POLÍTICA NACIONAL

Mais querido e menos rejeitado, Lula supera potencial de votos de Bolsonaro

Publicados

em


source
Ex-presidente Lula supera potencial de votos de Bolsonaro em 2022, diz pesquisa
Lula Marques/Agência PT

Ex-presidente Lula supera potencial de votos de Bolsonaro em 2022, diz pesquisa

Em pesquisa que mede o potencial de voto de dez possíveis candidatos nas eleições presidenciais de 2022, o ex-presidente  Luiz Inácio Lula da Silva (PT) é o único que demonstra ter mais potencial político que o atual presidente,  Jair Bolsonaro (sem partido).

Menos rejeitado e mais querido, o petista está atualmente impedido de concorrer pela Lei da Ficha Limpa , embora busque mudar essa condição judicialmente. De acordo com o levantamento realizado pelo Inteligência em Pesquisa e Consultoria (Ipec), novo instituto de pesquisa de Márcia Cavallari, ex-Ibope, 50% dos entrevistados disseram que votariam ou poderiam votar em Lula , bem acima do teto de Bolsonaro, 38%. 44% afirmaram que não votariam no petista de jeito nenhum, enquanto 56% jamais votariam pela reeleição do atual presidente.

Os advogados de Lula buscam anular as sentenças que envolvem imóveis em Guarujá e Atibaia , que hoje o impedem de concorrer a cargos eletivos, mas, publicamente, o ex-presidente nega a intenção de se candidatar em 2022.

Leia Também:  Novas entregas de vacinas contra Covid-19 garantem primeira dose para maiores de 65 anos, diz Ministério da Saúde

Vale destacar que a pesquisa do Ipec não calcula um possível cenário em que Lula e Bolsonaro se enfrentem, mas sim o teto e o piso de votos dos dois possíveis candidatos em 2022. As pesquisas de intenção de votos tradicionais simulam possíveis segundos turnos com dois nomes, mas a pesquisa de potencial tem outro objetivo, que é justamente medir a aceitação e a rejeição a determinado nome.

Você viu?

Em vez de apresentar uma lista de candidatos e pedir que o entrevistado aponte seu preferido, o Ipec cita o nome de cada possível postulante à presidência e pergunta se o eleitor com certeza votaria nele, se poderia votar, se não votaria de jeito nenhum ou se não o conhece o suficiente para responder. A soma das duas primeiras respostas, “votaria com certeza” e “poderia votar” é usada como o potencial de votos.

Lula e Bolsonaro lideram o ranking de potencial de voto para 2022, seguidos pelo ex-juíz e ex-ministro de Bolsonaro, Sérgio Moro  (31%); Luciano Huck  (28%); Fernando Haddad  (27%); Ciro Gomes  (25%); Marina Silva  (21%); Luiz Henrique Mandetta  (15%); João Doria  (15%); e  Guilherme Boulos  (10%).

Leia Também:  "Não tem governo que não errou", diz senador que vai presidir a CPI da Covid

Marina, Huck, Doria, Ciro e Haddad estão empatados tecnicamente em rejeição com Bolsonaro. Enquanto o presidente não seria votado “de jeito nenhum” por 56%, os possíveis candidatos são rejeitados por, respectivamente, 59%, 57%, 56%, 53% e 52%. Já Moro repete a rejeição de Lula, 50%.

A pesquisa também apura onde os possíveis candidatos têm mais apoio. Bolsonaro encontra mais simpatizantes entre evangélicos (53% de potencial de votos), na região Sul (46%) e na faixa de renda entre dois e cinco salários mínimos (45%).

Para realização do levantamento, o Ipec ouviu 2.002 pessoas em 143 municípios do País entre os dias 19 e 23 de fevereiro. A margem de erro é de 2 pontos porcentuais para mais ou para menos.

Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

“Vou tomar por último, tem muita gente apavorada”, diz Bolsonaro sobre vacina

Publicados

em


source
Presidente Jair Bolsonaro
Foto: Agência Brasil

Presidente Jair Bolsonaro

Na sexta-feira (16), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que não pretende tomar a vacina da Covid-19 agora. Em conversa com apoiadores que o esperavam em frente ao Palácio da Alvorada, o presidente justificou que a decisão é pelo fato de ter “muita gente apavorada” esperando pela vacina.

“O que acontece, tem muita gente apavorada aí aguardando a vacina, então deixa as pessoas tomarem na minha frente. Vou tomar por último. Eu acho que essa é uma atitude louvável. Porque tem gente que não sai de casa, está apavorado dentro de casa”, disse Bolsonaro. O presidente chegou a se queixar que a imprensa teria criticado a sua decisão de se vacinar por último. “Em vez da imprensa me elogiar, me critica”, afirmou.

Bolsonaro está apto a receber a vacina no Distrito Federal desde o dia 3 de abril. Antes, ele explicava que não ia se vacinar porque já teria contraído o vírus em julho do ano passado.

De acordo com dados do consórcio de veículos de imprensa da quinta-feira (15), 25.460.098 pessoas já receberam a primeira dose de vacina contra a Covid-19. O número representa 12,02% da população brasileira. A segunda dose já foi aplicada em 8.558.567 pessoas (4,04% da população do país) em todos os estados e no Distrito Federal.

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA