projeto obriga responsável por incêndio florestal a pagar por recuperação de área queimada

Dentro dos 50%, metade das vagas deve ser destinada a estudantes de famílias com renda mensal igual ou menor que 1,5 salário mínimo per capita.

Em cada faixa de renda, entre os candidatos cotistas, são separadas vagas para autodeclarados pretos, pardos e indígenas e pessoas com deficiência, proporcionalmente ao censo do IBGE.

Reportagem – Murilo Souza 

Edição – Pierre Triboli

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA