POLÍTICA NACIONAL

Frente parlamentar debate agenda de sustentabilidade entre Brasil e Europa

Publicados

em


Mário Oliveira/Prefeitura de Manaus
Transporte - barcos e portos - fluvial ribeirinhos Amazônia canoas vitória-régia
A preservação da Amazônia será um dos temas abordados no debate

A Frente Parlamentar Mista de Apoio aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU, em parceria com a Fundação Friedrich Ebert, promove seminário virtual nesta quinta-feira (15), às 11 horas, para discutir caminhos possíveis para uma agenda bilateral de sustentabilidade entre Brasil e Europa.

Participarão do debate:

  • o coordenador da frente parlamentar, deputado Nilto Tatto (PT-SP);
  • a porta-voz da política ambiental do Partido Social-Democrata (SPD, na sigla em alemão) no Parlamento Europeu, Delara Burkhardt;
  • o coordenador do Fórum Permanente em Defesa da Amazônia, deputado Airton Faleiro (PT-PA);
  • o presidente do Comitê de Comércio do Parlamento Europeu, Bernd Lange;
  • a coordenadora da ONG Gestos – Soropositividade, Comunicação e Gênero e integrante do GT da Sociedade Civil para Agenda 2030, Alessandra Nilo;
  • a coordenadora do Grupo Nacional de Assessoria da Federação de Órgãos para Assistência Social e Educacional (Fase), Maureen Santos; e
  • a representante do setor de Política Florestal da WWF Europa Anke Schulmeister-Oldenhove.
Leia Também:  "Emergência de saúde pública", diz Lewandowski ao mandar vacinação ao STF

O público poderá acompanhar o evento ao vivo no canal do GT Agenda 2030 no YouTube.

Da Redação – MO

Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

Projeto permite a alunos beneficiados por cotas disputar vagas de ampla concorrência

Publicados

em


Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados
Lançamento da Frente Parlamentar em Defesa da Renda Básica. Dep. Felipe Rigoni(PSB - ES)
Felipe Rigoni: o ajuste se faz necessário para tornar o sistema de cotas mais justo

O Projeto de Lei 4799/20 altera a Lei de Cotas nas Universidades para autorizar alunos beneficiados com reserva de vagas no ensino superior a também disputar vagas destinadas à ampla concorrência. Segundo o texto, que tramita na Câmara dos Deputados, cotistas aprovados dentro do número de vagas oferecido para ampla concorrência não serão computados como ocupantes de vagas reservadas.

O autor do projeto, deputado Felipe Rigoni (PSB-ES), explica que a alteração foi inspirada na lei de cotas dos concursos públicos federais. “No regime atual, os alunos cotistas concorrem exclusivamente dentro de suas cotas, ainda que tenham nota suficiente para disputar as vagas da ampla concorrência. O ajuste se faz necessário para tornar o sistema de cotas mais justo”, observa Rigoni.

A Lei de Cotas para o ensino superior estabelece que todas as instituições federais de ensino superior – universidades federais e instituições federais de ensino técnico de nível médio – devem reservar, no mínimo, 50% das vagas de cada curso a estudantes de escolas públicas.

Leia Também:  Justiça derruba decisão e desbloqueia R$ 29 milhões de Doria

Dentro dos 50%, metade das vagas deve ser destinada a estudantes de famílias com renda mensal igual ou menor que 1,5 salário mínimo per capita.

Em cada faixa de renda, entre os candidatos cotistas, são separadas vagas para autodeclarados pretos, pardos e indígenas e pessoas com deficiência, proporcionalmente ao censo do IBGE.

Reportagem – Murilo Souza 

Edição – Pierre Triboli

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA