POLÍTICA NACIONAL

Projeto assegura vacinação de adolescentes contra HPV em 2021

Publicados

em


Gustavo Sales/Câmara dos Deputados
84ª Reunião Técnica por Videoconferência - O estado atual do desenvolvimento da vacina de Oxford. Dep. Alexandre Padilha(PT - SP)
Alexandre Padilha: a vacinação de crianças e adolescentes foi prejudicada pela pandemia

O Projeto de Lei 4798/20 estabelece que o calendário de disponibilização da vacinação contra o vírus HPV pelo Sistema Único de Saúde (SUS), em 2021, incorpore crianças e adolescentes que completarão 15 anos até 31 de dezembro do próximo ano.

A proposta foi apresentada pelo deputado Alexandre Padilha (PT-SP) à Câmara dos Deputados.

Desde 2014, a vacina contra HPV é fornecida gratuitamente pelo SUS a meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14, com o objetivo prevenir os cânceres de colo do útero, vulva, vagina, pênis, ânus, boca e orofaringe.

A vacina é fornecida em duas doses e está disponível na rede pública de saúde durante todo o ano. Padilha ressalta, no entanto, que o calendário de vacinação foi prejudicado pela pandemia de Covid-19.

“Com a pandemia, milhões de crianças deixaram de frequentar as aulas, seguindo as recomendações sanitárias de proteção. Assim, foi prejudicada a divulgação e a conscientização dessas crianças para a importância da vacinação. A proposta visa a corrigir essa lacuna”, explica.

Leia Também:  Projeto equipara desmatamento no Pantanal a danos à Mata Atlântica

O texto acrescenta a medida à Lei 13.979/20, que trata do enfrentamento da Covid-19 no Brasil.

Reportagem – Noéli Nobre
Edição – Pierre Triboli

Propaganda

POLÍTICA NACIONAL

“Quer que eu baixe na canetada?”, diz Bolsonaro sobre diminuir preço do arroz

Publicados

em


source
Presidente Jair Bolsonaro
Agência Brasil

Presidente Jair Bolsonaro manifestou irritação sobre possibilidade de tabelar preço

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ficou irritado com um apoiador que pediu a ele que diminuísse o preço do arroz durante uma agenda em Cruzeiro, no Distrito Federal, neste domingo (25).

“Bolsonaro, baixa o preço do arroz, por favor. Não aguento mais”, disse o homem que abordou o presidente enquanto ele se prepararava para subir em sua moto.

“Tu quer que eu baixe na canetada? Você quer que eu tabele? Se você quer que eu tabele, eu tabelo. Mas você vai comprar lá na Venezuela”, respondeu Bolsonaro.

O homem saiu sem dizer nada. “Fala, e vai embora”, comentou o presidente diante dos demais apoiadores, seguranças e jornalistas que estavam no local.

Leia Também:  Projeto proíbe eventos de campanha eleitoral com aglomerações

Durante a manhã de hoje, o presidente passeou de moto pelo DF com os ministros da Secretaria de Governo, general Luiz Eduardo Ramos, e da Casa Civil, general Walter Braga Neto.

No interior do mercado, Bolsonaro foi ovacionado por apoiadores e ouviu palavras em sua defesa. Na saída do local, porém, foi recepcionado com gritos de “fora Bolsonaro”.

Pressionada pela alta de preços dos alimentos e das passagens aéreas, a prévia da inflação oficial brasileira registrou em outubro sua maior alta desde 1995. Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o IPCA-15 (Índice de Preços ao Consumidor Amplo 15) acelerou para 0,94% no mês, após alta de 0,45% em setembro.

No ano, a inflação acumulada é de 2,31%. No acumulado de 12 meses até outubro, o índice também acelerou para alta de 3,52%, vindo de 2,65% em setembro.

O grupo de alimentação e bebidas subiu 2,24% na prévia da inflação de outubro, alta puxada pelos alimentos consumidos em domicílio (2,95%). Entre os alimentos, os principais destaques foram óleo de soja (22,34%), arroz (18,48%), tomate (14,25%), leite longa vida (4,26%) e carnes (4,83%).

Leia Também:  Senadora apresenta projetos de lei para combate à violência contra a mulher

Continue lendo

MOMENTO POLICIAL

MOMENTO DESTAQUE

MOMENTO MULHER

MOMENTO PET

MAIS LIDAS DA SEMANA