POLÍTICA NACIONAL

Especialistas falam sobre prevenção ao suicídio no TV Senado Live

Publicados

em


.

Suicídio é um problema que preocupa o mundo inteiro, e a campanha nacional Setembro Amarelo propõe dar visibilidade ao tema e alertar a população. No TV Senado Live desta sexta-feira (18), a psicóloga Karen Scavacini, da Associação Brasileira de Estudos e Prevenção do Suicídio, e a voluntária Luiza Montenegro, do Centro de Valorização da Vida (CVV), participam de um bate-papo ao vivo sobre o assunto.

A estimativa é de que uma pessoa tire a própria vida a cada 40 segundos no mundo, segundo dados da Organização Mundial da Saúde divulgados em 2019. Muitas vezes, os casos estão ligados a transtornos mentais, como ansiedade e depressão. Em 2020, o alerta para as doenças mentais foi redobrado devido à chegada do novo coronavírus e à necessidade do isolamento social. Com a covid-19, também veio o medo de uma doença desconhecida.  

Em um momento de grande pressão emocional, o CVV se adaptou para manter os serviços. O centro, destinado a ouvir as pessoas e dar apoio, recebe cerca de 250 mil ligações mensalmente. Dali saem palavras que acalmam e salvam vidas.  

Para entender melhor o tema e tirar dúvidas, as especialistas vão responder ao vivo perguntas da população. As questões podem ser enviadas pelas redes sociais da TV Senado e pelo portal e-Cidadania. O programa será transmitido, ao vivo, pela TV e pelos canais da emissora no Facebook, Twitter e YouTube.  

Leia Também:  Alerj escolhe os deputados para julgar o impeachment de Witzel

Sobre o TV Senado Live 

O TV Senado Live é o mais novo programa da emissora. Todas as sextas-feiras, às 10h, os jornalistas trazem um bate-papo ao vivo com especialistas sobre os mais variados temas da atualidade. As dúvidas dos telespectadores e internautas são respondidas em tempo real pelo entrevistado. Assista a outras edições aqui.

TV Senado Live

Nesta sexta-feira (18) às 10h, ao vivo
Participe enviando suas perguntas por meio das redes sociais
Facebook: www.facebook.com/tvsenado
Instagram: www.instagram/tvsenado
Twitter: www.twitter.com/tvsenado
e-Cidadania: https://www12.senado.leg.br/ecidadania

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

Projeto busca proteção ambiental da região hidrográfica do Tocantins-Araguaia

Publicados

em


Cleia Viana/Câmara dos Deputados
Reunião extraordinária. Dep. Josimar Maranhãozinho (PR - MA)
Josimar Maranhãozinho: a intenção é reorganizar o modelo de desenvolvimento da região

O Projeto de Lei 4058/20 obriga o poder público a promover medidas de conservação da região hidrográfica do Tocantins-Araguaia: zoneamento ecológico-econômico (ZEE); recuperação de áreas degradadas; monitoramento de remanescente da vegetação nativa; regularização de terras; fiscalização de uso de agrotóxicos e mineração; planos hidrográficos; estímulo à criação de reservas ambientais particulares; entre outras ações.

O autor, deputado Josimar Maranhãozinho (PL-MA), afirma que a região enfrenta inúmeros problemas ambientais, especialmente a falta de saneamento básico adequado. “A poluição gerada afeta a saúde da população, a conservação dos ecossistemas e o desenvolvimento do turismo”, afirma.

Ele também destaca o avanço do desmatamento na área, que abrange 920 mil km² e tem cerca de 8,6 milhões de habitantes em cinco estados (Goiás, Tocantins, Pará, Maranhão e Mato Grosso) e no Distrito Federal.

As medidas incluídas no projeto têm objetivo de incentivar o turismo sustentável e o desenvolvimento sustentável da região e proteger o patrimônio cultural da região hidrográfica do Tocantins-Araguaia, que incluem áreas como o Jalapão e a Chapada dos Veadeiros.

Leia Também:  Projeto proíbe cobrança de extintor de incêndio como item obrigatório em veículos

“O objetivo desta proposição é contribuir para reorganizar o modelo de desenvolvimento historicamente praticado na região hidrográfica do Tocantins-Araguaia. São propostas diversas medidas de conservação da água, do solo e da biodiversidade. Além disso, procura-se estimular atividades que tiram proveito do grande potencial paisagístico e da abundância de recursos naturais da região, como o extrativismo e o turismo sustentáveis”, justifica.

As ações deverão ser realizadas por órgãos do Sistema Nacional de Recursos Hídricos (SNRH) e do Sistema Nacional do Meio Ambiente (Sisnama), como as secretarias estaduais, o Ibama e o Ministério do Meio Ambiente.

Metas
O projeto estabelece metas a serem cumpridas em dois anos para a preservação da região hidrográfica do Tocantins-Araguaia:
– universalização dos serviços de abastecimento de água e de coleta e tratamento de esgotos;
– universalização dos serviços de coleta seletiva, reciclagem e destinação final adequada dos resíduos sólidos em aterros sanitários;
– adoção do pacto de desmatamento zero;
– proteção dos ecossistemas naturais em unidades de conservação de proteção integral em área correspondente a 17% da cobertura do bioma Cerrado e 17% da floresta amazônica.

Leia Também:  46 mil candidatos alteraram a declaração de cor de pele registrada em 2016

Proibições
Atividades de carvoejamento e a produção de lenha com o uso de matéria-prima oriunda de vegetação nativa passarão a ser proibidas na região. As empresas que precisarem de carvão como fonte de energia deverão recorrer a florestas plantadas.

Já a implantação de novos empreendimentos na região dependerá da adequação dos serviços de saneamento básico.

A construção de usinas hidrelétricas só será autorizada após a criação de um programa de reassentamento de comunidades atingidas pelo enchimento do reservatório e de recomposição de suas perdas econômicas; e da implantação de medidas de conservação da ictiofauna, em especial das espécies migratórias.

Reportagem – Carol Siqueira
Edição – Pierre Triboli

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA