POLÍTICA NACIONAL

Márcio França é o candidato entrevistado pelo iG nesta sexta

Publicados

em


source
Márcio França%2C candidato à Prefeitura de São Paulo pelo PSB
Divulgação

Márcio França, candidato à Prefeitura de São Paulo pelo PSB

O ex-governador Márcio França (PSB) é o entrevistado desta sexta-feira (16), às 11h, na série de lives do portal iG com os candidatos à Prefeitura de São Paulo nas eleições municipais de 2020.

França foi eleito prefeito de São Vicente, no litoral Sul de São Paulo, duas vezes, em 1996 e em 2000. Em 2011, foi convidado a assumir a Secretaria de Esporte, Lazer e Turismo do Estado de São Paulo.

Com a renúncia de Geraldo Alckmin (PSDB) em 2018 para a disputa da presidência, Márcio assumiu como governador. Ele tentou à reeleição, mas perdeu para João Doria no segundo turno.

A entrevista vai ao ar no  canal do YouTube e na  página do Facebook do portal.

Leia Também:  Governo recua na decisão de interromper ação de brigadistas no Pantanal

Durante a conversa, os internautas poderão interagir e mandar perguntas. Essa é a hora para esclarecer todas as dúvidas e votar de forma consciente. Somente com informação de qualidade e democracia caminhando lado a lado que se toma a melhor decisão nas urnas.

Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

Projeto permite a alunos beneficiados por cotas disputar vagas de ampla concorrência

Publicados

em


Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados
Lançamento da Frente Parlamentar em Defesa da Renda Básica. Dep. Felipe Rigoni(PSB - ES)
Felipe Rigoni: o ajuste se faz necessário para tornar o sistema de cotas mais justo

O Projeto de Lei 4799/20 altera a Lei de Cotas nas Universidades para autorizar alunos beneficiados com reserva de vagas no ensino superior a também disputar vagas destinadas à ampla concorrência. Segundo o texto, que tramita na Câmara dos Deputados, cotistas aprovados dentro do número de vagas oferecido para ampla concorrência não serão computados como ocupantes de vagas reservadas.

O autor do projeto, deputado Felipe Rigoni (PSB-ES), explica que a alteração foi inspirada na lei de cotas dos concursos públicos federais. “No regime atual, os alunos cotistas concorrem exclusivamente dentro de suas cotas, ainda que tenham nota suficiente para disputar as vagas da ampla concorrência. O ajuste se faz necessário para tornar o sistema de cotas mais justo”, observa Rigoni.

A Lei de Cotas para o ensino superior estabelece que todas as instituições federais de ensino superior – universidades federais e instituições federais de ensino técnico de nível médio – devem reservar, no mínimo, 50% das vagas de cada curso a estudantes de escolas públicas.

Leia Também:  MP destina crédito para distribuição de cestas básicas a comunidades na pandemia

Dentro dos 50%, metade das vagas deve ser destinada a estudantes de famílias com renda mensal igual ou menor que 1,5 salário mínimo per capita.

Em cada faixa de renda, entre os candidatos cotistas, são separadas vagas para autodeclarados pretos, pardos e indígenas e pessoas com deficiência, proporcionalmente ao censo do IBGE.

Reportagem – Murilo Souza 

Edição – Pierre Triboli

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA